Queijo, sempre! [Torta Caprese]

Quem não tem sempre um pedacinho de queijo zanzando pela geladeira?

Tenho duas ratazanas em casa, Remy (aka Ratatouille) e Emile e queijo de todos os tipos é o que não falta por aqui. Mas, às vezes, aquele tequinho sobra e começa a querer estragar. Como por aqui tudo se aproveita… Eu tenho aquele saquinho Zip Lock no freezer pronto para receber estes coitadinhos que serão muito bem aproveitados no futuro?

Congelo qualquer tipo de queijo, mas cuidado com os mais frescos que contêm maior quantidade de líquido, pois ao descongelar verterão água. Então, ao descongelar, deixo sobre uma peneira para que escorra o excesso.

Neste recheio utilizei mussarela, mussarela de búfala, queijo fresco e parmesão. Mas você pode criar a sua versão desta deliciosa torta caprese que será o jantar desta noite! 🙂

Torta Caprese (Rende 12 fatias)

Para o lanche ou o jantar esta torta é uma opção certeira

Para o lanche ou o jantar esta torta é uma opção certeira

Ingredientes:

*A massa é esta aqui

500g de queijos variados picados (se for usar a mussarela de búfala tradicional, deixe escorrer o excesso de líquido para não empapar a massa)

1 colher de sopa de manjericão seco

1 colher de chá de sal

pimenta do reino moída na hora, o quanto baste

200g de tomatinhos cereja ou uva, cortados na metade (eu usei vermelhos e amarelos)

30g de queijo parmesão ralado

3 colheres de sopa de farinha de rosca

A simplicidade do recheio

A simplicidade do recheio

Modo de Preparo:

Pré aqueça o forno a 180 graus.

Temperar os queijos com o sal, o manjericão e a pimenta. Preparar a massa conforme a receita e colocá-la toda em uma assadeira untada com manteiga e 2 colheres de sopa de farinha de rosca. Por cima da massa colocar o queijo e o tomates afundando cuidadosamente. Polvilhe com o queijo parmesão e o restante da farinha de rosca.

Muito queijo e muito tomate!!!!

Muito queijo e muito tomate!!!!

Assar por 40 minutos ou até que sua torta esteja dourada e crocante.

TortaCaprese4

Cremosa por dentro e crocante por fora. O que poderia ser melhor?

DICAS:

  1. Não use manjericão fresco para esta preparação. Além de ficar preto, deixará o recheio amargo;
  2. Tomates italianos também podem ser usados. Mas retire o miolo com as sementes pois contêm muita água;
  3. Eu usei um pacote de queijo parmesão ralado de 50g e dividi metade na massa e metade para polvilhar.

Uma Torta bem Certinha! [Torta de Frango Assado com Massa de Aveia]

Muitas amigas e conhecidas estão grávidas. Umas 6, se não perdi a conta. E me lembro bem a alegria desses noves meses de espera e da loucura insana que se torna fazer xixi depois que o bebê nasce. É uma benção. Foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Mas confesso que a vida ficou de pernas para o ar. Sem contar, na época, eu tinha um café que funcionava 24 horas… Onde é mesmo o botão de “desliga”? 😉

Mas não é só quem tem um filho que vê a vida virada do avesso. Realizar um sonho, ir atrás de um ideal pode fazer isso também. Depois que lancei os produtos da linha #FlavorBowl não tenho tempo para quase nada (os posts estão ficando repetitivos! hihihi). E por isso opto por refeições mais rápidas mas nem tão pouco deliciosas. Mas também não posso só ficar comendo os meus potinhos; preciso vendê-los! 😀

Esta torta é muito rápida e versátil. A massa me inspirei na receita da Torta de Chester, que está no #ColetivoGastronomico do mês passado do blog Ana Claudia na Cozinha. Só acrescentei aveia, pois ganhei um montão de produtos da Quaker no #EventoGourmet, dentre eles farinha de aveia que foi muito providencial!

E como eu não tinha chester, mas um belo frango assado que sobrou do almoço de domingo, foi este mesmo o recheio que preparei. E ficou muito bom. A massa, lembra muito uma massa de pão, mas não leva fermento. Fica elástica e macia, muito fácil de trabalhar. Pode testar que é delícia na certa. Vai para o caderninho!

Torta de Frango Assado com Massa de Aveia (Serve 8 fatias)

Torta de Frango Assado. Quem poderia imaginar? ;)

Torta de Frango Assado. Quem poderia imaginar? 😉

Ingredientes:

Para a Massa:

3 colheres de sopa de azeite de oliva

1 colher de chá de sal

1 xícara de leite

1 gema de ovo

2 xícaras de farinha de trigo

1/2 xícara de farinha de aveia

A aveia confere sabor e textura únicos à massa!

A aveia confere sabor e textura únicos à massa!

Para o Recheio:

1 kilo de frango desfiado grosseiramente (eu usei um frango assado que sobrou do almoço. O sabor ficou delicioso!)

2 xícaras de ervilhas congeladas

1 xícara de queijo mussarela de búfala picado

1 colher de sopa de amido de milho

sal e pimenta do reino a gosto

cheiro verde picado a gosto.

O recheio foi um frango assado do almoço de domingo. Nada mais delicioso. E o charme da colher de pau com os badulaques da @mel_baunilha

O recheio foi um frango assado do almoço de domingo. Nada mais delicioso. E o charme da colher de pau com os badulaques da @mel_baunilha

Modo de Preparo:

Massa:

Misture os ingredientes líquidos em uma tigela e misture bem. Acrescente as farinhas e mexa até formar uma massa. Com as mãos comece a amassar até obter uma massa lisa e bem homogênea. A massa desgruda facilmente das mãos e fica muito fácil de trabalhar. Reserve.

Lisinha e elástica, como deve ser.

Lisinha e elástica, como deve ser.

Recheio:

Como usei frango já assado, apenas misturei todos os ingredientes em uma panela e polvilhei o amido de milho e aqueci levemente apenas para dissolver e se misturar ao recheio. Não se preocupe em cozinhar, pois este processo será feito no forno.

Aqueça o forno a 180 graus.

Separe 2/3 da massa e abra com o rolo sobre uma superfície enfarinhada. Forre uma forma de fundo removível deixando pelo menos um dedo de excesso para fora da forma. Eu gosto da massa bem fininha. Mas como essa massa tem textura de pão você pode deixá-la mais grossa, se preferir. Coloque o recheio na torta e abra a “tampa” para fechar a massa. Coloque a tampa sobre o recheio e pressione as laterais para, assim, a tampa grudar no fundo e “selar” a torta. Faça um pequeno furo central para sair o vapor.

Detalhes que fazem toda a diferença.

Detalhes que fazem toda a diferença.

Pincele com uma gema de ovo e leve ao forno para assar por 40 minutos e até que esteja bem dourada. Sirva imediatamente. Fumegante!

Massa crocante e dourada. Recheio farto e delicioso...

Massa crocante e dourada. Recheio farto e delicioso…

DICAS:

  1. Se quiser pode substituir a farinha de aveia por farinha de trigo integral e ainda acrescentar sementes de chia, linhaça, centeio… Ou usar somente farinha branca.
  2. O recheio é outra tela em branco para você pintar como quiser! Utilize o que tiver na geladeira. Lembrando-se sempre de não deixá-lo muito úmido.
  3. Os detalhes na tampa da massa foram feitos com um rolo de abrir massa entalhado a mão que comprei no mercado de Accra, na minha viagem a Ghana. São trabalhos lindos de artesãos que não imaginam o valor que seus trabalhos têm. Fiquei encantada!

Páscoa II – Torta Pascoalina

Apesar de ser uma tradição da Ligúria, na Itália, a primeira vez que ouvi falar da Torta Pascoalina foi no México, por uma amiga argentina. Pelos lados porteños esta delícia também é muito comum e uma refeição na época da Páscoa.

Carla T. havia me encomendado uma torta para sua festa de despedida. Apesar de não cozinhar nada, me explicou todos os detalhes da torta e me confiou a tarefa de apresentá-la no qual seria o seu último dia entre as amigas mexicanas, argentinas e brasileiras.

Lá fui eu pesquisar, conversar com outras argentinas e testar a receita. Tudo saiu perfeitamente e as tortas que preparei receberam vários elogios. Pensei estar pronta para o desafio.

No dia do brunch, cheguei com uma torta linda, perfumada e executada com todo o cuidado para presentear a amiga. Carla levou a torta para a cozinha, olhou, olhou, agradeceu mas pediu para a sua empregada guarda-la na geladeira. Não entendi. Será que estava tão bonita que ela não queria dividir com ninguém? Que honra!!

“_ Patri, no es exactamente lo que you queria… Esa no es la pasta frola!”

Caraca. Fiquei arrasada… Não consegui executar a tarefa e ainda levei uma crítica logo a sangue frio. Mas afinal, o que era a pasta frola? Lá fui eu, novamente, conversar com mais um bando de argentinas que por ali estavam… Descobri que a massa a que se referia Carla, era uma massa de torta muito utilizada na Argentina para tortas doces e que em pouquíssimos lugares a utilizavam para tortas salgadas, e mais raro ainda para elaborar uma Tarta Pacualina

O café da manhã seguiu com um misto de alegria e tristeza, não porque não degustariam a torta, mas porque nossa grande amiga partiria. E eu só conseguia pensar naquela Torta Pascualina fracassada, esquecida na geladeira… Por um minuto fiquei feliz que Carla partiria para não ter que encará-la novamente tamanha a vergonha que eu sentia.

Naquela mesma noite, Carla me ligou para agradecer pela torta e dizer que a minha versão estava divina e nunca tinha comido uma assim, uma versão de chef. E que por anos ela comeu sempre a mesma torta preparada por sua mãe e não imaginava que algo diferente poderia ser tão bom. Mais uma vez o misto de felicidade e tristeza tomou conta de mim… Minha grande amiga estava de partida.

Desde então, brinco com todas as versões possíveis da torta; couve, espinafre, ricota, queijo feta, bechamel, já foram protagonistas nas minhas receitas. Aprendi que a experiência individual de cada um determina o seu nível de satisfação.

Torta Pascoalina da Carla T. (Serve 4)

Minha Versão da torta da Carla T.

Minha Versão da torta da Carla T.

Ingredientes:

1 colher de sopa de azeite de oliva

1 cebola pequena picada finamente

1 dente de alho picado finamente

1 maço grande de escarola cortada chiffonade*

1 raminho de manjerona

1/4 de colher de chá de sal

pitada de pimenta do reino

pitada de noz moscada

2 pacotes de massa folhada 300gr cada

5 ovos, sendo que 1 separada a gema da clara

1/4 xícara de queijo parmesão ralado

350gr de queijo tipo feta

Modo de Preparo:

Comece preparando o recheio. Em uma panela de fundo grosso aqueça o azeite e refogue a cebola e o alho, em fogo baixo, para murchar mas não dourar. Junte a acelga picada e aumente o fogo. Como toda folha verde, a acelga contém muita água e precisa ser refogada rapidamente somente para murchar. Mexa sempre para não queimar, adicione as folhinhas de manjerona e tempere com sal, pimenta e noz moscada.

Acelga, espinafre, couve. Brinque com as versões possíveis!

Acelga, espinafre, couve. Brinque com as versões possíveis!

Retire do fogo e deixe escorrer para retirar o excesso de água e esfriar.

Prepare a massa folhada. Coloque a massa folhada sobre uma forma para torta de fundo removível. Eu recortei as beiradas pois queria uma torta mais clean. Mas se você preferir algo mais rústico, pode deixa-las e depois dobre-as sobre a tampa.

Agora um truque que vale para todas as massas, principalmente aquelas que não serão pré assadas. Fure a massa com um garfo e pincele clara de ovo. Deixe secar (seca rapidinho) e pincele uma segunda camada. A clara de ovo vai “impermeabilizar ” a massa e o recheio não deixará úmida e molenga!

O truque da clara e nunca mais torta empapada!

O truque da clara e nunca mais torta empapada!

Coloque o recheio de acelga sobre a massa. Com a ajuda de uma colher faça 4 “buracos” no recheio, em posições onde as fatias serão cortadas e quebre os ovos (4) nestes buracos. Polvilhe o queijo parmesão sobre os ovos e cubra toda a torta com o queijo feta despedaçado ou ralado.

Aqueça o forno a 200 graus.

Corte a segunda massa em 2 partes e estique-as com o rolo de massa para que fiquem mais finas. Tampe a torta com uma massa, pincele com azeite e sobreponha a outra massa. Faça isso para que fiquem bem folhadas. Corte o excesso de massa das bordas ou dobre-as para cima da tampa para um acabamento mais rústico.

Pincele com a gema de ovo restante e leve ao forno por 35/40 minutos ou até que a massa esteja bem folhada e dourada.

Feliz Pascoalina!

E para sobremesa sugiro:

Pavlova de Frutas e Calda de Maracujá

Bolo Daquoise de Mousse de Chocolate e Nutela®

Esta é apenas uma das versões para esta torta. Invente a sua!

Esta é apenas uma das versões para esta torta. Invente a sua!

 DICAS:

  1. Você poderá utilizar massa podre ou massa de quiche para esta torta;
  2. Caso não queira tanta massa, não precisa colocar a tampa da torta – versão quase quiche!
  3. Caso queira ovos mais duros, utilize ovos cozidos no recheio ao invés de ovos crus;
  4. Ricota também poderá ser utilizada no lugar do queijo feta. Se utilizar a ricota mais cremosa misture-a ao recheio de acelga.

* Chiffonade – faça um rolinho com as folhas de acelga, como se fosse um charuto. Com uma faca bem afiada corte em “fatias” bem finas. É um corte muito utilizado para couve manteiga.

Feliz Dia dos Pais! [Shank de Cordeiro e Apple Pie]

Quer curtir seu pai e toda a família com o melhor presente? Então, cozinhe você o almoço!

Sugerimos aqui um menu super simples, delicioso, confortante e que não levará horas para fazer. Enquanto está tudo no forno você curte o paizão e ainda ganha os méritos de cozinheira do ano!

Sugestão para 6 pessoas

Shank de Cordeiro com polenta cremosa

Qual o pai que não se emocionará?

Qual o pai que não se emocionará?

Ingredientes:

– ½ xícara de farinha de trigo
– 6 shanks de cordeiro
– Sal e pimenta-do-reino, o quanto baste
– 4 colheres (sopa) de azeite de oliva
– 2 colheres (sopa) manteiga
– 2 cenouras, finamente picadas
– 1 cebola, finamente picada
– 1 talo de salsão, finamente picado
– 1 ramo de alecrim picado
– 2 colheres (sopa) de tomilho picado
– 4 dentes de alho picados
– 2 xícaras de caldo de galinha
– 2 xícaras de vinho tinto
– 200 g tomate pelado, sem sementes e picados
– ½ litro de água
– ½ litro de leite
– 1 xícara de fubá de milho pré-cozido ou polenta pré cozida
– 4 colheres (sopa) de manteiga
– sal a gosto

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno a 160 graus. Cubra a ponta do osso de cada shank com papel alumínio. Isso ajudará que o pouco de carne que estiver no osso não se queime e manterá uma aparência melhor. Tempere a carne com sal e pimenta. Passe a carne pela farinha.

Em uma panela suficientemente grande que caibam os 6 shanks e que possa ir ao forno aqueça 2 colheres de azeite e 2 colheres de manteiga. Coloque a carne para dourar, uma de cada vez, para que a temperatura do azeite não caia e você não acabe cozinhando a carne ao invés de dourá-la. Reserve.

Em fogo médio, despeje as duas colheres restantes de azeite na panela. Adicione a cenoura, a cebola, o salsão, o alecrim e o tomilho e refogue, mexendo até que os vegetais estejam tenros – de 6 a 8 minutos. Acrescente o alho e cozinhe por mais 1 minuto.

Regresse a carne para a panela. Tenha o cuidado de colocá-las em pé, ou seja, os ossos para cima. Acrescente o vinho e espere que o alcool se evapore. Uns 3 a 4 minutos. Misture o caldo de galinha e os  tomates com o refogado da panela. Cozinhe em fogo baixo com alguns minutos de fervura e retire a espuma que vai se formando com uma escumadeira. Tampe a panela e leve ao forno por cerca de 2 horas, até que a carne esteja bem macia, começando a soltar do osso.

20 minutos antes de terminar o cozimento da carne, prepare a polenta. Coloque a água para ferver com a manteiga. Misture o fubá com o leite. Quando a água levantar fervura acrescente a mistura de fubá e cozinhe, em fogo baixo mexendo sempre até que a polenta esteja cremosa (o tempo de cozimento dependerá do fubá que você utilizar. Dê uma checada nas instruções da embalagem). Corrija o sal, se necessário.

Para servir (nada de panelas sobre a mesa!), retire o papel aluminio dos ossos. Coloque uma porção de polenta no prato e por cima um shank de cordeiro. Regue com o molho.

Torta de Maçã Americana

Demonstração de amor maior pelo pai? Quase impossível!

Demonstração de amor maior pelo pai? Quase impossível!

Ingredientes:

– 2 xícaras de farinha de trigo
– 2 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro
– 150 g de manteiga gelada, cortada em pedaços
– 4 a 6 colheres (sopa) de água

Recheio (pode ser preparado com antecedência):
– 1,5 kg de maçãs
– 1/3 xícara de farinha de trigo
– 1/2 xícara de açúcar mascavo
– 1/2 colher (chá) de canela em pó
– 1/4 colher (chá) cravo moído
– 1/4 colher (chá) anis estrelado moído
– Suco de 1 limão
– 2 colheres (chá) de conhaque

Cobertura:
– 1/3 xícara de açúcar
– 1 gema de ovo

Modo de preparo:

Aqueça o forno a 160° C. Misture a farinha, o açúcar e a manteiga num processador de alimentos utilizando a tecla pulsar até que obtenha a consistência de farofa. Não bata muito pois a manteiga se derreterá e não é isso que queremos! Transfira esta farofa para uma bancada de trabalho. Adicione a água, uma colher de cada vez e amasse delicadamente com as pontas dos dedos até formar uma massa homogênea. Leve à geladeira por aproximadamente 15 minutos para descansar.

Misture os ingredientes secos do recheio. Descasque e fatie as maçãs (para esta torta eu prefiro pedaços ou fatias grossas) acrescente o limão, o conhaque e a mistura acima aos poucos. Deixe descansar para formar caldo.

Montagem da torta:
Divida a massa em duas partes. Abra em superfície enfarinhada com um rolo na espessura de 3 mm ou entre duas folhas de clingfilm para facilitar a transferência para a forma.

Transfira a massa para uma forma ou pirex de 24 cm untada com manteiga, deixando uma borda para fechar depois com a parte superior. Coloque o recheio, mas sem muito caldo e cubra com o restante da massa. Aperte as laterais como na foto. Faça cortes na tampa para que saia o vapor.

Essa borda faz toda a diferença na finalização da torta!

Essa borda faz toda a diferença na finalização da torta!

Pincele com a gema e polvilhe o açucar. Asse em forno pré-aquecido por cerca de 45 minutos ou até dourar. Sirva quente acompanhada de uma bola de sorvete de creme.

Torta de “Resto”

Acreditem se quiser. Eu tenho uma amiga que não tem uma receita sequer da famosa torta salgada de liquidificador!

Passamos o final de semana juntas e em dado momento, CV(os nomes foram preservados para guardar a privacidade da protagonista!!!!) me diz “Ai, queria tanto fazer aquela torta salgada de liquidificador mas não tenho nenhuma receita…”. Pensei ser impossível ninguém ter a receita da tradicional torta de sardinhas da avó, ou da torta de queijo da sogra, ou da Torta de Resto da D. Edna!

Sábado a tarde na casa onde me criei. Dia de limpeza geral, principalmente na cozinha. A geladeira se esvaziava para encher uma assadeira com as sobras de comidas que se acumularam durante a semana. E nada ia para o lixo. Ou quase nada. Na mão de minha mãe tudo se transformaria na sua deliciosa “Torta de Resto”, assim apelidada pelo meu primeiro namoradinho que não deixava de ir um só sábado a minha casa. Não para me ver, mas para saborear a especialidade da sogra!

Como recheio, foram os mais variados sabores. Como já disse era tudo o que estivesse dando sopa na geladeira: queijos, presunto, verduras e legumes. Quando a feira não era suficiente, umas boas latas de atum ou sardinha se juntavam a mistureba para compor a tal torta! E não sobrava um pedaço prá levar prá casa!

Resolvi, então, homenagear minha mãe e satisfazer a vontade de uma amiga querida passando a “receita de família”. Uma pena que não sobrou um só pedaço para ela provar!

Torta de Resto da D. Edna

3 ovos

1/2 xícara de óleo

1 1/2 xícaras de leite

3 colheres de sopa de queijo parmesão ralado

13 colheres de farinha de trigo (será este o segredo!?!)

1 colher de sopa de fermento em pó

Para o recheio usar suas sobras ou a criatividade! Nesta da foto usei sardinhas em conserva, queijo e cebolas caramelizadas. Só tome cuidado com recheios que contenham muito líquido (marinadas, etc) pois sua massa pode ficar empapada.

Pré aquecer o forno a 180 graus.

No liquidificador, bater os ovos com o óleo, o leite e o queijo. Acrescentar a farinha colocando as colheradas 1 a 1. Misturar o fermento, sem bater.

Em uma assadeira untada com manteiga e farinha de rosca colocar metade da massa, o recheio e por cima o restante da massa. Polvilhar com farinha de rosca. Assar por 40 minutos ou até que sua torta esteja levemente dourada.

Em tempo: se não utilizar ingredientes muito salgados para seu recheio (queijo, sardinha, etc) acrescente 1 colher de chá de sal na massa.