A aventura começou!

E que aventura para um primeiro dia!!!

Chegar em Accra, capital de Ghana, na África Ocidental é fácil. Tem vários voos vindos de Londres, Nova Iorque, Johannesburgo… Passar na imigração são outros quinhentos… – não posso nem ouvir falar em quinhentos 😦

Apesar de já ter o visto para a entrada no país emitido, tive que esperar uns bons 40 minutos entre indas e vindas de oficiais do exército que fazem a checagem inicial antes mesmo da imigração. Levaram meu passaporte, meu visto, “meu sorriso, no sorriso dela, meu assunto”… E sem entender muito o que acontecia esperei ansiosa ouvindo palavras entre Twi (dileto local) e um inglês com um forte sotaque africano. Mas estava feliz. Afinal, aventura era o que eu queria! E tinha uma amiga, chefe de cozinha do maior conglomerado atual de restaurantes de Ghana, me esperando do lado de fora!

Minha querida amiga chefe de confeitaria concentrada em seu trabalho

Minha querida amiga chefe de confeitaria concentrada em seu trabalho

Após heat screening recebo meu passaporte e um “Akwaaba” = Seja Bem Vinda! Ufa!

A espera da mala, nem vou comentar porque levaria muito tempo para nada… 1h30m entre milhões de ganeses, milhões de malas e adivinhem? A minha única, pequena e singela mala foi uma das últimas a sair do avião e aterrissar na esteira. Mais um tanto de batimentos cardíacos acelerados e lá estava eu a caminho da porta para correr e abraçar minha querida amiga de longa data e muitas histórias de cozinha no porão de um restaurante em Londres!

E a primeira parada? Um consultório dentário!!! Aventura deveria ser mesmo meu nome do meio. Helena é muito singelo para mim! Tive um pequeno acidente enquanto comia – e brincava! – com minha deliciosa pata de lagosta do post anterior e “rachei” um dente! Na dúvida entre passar 3 semanas com este probleminha e morrer de dor de dente na África ou visitar um tandarts (dentista aqui) resolvi pela segunda opção. O que me deixou mais tranquila e mais pobre. Após USD 500 e ser “coroada” em um dental truck – sim, o consultório do MELHOR dentista de Ghana, que trata todas as embaixadas, era dentro de um trailer abandonado e adaptado – claro que o dentista não quis tirar uma foto comigo! – estava pronto para a minha estadia! Mas antes eu juro que fiz uma boa oração e pedi proteção a todos os santos e orixás. Afinal, estou na África!

Acredite se quiser este é o consultório onde recebi uma "coroa"...

Acredite se quiser; dentro deste trailer está o consultório onde recebi uma “coroa”…

A ideia inicial de vir para cá, além de matar as saudades de minha amiga, é conhecer os restaurantes em que ela trabalha, as cozinhas e a cultura local.

Akwaaba!!

Akwaaba!!

Começamos pelo Coco Lounge que é um restaurante de misturas. Um pouco de cozinha brasileira, mexicana e ganesa fazem deste lindo, cheio de estilo bem decorado espaço um novo favorito entre os locais e turistas. A ideia é ter um lugar bem despojado e a vontade, mas a decoração minimamente pensada causa uma impressão de estar em qualquer outra cidade cosmopolita do globo, menos em Accra. Não é nada do que os estereótipos podem dizer da África. E eu adorei tudo isso!

Espaço ultra moderno e aconchegante do Coco Lounge

Espaço ultra moderno e aconchegante do Coco Lounge

Luminárias de penas e garrafas cortadas. Um luxo!

Luminárias de penas e garrafas cortadas. Um luxo!

Claro que a ideia é visitar a África "propriamente dita"; mercados, 
lojas, comida local, o que 99,99% da população faz diariamente. Mas
um pouco de glamour depois de um dente rachado não faz mal a ninguém!
Adega para 900 garrafas dos rótulos mais nobres do restaurante

Adega para 900 garrafas dos rótulos mais nobres do restaurante

Sala para eventos privados patrocinada pela Dom Pérignon

Sala para eventos privados patrocinada pela Dom Pérignon

Uma mistura de culturas na decór

Uma mistura de culturas na decór

Além do ambiente, o serviço e a comida impressionam. Uma mistura de cozinhas da África do México e do Brasil encantam os comensais que lotam diariamente o restaurante tanto no almoço quanto no jantar. Como eu já conheço bem as cozinhas mexicanas e brasileiras 😉 fui de pratos mais africanos. Arroz é algo bem comum por aqui, e quando misturado com um molho bem apimentado formam uma deliciosa combinação com legumes e camarão ou carne.

Rice Bowls com beef, gengibre e muita pimenta!

Rice Bowls com beef, gengibre e muita pimenta!

Rice Bowls de Camarão e Legumes com muita pimenta

Rice Bowls de Camarão e Legumes com muita pimenta

De sobremesa fui do carro chefe da que sai da cozinha de pâtisserie da minha querida amiga Geisa: profiteroles deliciosamente crocante e com muito chocolate ganês por cima. Outro TOP 5 são os donuts: as bolinhas perfeitamente redondinhas, quentinhas e macias exalavam  um aroma suave de limão e também são servidos com uma calda quente de chocolate.

Sobremesa campeã; profiteroles com chocolate ganês

Sobremesa campeã; profiteroles com chocolate ganês

E para fechar com chave de ouro o café muito bem tirado adivinhem de onde? De Ghana, é claro!

Donuts, chocolate e café = paraíso africano!

Donuts, chocolate e café = paraíso africano!

Coco Lounge

Icon House
Stanbic Heights
Airport City – Accra –  0244 222202

yoloxperiences.com

 

 

 

Muvuca, Mocotó e Comida boa da peste!

Hoje eu fiz algo que sempre me neguei a fazer e que nunca tinha feito. Esperei por duas horas para almoçar em um restaurante. Nenhuma comida pode ser tão boa – ou a última da minha vida – que eu tenha que esperar tanto… Será?

Decidimos encarar e ver de perto o que é que o Mocotó tem. E por já saber das filas e espera de 2 horas nos preparamos para chegar lá ao meio-dia. Qual paulistano sai num domingo e vai até a Vila Medeiros para almoçar ao meio-dia? MUITOS!!  Assim que chegamos colocamos o nome na lista de espera e fomos, gentilmente avisados pelo “Caiçara” que a espera seria de 2 horas. “Ok, mas não acho que vou esperar” eu respondi.

Enquanto esperávamos por nossos outros convidados pedimos uma cerveja, mas a decisão já estava tomada: nenhuma comida, por melhor que seja, merece que eu fique na Vila Medeiros, em pé, no sol, esperando para pagar para comer. Nem era de graça!!!!! A tentação era atravessar a rua e ir até o restaurante da esquina que também vende comida nordestina.

Foi aí que a salvação do Rodrigo Oliveira (!) – e a nossa! – apareceu. Esperávamos em frente a uma obra que também é do Mocotó e vi umas cadeiras tortas e jogadas no meio de entulho. Uma muvuca! E como eu sou bem enxerida e continuava não querendo ficar em pé esperando para comer, comecei a resolver este problema. Arrumei duas cadeiras, que estavam com os pés quebrados, mas só descobrimos mais tarde, e uma banqueta. Assim começou nosso almoço! -(Só mais tarde, também, descobri que quem estava sentado em uma destas cadeiras, um pouquinho antes, fumando ao nosso lado, era seu Zé Almeida, o pai do Rodrigo e quem merece todo nosso respeito por ter um filho e um restaurante tão bons!).

A partir de então tudo começou a mudar de figura! Começamos com os dadinhos de tapioca e queijo de coalho servido com molho de pimenta agridoce. Delicioso e delicado. Derretia na boca! E mais cerveja. E uma caipirinha de cajú. Isso tudo na calçada, ouvindo os “mano” passarem com o volume do som do carro no último volume e vendo a galera subir e descer do 121G-10 Parque Novo Mundo. 

Depois vieram as torradinhas de carne de sol e queijo coalho e escondidinho de carne seca. O mais impressionante é o atendimento dos garçons que ficam prá lá e prá cá ouvindo o povo desesperado querendo ser atendido. O Julio e o Leandro foram campeões! Não erraram um só pedido e estavam o tempo todo sorrindo! 

Nessa altura do campeonato eu já estava amiga de toda a equipe e tentava, em vão, subornar o Caiçara e a Yasmin para liberar nossa mesa. Nem com as táticas de idoso e criança de colo funcionou… E o Caiçara continuava sorrindo em meio a essa maluquice!

Foi nesse momento que vimos o Rodrigo Oliveira lá na cozinha sorrindo e feliz. O cabra é macho mesmo! Fui até lá para cumprimentá-lo com o Pedrinho e a primeira coisa que ele fez foi abraçá-lo e lhe ofereceu um potinho de mandioca chips. Pronto! Eu esperaria mais cinco horas para almoçar! Além de cabra macho Rodrigo é gentil e hospitaleiro. Com a zona que é aquele lugar ele faz todo mundo querer ficar e se sentir em casa!

Depois de rodar tanto pelo salão e ver aquele montão de delícias pelas mesas, assim que sentamos eu já sabia o que pedir. Eu estava salivando! Pedimos o Baião de Dois, que veio muito leve e saboroso. Com bacon e carne seca na medida certa, sem estar gorduroso nem pesado. A Peixadinha do São Francisco também é uma excelente opção. Os pedaços de pintados estavam suculentos e envolvidos num molho de leite de coco delicioso. A farofa de castanhas com coco queimado deu toque todo especial. E ainda a Carne de Sol Assada com manteiga de garrafa, muito tenra, vem com pimenta biquinho e alho assado, tudo isso na chapa. Dava prá passar a tarde comendo, bebendo cerveja e jogando conversa fora!

Mas, depois de toda essa comilança, o ponto alto foi a sobremesa. CARTOLA! Não se esqueçam desse nome: Cartola do Engenho. Um doce tradicional pernambucano com o toque do chef. Affff! Banana com melaço, queijo manteiga e farofinha de açucar e canela! Ah! Esqueci de dizer que o Pedrinho quis uma salada de frutas que vem deliciosamente montada sobre um pão de ló e um chantilly com raspinhas de limão! Uma simples salada de frutas virou uma super sobremesa! 

Enfim, se você ainda não foi até o Mocotó, prepare-se, muna-se de paciência e de um GPS e vá. Não espere mais. Nem espere lá. Vá até a obra do que deverá ser a Padaria Mocotó – inside info! – monte teu cafofo na esquina e seja feliz!

Aproveite e dê uma olhadinha no site. A história é bem bacana!

Mocotó Restaurante e Cachaçaria

Av Nossa senhora do Loreto, 1100
Vila Medeiros – São Paulo – SP

Tudo em Família!

Não sou muito chegada em cozinha molecular. Tenho até um post guardado para o momento certo para esta minha confissão. Mas descobri que um pouco de espumas e esferas não deixam uma costeleta de cordeiro menos saborosa. Na verdade, agrega um inusitado! E junto disso, apesar das desavensas entre irmãos, descobri que a comida em família pode ser  muito boa! Isso tudo porque fomos jantar num restaurante chamado “Sons and Daughters”, novo na cidade e com uma proposta de comida fora do cumum, combinações mais exóticas, mas deliciosa e com um preço melhor ainda.

O lugar é super bacana. Pequeno, aconchegante e com serviço despojado, as veze inatento, mas o que não prejudica.

Enquanto esperavamos nossa mesa fomos para o andar debaixo onde estão localizados os banheiros e uma sala como se fosse a da nossa casa, com um sofá bem confortável, uma música boa e outras pessoas esperando, também! Lá nos serviram uma taça de vinho das quais você pode escolher dentre vários rótulos.

O cardápio é elaborado com ingredientes locais e a cozinha se denomina californiana comtwits. São 4 pratos que formam o tasting menu e vale a pena pois são todos nas porções ideais para sair de lá feliz e satisfeito. De cada prato há 3 opções e como estávamos em 3 pessoas pudemos degustar de tudo!

Eu acertei na minha escolha. Todos os pratos muito bem executados e a combinação ficou perfeita, mas a minha entrada foi a campeã: salada de beterrabas baby (vermelhas, brancas e amarelas!), sorbet de bergamota, limão Meyer e queijo de cabra. E tudo com formas e detalhes diferentes. Máximo!

Depois fui de coelho confitado com baby erva doce grelhada e uma gema de ovo gelatinosa e cremosa por dentro! Ai que deliícia!!!!!! E eu que não gosto (!) dessas invenções no meu prato!

Em seguida escolhi um peixe que estava com uma cacsquinha crocante por fora e muito suculento. No ponto perfeito, de quem sabe mesmo grelhar um filé de peixe. Servido com esferas de melão, alcachofra selvagem e o melhor: geoduck! Nunca tinha comido na minha vida e me deliciei. Uma pena que era tão pouquinha a porção… Não dava pra ter um prato somente desta iguaria??

Dos principais a pomba confitada e o cordeiro também são campeões! Mas não se anime muito com essas dicas, pois o menu muda constantemente de acordo com os ingredientes da estação. O que é muito bom!

Não chega a ser um restaurante molecular ou coisa do gênero, mas muito dos pratos são trabalhados em cima de conceitos de desconstrução. Algo que não me atrai muito, mas foi uma deliciosa surpresa!

O menu sai por USD 54 e ainda é possível combinar com vinhos por mais USD 38. Muito justo pela comida, ambiente e carta de vinhos.

Vale a pena conhecer esta família!

Sons & Daughters Restaurant
708 Bush Street
San Francisco, CA

http://www.sonsanddaughterssf.com

Los Padrinos – Cidade do México

Domingo sem vontade nenhuma de cozinhar… Se isto se passa com você como aconteceu comigo e está na cidade do México te recomendo o restaurante Los Padrinos que está no Shopping Plaza Duraznos.

Eu tenho uma lista de restaurantes que quero recomendar (ou não!), mas esta surpresa foi tão grata que não perdi muito tempo e aqui estou para escrever sobre este lugar que é da cadeia de restaurantes Tíos, Primos, Sobrinos, e toda a família! Se entitulam comida de barrio que nos explicou o garçom ser uma comida casera, sem firulas e para dividir… Com este nome, logo pensei: ai vem tacos! Mas o cardápio pareceu ser bem mais internacional do que esperávamos.

O bom é que agradou a todos os gostos, sem frescura mesmo, mas um excelente almoço de domingo onde eu queria carne, meu marido hamburguer e meu filho pasta. Se nao fosse lá só imaginaria uma praça de alimantação para esta família!

O servico num domingo as 3.30pm na Cidade do México foi exemplar! Sem complicações e muito atento. Chegamos cedo para poder ver um cineminha depois e acabou que saímos de lá com tempo para sobremesa, café e vitrines!

O hamburguer do meu marido estava no ponto pedido e com todos os seus acompanhamentos à parte: alface, tomate, pepinos em conserva, molho tártaro e um delicioso pão feito na padaria própria deles. E carne veio muito bem temperada!

Para o pequeno pedimos pasta fresca que era um spaghetti al dente, com tomates frescos, mussarela e majeriao, regados com um excelente azeite de oliva! Acompanhado de uma fatia de pão caseiro para passar no molho depois! Ah… pão!

E o meu prato, não foi um super steak. Logo que entrei vi numa mesa um steak tartar que me parecia delicioso. E estava. E garanto aos fãs de plantão da Brasserie Lipp que este tartar estava muito, mas muito melhor! Fresquissimo, servido sobre uma salada de rúcula, sutilmente temperado com azeite trufado e lascas de parmesão acompanhado por baguetes tostadas. Ai Jesus! E as frittes estavam crocantíssimas! Pareciam ate estar empanadas!!!

Quase me esqueço de falar sobre a entrada. Um aguachile de camarão super picante, mas muito saboroso. Devoramos com as tostadas!

O ambiente é bem descontraído, um pouco barulhento, mas todas as mesas estavam ocupadas por familias numerosaas. Não podia ser diferente. Tem uma terraza para fumantes.

Com 2 garrafas de agua mineral e uma limonada nossa conta saiu por MX$ (R$ ). Nada mal!

O restaurante ainda não tem website para dar aquela fussadinha antes de ir. E eu nem tirei fotos. Não imaginaria que escreveria sobre este lugar. Ademais, tudo estava tão delicioso que quando me lembrei, os pratos já estavam vazios! Mas vá e comprove. Aqui estão os detalhes:

Restaurante Los Padrinos

Plaza Duraznos

Bosque de Duraznos, 39

Bosque de Las Lomas

Tel.: 5245-0924

Em tempo: A revista Donde Ir, edição de Agosto recomenda o parente próximo, Primos, como um dos melhores restaurantes da cidade para se comer. E pela descrição tudo é bem parecido.