A Maturidade de uma Receita #ColetivoGastronômico [Jalapeños Gratinados]

Eu me lembro que a primeira vez que vi um jalapeño recheado foi nos idos dos anos 90, quando morei nos Estados Unidos. Num domingo qualquer almoçando na Pizza Hut, chega uma bandeja de pimentas fumegantes, recheadas e ainda borbulhado, com muito queijo derretendo de dentro de uma capa de fritura empanada. Parecia o paraíso até colocar a primeira na boca. Até hoje consigo sentir o ardor da primeira vez. Aos 16 anos… Ah… sweet sixteen! hahaha

Mas na vida é importante que nos acostumemos. Até mesmo com as pimentas recheadas, pois elas apareceriam mais uma vez na minha vida. Desta vez, vinte anos depois, mais madura e experiente. A paixão e o fogo inicial se transformaram em amor duradouro e um calor reconfortante. Um pouco menos junk food, sem aquela capa de fritura, experimentei a receita de jalapeños gratinados que, apesar de ser uma invenção texmex os mexicanos souberam, muito bem, dar uma nova cara e roupagem a estas deliciosas pimentas.

Baseados na receita de chiles rellenos de las abuelas, as ardidas pimentinhas, deixaram de ter aquele apelo imaturo e frívolo de uma adolescente e ganharam mais requinte e sobriedade, assim como uma mulher madura e dona de si! 😉

Com ingredientes simples e nenhuma técnica esta receita é a prova perfeita de que menos é mais. De que o pretinho básico nunca sai de moda!

E foi por isso que a escolhi para o tema Petiscos, do #ColetivoGastronônico do mês. Ela faz jus e se encaixa perfeitamente nesta nossa nova fase, onde o importante é sermos o que somos, mas parar as arestas e deixar o excesso de lado é fundamental!

Jalapeños Gratinados (Serve 4)

Uma receita na maturidade da sua vida! ;)

Uma receita na maturidade da sua vida!

Ingredientes:

12 pimentas jalapeños ainda verdes

300gr de requeijão cremoso (pode ser cream cheese, creme de ricota, Catupiry)

1 xícara de bacon picadinho, frito e crocante

1 xícara de queijo cheddar ralado

1 colher de sopa de xarope de  maple ou mel (opcional)

Modo de Preparo:

Pre aqueça o forno a 200 graus. Forre uma assadeira com papel manteiga.

Corte os jalapeños ao meio no sentido do comprimento, com cuidado para formar “barquinhas”. Retire as sementes e as membranas e coloque-as na assadeira

Sem sementes, mais brando. Com sementes, ardente e fugaz.

Sem sementes, mais brando. Com sementes, ardente e fugaz.

Usando uma faca de manteiga ou um saco de confeiteiro recheie cada metade de jalapeño com o requeijão cremoso. Eu sempre tenho saco de confeitar descartáveis por aqui. São muito úteis e facilitam demais qualquer trabalho de recheio na cozinha.

Ajudante estrela, o saco de confeiteiro facilita na hora de rechear.

Ajudante estrela, o saco de confeiteiro facilita na hora de rechear.

Coloque o bacon sobre o requeijão e leve para o forno por 10 minutos até que as pimentas estejam tenras e o queijo bem cremoso e borbulhante.

Retire do forno e polvilhe com cheddar ralado. Volte ao forno por mais 5 minutos até que esteja gratinado. Você pode usar o grill nesta fase.

Regue com o maple ou mel, se estiver usando e sirva imediatamente. Eu adoro o contraste do cremoso com crocante, do picante com a doçura…

A receita perfeita: cremoso e crocante; picante e suave

A receita perfeita: cremoso e crocante; picante e suave

DICAS:

  1. Caso não encontre as pimentas jalapeños na feira ou nos mercados, já existe por aí uma pimenta chamada americana que é um pouco maior e menos picante. Se gostar do ardor, deixe as sementes. A pimenta cambuci também fica deliciosa.
  2. NÃO use aquele queijo tipo cheddar processado, em fatias. É bastante díficil encontrar o cheddar verdadeiro, eu sei. Mas um ótimo substituto é o queijo do Reino.
  3. Você pode deixar o maple/mel de fora. Mas assim como uma pitada de sal realça a doçura dos doces, o mel realçará a pungência da pimenta, mas ao mesmo tempo deixando o ardor de fora. Difícil explicar, por isso, experimente!

E para mais delícias assim veja o que o #ColetivoGastronômico preprou este mês:

coletivo

O que temos hoje, Elisa? – Arepa de Mandioca

Blog Gordices – Batata Bolinha Assada com Alecrim

Arte na Cozinha – Boneless Bufalo Wings

Cozinha da Gertrudes – Croquete de Mortadela

Na Cozinha da Carina – Dadinho de Tapioca com Geléia de Pimenta

Menu Criativo – Muffin de Calabresa e Queijo

Artes da Mel – Bolinho de Carne

Azeitonas Temperadas – Linguiça com Chutney de Frutas Secas

Pimenta na Cozinha – Rolinho de Salmão Defumado

Mosaico de Receitas – Guacamole

Apimentando a vida para deixá-la mais saudável!

Se você gosta de pimenta, esta receita é para você.

Aqui em casa somos adoradores! Acho que depois de viver por 3 anos no México não tem como não gostar!!! Pimenta nas frutas, no chocolate, até na paleta mexicana. A propósito, aquilo sim é paleta mexicana!!! Voltemos! Gostamos tanto que cada um tem sua Tabasco preferida. A minha é a Chipotle!

Outra coisa sobre chile que aprendi enquanto vivi no México foi a harmonizar a pimenta com a comida (ui, que gourmet! kkkkk), a apreciar o sabor de cada pimenta e não apenas o seu ardor. Para mim, não tem pimenta melhor que a Cumari do Pará para acompanhar peixes. Já não consigo comer outra pimenta. Prefiro meu peixe sem!

Foi assim que cheguei nesta receita tão fácil. É uma conserva de pimentas, mas temperada, com sabor de ervas e especiarias. Eu gosto. Meu amigo Jorge também gostou! Teste você também e crie a sua própria versão!!

Saiba, ainda que a pimenta, por ser um alimento termogênico (que aquece nosso organismo) ajuda a emagrecer, controla a vontade de consumir carboidratos, é boa para os dentes e está carregada de vitaminas C e E. Mas consuma com moderação! Muita pimenta pode afetar o sistema digestivo e causar queimação das mucosas.

Vinagrete de Pimenta (Rende 2 litros)

Aproveite o sabor das pimentas!

Aproveite o sabor das pimentas!

Ingredientes:

2 cebolas médias cortadas em 4 (cerca de 300gr)

1 cabeça de alho (cerca de 10 dentes, 80gr)

2 colheres de sopa de azeite de oliva

500gr de mix de pimentas (eu usei jalapeño, dedo de moça, malagueta, pimenta de bode, habanero)

5 ramos de alecrim, somente as folhas

500ml de vinagre de maçã

300ml de azeite extra virgem

1 colher de chá de sal

pimenta do reino a gosto

5 anis estrelado

Utilize um mix de pimentas para ter mais sabor e menos ardor!

Utilize um mix de pimentas para ter mais sabor e menos ardor!

Modo de Preparo:

Atenção: Se você nunca trabalhou com pimentas é importante usar luvas descartáveis de látex, e proteger a boca com uma máscara.

Em um processador de alimentos pique a cebola e o alho bem triturados. Aqueça o azeite de oliva em uma panela e junte a cebola e o alho. Deixe refogar em fogo baixo por 10 minutos. Queremos que fique bem suave e a cebola comece a adocicar para neutralizar o ardor da pimenta.

Enquanto isso vamos ao trabalho pesado! Corte as pimentas ao meio e, usando luvas, esfregue-as entre as mãos para retirar as sementes e as veias. Grande parte do ardor esta nas sementes. Por isso, aconselho que retire-as e, se necessário junte ao refogado depois. Eu usei apenas as sementes da jalapeño, pimenta de bode e algumas da dedo de moça. É um trabalho chato e cuidadoso, mas valerá a pena no final! Nesta etapa, evite encostar comas mãos em qualquer parte do corpo pois o óleo que as pimentas soltam podem queimar de leve a pele. Evite respirar diretamente sobre as pimentas também. É… as bichinhas são danadas!

Deixe as pimentas pedaçudas...

Deixe as pimentas pedaçudas…

No mesmo processador de alimentos pique grosseiramente as pimentas em partes.  Junte-as ao refogado de cebola, acrescente o alecrim e deixe cozinhar por mais 10 minutos, mexendo para que não queime. Se necessário junte um pouquinho mais de azeite.

Quando a cebola já estiver avermelhada e o refogado começar a querer grudar no fundo estamos prontos. Desligue o fogo e acrescente o vinagre, o azeite, o sal e a pimenta do reino.

Coloque, ainda quente em vidros previamente esterilizados. Eu fiz 5 vidros e em cada um coloquei um anis estrelado.

Deixe marinar em local seco e escuro, de preferência, por 30 dias.

DICAS:

  1. Caso queira fazer uma quantidade menor apenas divida os ingredientes e diminua o tempo de cocção;
  2. Sempre que consumir este molho, complete o vidro com pelo menos 1 dedo de azeite acima da mistura e não precisa guardar na geladeira;
  3. Outros temperos, como tomilho ou louro, podem ser usados. Não use ervas frescas que contenham muita umidade tais como salsinha, coentro ou manjericão. Podem ser secas, ao invés.
  4. Que tal presentear seus convidados? Coloque a pimenta em potinhos de geléia e dê aos seus convidados ao final da feijoada!
Que delícia de lembrancinha para os convidados!

Que delícia de lembrancinha para s convidados!

Ardência de pimentas consumidas no Brasil

Tipo de Pimenta Pungência (SHU*)
Pimenta de Bico ou Biquinho 0
Cambuci ou Chapéu-de-frade 0
Jalapeno 37.000
Dedo-de-moça 46.000
Pimenta de Bode 53.000
Pimenta de Cheiro 94.000
Malagueta 164.000
Cumari-do-pará 210.000
Murupi 223.000

Independência ou… Moqueca?

Claro que eu escolheria moqueca e comeria até morrer para não ficar na mão dos portugueses!!!

Ainda estou naquela fase down. Não deveria nem chegar perto do fogão… Mas se eu não fizer isso o que vou fazer? Ir ao shopping deprimida? Meu marido me mata e depois me faz passar a maior vergonha devolvendo tudo o que comprei! hahaha Brincadeirinha só prá deixar o posto mais animadinho! Ele é um anjo!

Pensei, sim, em cozinhar, mas ainda estava sem muita inspiração. E como hoje é o feriadão da Independência no Brasil pensei em algo para homenagear nossa Pátria tão querida! Feijoada, nem pensar. Não teria tempo hábil… Pão de queijo, já tenho um montão no freezer… Arroz com feijão é a comida de todo dia aqui em casa. Então que tal uma moqueca? Excelente idéia já que o clima aqui no D.F. anda pedindo algo hearty!

Comecei a separar meus ingredientes e vi que só tinha um pouquinho de azeite de dendé. E azeite de dendê é o único ingrediente que não encontro por aqui. Disso não proclamarei minha independência… Valeria a pena gastá-lo? Ai que dúvida. Caí em depressão novamente!… E por que não deixá-lo de fora e preparar uma moqueca capixaba? Nem pensar! Moqueca prá mim tem que ter dendê. Gosto é da baiana!

Então vamos a luta, filhos da Pátria! Vocês verão com quanto dendê se faz uma moqueca! (Pelo menos para 1 porção alcança!)

Moqueca Baiana da Independência (Para 2 pessoas)

300 gr de peixe em posta (eu usei cação, mas sugiro badejo ou robalo, também)

200 g de camarão limpo (se você for limpa-los guarde as cascas para fazer caldo)

1 limão

2 dentes de alho

1/2 maço de coentro (eu adoro, se você não gostar substitua por salsa. O importante é ficar bom prá quem vai comer!)

1/2 maço de cebolinha verde

1 pimentão vermelho (gosto do vermelho pelo sabor adocicado, mas pode ser verde, amarelo (azul e branco!…) cortado em rodelas

2 tomades maduros cortado em rodelas

1 cebola cortada em rodelas

100 ml de leite de coco

1 colher de sopa de azeite de dendê

Sal e pimenta do reino a gosto

1 folha de louro

100 ml de caldo de peixe ou camarão (você pode pedir ao seu peixeiro para te dar as aparas de peixe e a cabeça para fazer o caldo. Fica divino!)

Esfregar bem o peixe e os camarões com o limão. Reservar. No liquidificador bater o alho, sal (a gosto), 1/4 do maço de coentro e a cebolinha e um pouco do leite de coco. Cobrir o peixe com esta marinada e descansar por 30 minutos.

Em uma panela de fundo grosso colocar o azeite de dendê, metade dos tomates, metade da cebola e todo o pimentão. Colocar por cima as postas de peixe e os camarões. Terminar com o restante dos tomates e cebolas. Colocar a folha de louro e regar com o leite de coco e o caldo de peixe.

Deixe ferver. Tampe e cozinhe em fogo lento por 15 minutos. Corrija o sal e a pimenta. Colocar por cima o restante do coentro picado e servir com arroz branco e pirão. Eu, particularmente, gosto de servir com farinha de mandioca torrada e fazer meu próprio pirão com o caldinho!

Ah!… Independência ou Morte!

Quase me esqueço de dizer que adoro colocar uma pimentinha neste prato maravilhoso. Mas deixo ao gosto do freguês! Prá mim, a pimenta Comari do Pará é a que combina melhor com peixe! Esta veio de contrabando numa malinha!…