Amigo Secreto do #ColetivoGastronômico [Risoto Festivo de Espumante, Aspargos e Castanhas Portuguesas]

Este será o último post do ano do nosso delicioso #ColetivoGastronômico. Já se passaram 6 meses desde a nossa primeira postagem coletiva. Nossa! Quanta coisa boa nos aconteceu desde então.

Claro que as festas de final de ano não poderiam ficar de fora do post deste mês. Mas queríamos fugir da tradicional postagem “Receitas Natalinas” até porque a blogosfera está saturada com estes posts e é o que vemos nos sites de gastronomia nesta temporada. Queríamos inovar. Foi aí que a Carol, do Cozinha Autoral, teve a melhor idéia de todos os tempos: Faríamos um amigo secreto e o presente seria uma receita que homenageasse o blog do amigo sorteado! Que lindo. O melhor presente que alguém poderia receber. Feito personalizado para você. Vindo do coração de alguém que compartilha a sua mesma paixão! ❤

E ainda com a surpresa de que ninguém saberá quem tirou quem até todos os posts serem publicados! [Enquanto escrevo estou até com palpitações tentando controlar a ansiedade! 🙂 ]

E na hora do sorteio os astros estavam alinhados a meu favor. Fui sorteada com a pessoa que se tornou uma grande amiga, uma grande apoiadora dos meus trabalhos. Que me mostrou um carinho grandioso todas as vezes que nos encontramos. E, a cada dia, uma amizade que antes era apenas virtual, vai se fortalecendo muito.

Eu tive várias idéias de receitas, mas escolhi uma especial que foi a primeira homenagem que recebi vindo de seu blog. Seu marido não gostava de risotos, mas ao comer o risoto que preparo nos meus potinhos disse que se apaixonou (pelo risoto, não por mim 😉 ).

E por isso pensei na melhor receita de risoto que eu pudesse preparar para esta celebração, pois daqui a algum tempo, o Douglas não precisará mais consumir os risotos do Cook it*. O Dafne estará expert e fará os risotos com o mesmo amor e carinho como eu preparo os meus!

Queridos Amigos Dafne e Douglas, esta é a minha homenagem para vocês!

Risoto Festivo de Espumante, Aspargos e Castanhas Portuguesas (Serve 4)

Uma homenagem a quem me homenageou muito durante todo o ano!

Uma homenagem a quem me homenageou muito durante todo o ano!

A delicadeza deste prato se reflete na composição da mesa

A delicadeza deste prato se reflete na composição da mesa

Ingredientes:

50gr de aspargos (escolha os mais finos que são mais tenros e menos fibrosos)

50gr de castanhas portuguesas cozidas e descascadas  (ver DICAS)

2 colheres de manteiga sem sal

1 dente de alho picado finamente

1/2 cebola picada finamente

220gr de arroz arbóreo ou carnarolli

1 raminho de alecrim

100ml de vinho espumante

750ml de água ou caldo de frango (ver DICAS)

1 colher de chá de sal

1 pitada de pimenta do reino

Aproveite a temporada para utilizar os produtos da estação.

Aproveite a temporada para utilizar os produtos da estação.

As castanhas se abrem facilmente ao serem cozidas e devem ser descascadas ainda quentes.

As castanhas se abrem facilmente ao serem cozidas e devem ser descascadas ainda quentes.

Modo de Preparo:

Corte o talo dos aspargos em fatias de aproximadamente 1 cm de espessura reservando as pontas para a decoração do prato, aproximadamente 5 cm. Coloque uma panela com abundante água para ferver e acrescente 1 colher de chá de sal. Assim que ferver mergulhe rapidamente as pontas dos aspargos para branquear. Retire e mergulhe em um banho de água com gelo para cortar o cozimento. Lembre-se: aspargos devem ser consumidos crocantes e não moles.

Pique as castanhas portuguesas reservando 4 inteiras para a decoração do prato.

Em uma panela com capacidade para 2 litros aqueça 1 colher de manteiga e acrescente a cebola e o alho picado. Refogue por 1 minuto e junte o arroz, os talos dos aspargos picados e o ramo de alecrim. Refogue, mexendo sempre, até que o arroz esteja todo coberto pela manteiga. Junte o espumante e deixe cozinhar por 1 minutos até que o álcool evapore.  Acrescente o caldo e deixe levantar fervura. Assim que ferver, tempere com sal e pimenta, abaixe o fogo e cozinhe por 18 minutos mexendo ocasionalmente.

Pique as castanhas reservando 4 unidades inteiras para a decoração do prato. Faltando 1 minuto para a finalização do cozimento acrescente as castanhas. Desligue o fogo e junte 1 colher de manteiga restante e incorpore bem mexendo com cuidado.

Sirva em seguida decorando o prato com as pontas de aspargos e a castanha portuguesa.

Abra um delicioso espumante bem gelado e brinde à vida, às amizades! Felizes Festas!

Um brinde ao Meu Amigo Secreto!

Um brinde ao Meu Amigo Secreto!

Celebrando a Amizade!

Celebrando a Amizade!

*Cook it é a nova marca no lugar de Flavor Bowl

DICAS:

  1. Utilizei 2 produtos que estão na safra. Assim, além de muito mais saborosos, são mais fáceis de encontrar. Mas caso você não goste de aspargos ou castanhas portuguesas substitua por damascos e castanhas do Brasil;
  2. Para cozinhar as castanhas faça um pequeno corte na pare mais fina e cozinhe em panela de pressão com abundante água por 30 minutos. Desligue a pressão e deixe “parar de chiar” . Abra a panela e mantenha as castanhas na água. Deixe amornar, mas não muito para descascar. A pele sai facilmente se ainda estiverem quentes;
  3. Aqui tem uma dica e receita deliciosa de caldo de frango ou legumes. Se não fizer teu próprio caldo caseiro, prefira usar água e não caldos em cubos que contém muito sódio e sabores artificiais. Este risoto merece um carinho especial!

E abaixo você encontra os outros amigos secretos do #ColetivoGastronômico. Vejam que brincadeira bacana e cada presente delicioso que rendeu!

Descubra quem tirou quem!

Descubra quem tirou quem!

Cozinha Autoral – Amigo Secreto

Na Cozinha da Gertrudes – Amigo Secreto

Panela e Paixão – Amigo Secreto

Mosaico de Receitas – Amigo Secreto

Se Eu fiz Você faz – Amigo Secreto

Brie com Goiabada – Amigo Secreto

Burburinho na Cozinha – Amigo Secreto

Na Boroskinha – Amigo Secreto

Minha Marmita Tem – Amigo Secreto

Better Call San – Amigo Secreto

Inclua Legumes na Dieta em Forma de Chocolate!!! [Cupcakes de Beterraba e Chocolate]

Ontem foi aniversário do meu filhote. Nem acredito… 10 anos. Já é um garotão. Ficamos horas na cama, antes do café da manhã, relembrando os momentos da gravidez, os exames médicos e tudo o que eu comia…

_ ¨Será que é por isso que eu como tanto brócolis, mãe?”

_ “Ah… E você já sabia que eu seria um jogador de futebol pelas bicudas na bariga, né, mãe?”

_ “Zuera mãe, mas eu te amo mais que Clash of Clans…” :\

Acho que é igual com todas as mães, mas para nós o sentimento é singular, como se fosse somente conosco. Eu só tenho um filho, mas imagino que seja assim com as mães de vários também. Cada serzinho desses é único, é uma peça rara neste quebra cabeça que é a vida, que é o nosso mundo! É bom demais…

Na sexta-feira passada, seria o dia de levar bolo para a escola para cantar “Parabéns”. Ele pediu que fossem cupcakes, já que seria mais rápido, “cada um pega o seu e sai correndo; assim dá tempo de jogar futebol”… Logo eu que sou uma catástrofe dos doces?? Comprar?? Que decepção para a criança, dizer que sua mãe é uma cozinheira mas foi na padaria comprar os bolinhos do seu aniversário.

Desafio aceito, resolvi desafiar a molecada, também. Por que não, com a ajudinha do chocolate, botar um pouquinho de saúde nestes cupcakes?? Não sou nada neurótica e acho que cada um tem que comer aquilo que gosta mas me incomoda muito criança que não come bem porque não teve a oportunidade de experimentar.

E lá fui eu para a cozinha. Debaixo da deliciosa cobertura de chocolate por que não um bolinho de beterraba?? É como um bolo de cenoura, só que com beterraba…

Cupcakes de Beterraba e Chocolate (Serve 20 Cupcakes)

Bolo certeiro para um campeão na minha vida!

Bolo certeiro para um campeão na minha vida!

Ingredientes:

200gr de chips chocolate meio amargo ou se usar barra cortado em pedaços pequenos

250gr de beterraba crua ralada

3 ovos grandes, de preferência orgânicos

200ml de óleo de canola, ou outro óleo vegetal

2 colheres de chá de extrato de baunilha

100gr de açucar mascavo (hummm combina perfeitamente com a beterraba!)

100gr de açucar refinado

200gr de farinha de trigo para bolo*

2 colheres de sopa de cacau em pó

2 colheres de chá de fermento

Para a ganache

200gr de chocolate meio amargo picado

200ml de creme de leite (eu usei de soja já que meu filho pediu pois seu melhor amiguinho tem intolerância a lactose)

Sua porção de legumes em forma de chocolate!

Sua porção de legumes em forma de chocolate!

Modo de Preparo:

Pre aqueça o forno a 180 graus.

Coloque o chocolate picado em uma tigela e derreta em banho maria ou no microondas utilizando a potência média e checando a cada 30 segundos e mexendo para que o chocolate não queime. Eu deixei usei chips de chocolate e só quebrei em pedaços menores e usei-os assim. Queria que a galerinha percebesse que o bolo não era bem de chocolate!

No liquidificador bata a beterraba ralada, o óleo, os ovos, a baunilha e os açucares até obter um creme rosa lindo e bem sedoso. Em outra tigela peneire os secos: farinha de trigo, cacau em pó e o fermento. Misture o creme de beterraba e ovos com a farinha até incorporar.

Forre assadeiras para cupcakes com forminhas de papel forneáveis e preencha 2/3 com a mistura de bolo. Eu sempre uso uma colher de sorvete para esta tarefa. Assim, não me perco na medida e os bolinhos saem todos do mesmo tamanho.

Esta linda cor quase púrpura se transformará num bolinho de chocolate marrom clarinho. Ciência na cozinha.

Esta linda cor quase púrpura se transformará num bolinho de chocolate marrom clarinho. Ciência na cozinha.

Leve para assar por 20 minutos ou até que ao inserir um palito de dente no centro dos bolinhos este saia limpo.

Retire a assadeira do forno e transfira os bolinhos para uma gradinha para esfriar.

Para preparar a ganache, misture o chocolate picado com o creme de leite e leve ao banho maria até derreter. Deixe amornar, coloque em um saco de confeiteiro e leve a geladeira por 1 hora para firmar.

Eu nem sei qual o bico que utilizei. Acho que era o estrela e era o único que achei (zero confeiteira!!!). Depois de frios confeite os bolinhos com a ganache de chocolate.

Fui buscar o meu filho na escola e retirar o que sobrou. Nem lixo para contar a história do aniversário! 😉

Bolo malhadinho com pedacinhos cremosos de chocolate!

Bolo malhadinho com pedacinhos cremosos de chocolate!

DICAS:

  1. * Para fazer sua farinha de bolo: para cada xícara de farinha de trigo, substitua 2 colheres de sopa de farinha contida na xícara por amido de milho. Isto te dará um bolo mais leve e fofo porque conterá menor quantidade de glúten;
  2. Se quiser disfarçar mais a cor do bolinho, derreta o chocolate e misture no liquidificador com os demais ingredientes. Deixe o liquidificador funcionando e acrescente em forma de fio para que o chocolate não endureça de uma vez;
  3. A outra metade dos bolinhos foi de laranja com cenoura e cobertura de ganache de chocolate branco. A turma ficou em dúvida de qual era o melhor!! 🙂 ❤

Amor com Comida se Paga! [Casquinha de Siri]

Sou uma grande chantagista quando o assunto é comida. Eu sei que é péssimo. Mas sou assim! E meu filho herdou isso de mim. A sorte é que ele só me pede coisas boas! Chantagem saudável. Chantagem do bem! 😉

Vocês se lembram daquela salada linda e cheia de amor que o meu filhote preparou para mim há uns tempos atrás? Então. Eu sabia que não ficaria barato. O pequeno veio estes dias dizendo que estava com saudades da praia… do mar… do surf… e da casquinha de siri da barraquinha. Mas não exatamente daquela que ele comeu por lá que não era tão boa quanto a minha… E que ele tinha feito uma salada tão deliciosa outro dia aí no jantar, que merecia que eu realizasse o seu pedido!

Não estou dizendo que a chantagem é do bem? Ou estou criando um monstro? Mas pedindo assim, quem resiste?

Estas foi uma das receitas que aprendi com a minha mãe. Na casa dela, casquinha de siri era comida de Ano Novo. Todos os anos, lá na Praia Grande, a entrada da grande Ceia era a deliciosa casquinha. Mas como éramos sempre um batalhão eu me lembro que ela batia no liquidificador leite de coco com pão de forma para engrossar o caldo – e aumentar o rendimento!

A minha versão, ao contrário, serve o suficiente para 4 pessoas e vai quase nada além da carne de siri.

E já vou avisando que é uma opção para qualquer dia. Não precisa esperar pelo Reveillon para se deliciar nem por uma boa chantagem! 😉

Quem sabe para a Sexta Feira Santa esta não seja a entrada ideal?

Casquinha de Siri (Serve 4)

 

Para que esperar pelo Reveillon para se deiciar

Para que esperar pelo Reveillon para se deliciar

Ingredientes:

1/4 de xícara de azeite de oliva

2 colheres de sopa de azeite de dendê

1 cebola picada finamente

2 dentes de alho picados finamente

1 pimenta dedo de moça picada finamente (opcional)

500gr de carne de siri limpa (eu uso a congelada da marca Santa Luzia, quando não encontro fresca na Peixaria N. Sra. de Fátima, do Mercado de Pinheiros)

4 tomates concasse* picado (ou 1 lata de tomate pelado – só o tomate, sem o molho, picado)

1 xícara de leite de coco

1 colher de chá de sal

pimenta do reino a gosto

1/4 de xícara de cebolinha picada

1/4 de xícara de coentro picado

2 fatias de pão de forma triturados

2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado.

Uma coleção de conchas que fui adquirindo através dos tempo. Linda!

Uma coleção de conchas que fui adquirindo através do tempo. Linda!

Modo de fazer:

Em uma panela grande de fundo grosso, aqueça os azeites e refogue a cebola, em fogo baixo, até murchar. Acrescente o alho e a pimenta e frite, mas sem deixar dourar, uns 2 minutos.

Acrescente a carne de siri e refogue até pegar uma coloração branca e rosada. Junte os tomates e o leite de coco e deixe cozinhar por 5 minutos com a panela semi tampada até que o caldo que se formou seja absorvido. Caso você queira a casquinha mais líquida e cremosa cozinhe por 4 minutos. Eu gosto mais sequinha.

Acrescente o sal e a pimenta e prove o tempero. Ao final, junte as ervas e misture bem. Distribua a mistura nas conchas ou ramequins e polvilhe a farinha de pão e o queijo parmesão e leve para gratinar. Sirva em seguida.

DICAS:

  1. A cobertura pode ser feita com farinha de mandioca para quem tem alergia a glúten;
  2. Caso não encontre, ou não goste de carne de siri, camarões bem miudinhos podem ser usados. Fica delicioso!
  3. Já vi por aí umas casquinhas comestíveis feitas de massa de torta! É uma ideia!

* Concassé, vem do francês concasser, que significa  triturar ou moer. Este termo é particularmente aplicado aos tomates, onde o tomate deve estar sem casca e sem sementes e picadas grosseiramente. Para retirar facilmente a pele dos tomates, faça um X na parte de baixo e mergulhe-os por 1 minuto em água fervente e depois coloque-os imediatamente em água com gelo para parar o cozimento.

Chantagem de uma terça feira a noite!

Chantagem de uma terça feira a noite!

Uma festa em Jerusalém na minha cozinha

ottolenghiComo uma grande fã do livro anterior de Yotam Ottolenghi,  “Plenty” – inteiramente de receitas vegetarianas –   assim que “Jerusalém” foi lançado fui correndo na Amazon adquirir minha cópia. Ansiosa por sua chegada fiquei imaginando as receitas cheias de aromas do Oriente Médio invadindo a minha cozinha.

Escrito por chefes que cresceram em lados opostos da cidade de Jerusalém,  Sami Tamimi no oriente árabe e Yotam no ocidente judaico, e que deixaram a cidade para viver em Londres, as influências não poderiam ser das mais mescladas. Mas as receitas do livro são tradicionais em Jerusalém, ou inspirada na cidade, reunindo influências  de cozinheiros cristãos, muçulmanos e judeus que vivem por lá, com sabores a partir de vários outros lugares: Irã, Polônia, Síria, Itália. Muitos deles têm longas listas de ingredientes, incluindo especiarias como sumac e za’atar, e são baseadas em muitos legumes e grãos. Grão de bico, cordeiro, berinjela e ovos transformam-se como mágica em cada receita uma e outra vez.

Pesquisando sobre o livro descobri que virou uma grande febre nos Estados Unidos e Inglaterra. As pessoas não estão apenas preparando as receitas do livro, mas criando redes sociais e grupos especiais para discussões e debates e outros cooking their way through it, como a personagem Julie do filme Julie & Julia fez com as receitas do livro de Julia Child. Isso é maravilhoso! Um livro de receitas sendo lido como um romance! E na verdade o é: a cada receita, a cada novo ingrediente somos transportados para uma viagem incrível pelas ruas de Jerusalém, pelos mercados e esquecemos os conflitos na terra sagrada. É inebriante ver, em uma mesma receita, influências de povos tão diferentes, mas tão similares ao mesmo tempo. O alimento aproxima!

Como eu sei que Yottam é um especialista quando se trata de berinjela, fui logo escolher uma receita onde o legume fosse o protagonista. Mas a combinação deste prato foi tão perfeita que já não sei o que se destaca mais dentre os ingredientes. Não importa! O importante foi ter certeza de que, mesmo com tantas diferenças e conflitos em Jerusalém, a mistura funciona e dá certo. O alimento aproxima!

Berinjelas recheadas de Cordeiro e Pinole

 

Perfume do Oriente Médio

Perfume do Oriente Médio

Ingredientes:

4 berinjelas médias  cortadas no sentido do comprimento (eu usei 8 berinjelas japonesas que são menores e mais tenras) IMG_20141117_162227

6 colheres de sopa de azeite

1 colher de chá de cominho moído (eu usei as sementes. Aqueci e moí as sementes no pilão)

1 colher de sopa de páprica doce

1 colher de sopa de canela em pó

2 cebolas médias finamente picadas

500gr de carne de cordeiro moída

50 gr de pinoles

1 colher de sopa de extrato de tomate

3 colheres de chá de açúcar mascavo

150ml de água

1 colher de sopa de suco de limão siciliano espremido na hora

1 colher de chá de pasta de tamarindo

4 paus de canela

Sal e pimenta do reino moída na hora

Modo de Preparo:

Pré-aqueça o forno a 220 graus. Coloque as metades de berinjela, o lado da pele para baixo, em uma assadeira grande o suficiente para acomodá-las sem ficarem amontoadas. Pincele-as 4 colheres de sopa de azeite e tempere com sal e pimenta. Asse por cerca de 10minutos, até dourar. Retire do forno e deixe esfriar um pouco. Caso use as berinjelas maiores asse por 15 minutos.

Enquanto a berinjela está cozinhando, prepare o recheio. Em uma tigela misture o cominho, páprica, e a canela em pó. Aqueça o azeite restante em uma frigideira, junte as cebolas e metade da mistura de especiarias. Cozinhe em fogo médio-alto por 8 minutos, aproximadamente, mexendo sempre, antes de acrescentar o cordeiro, o tomate, 1 colher de chá de açúcar, 1 colher de chá de sal e pimenta do reino. Cozinhe por mais 8 minutos, até que a carne esteja cozida.

Ao restante da mistura de especiarias adicione a água, o suco de limão, tamarindo, o açúcar, os paus de canela e 1/2 colher de chá de sal; misture bem.

Reduza  a temperatura do forno para 190 graus. Despeje a mistura de especiarias e tamarindo no fundo da assadeira que for assar as berinjelas. Recheia as berinjelas com a carne apertando um pouquinho para que não caiam pelas laterais e cubra com papel alumínio. Retorne ao forno e asse por 45 minutos a 1 hora. Na metade do cozimento retire o papel alumínio e regue as berinjelas com o molho, acrescentando um pouco de água se o molho ressecar. Acrescente os pinoles e volte para assar sem o papel alumínio. Ao final do cozimento as berinjelas devem estar completamente macias e o molho espesso. Deixe descansar por 15 minutos antes de servir. Este prato deve ser servido morno ou até mesmo em temperatura ambiente.

Eu servi com coalhada caseira e, para amalgamar ainda mais as misturas étnicas e provar que  é possível viver em paz, o vinho foi o Chateau Musar, do Líbano.

Berinjela Ottolenghui2

Que venha a Paz no Oriente Médio!

Que venha a Paz no Oriente Médio!

Que venha a Paz no Oriente Médio!

DICAS:

  1. Você pode substituir o cordeiro por carne de boi.
  2. Caso não encontre a pasta de tamarindo utilize 1 colher de chá de açúcar mascavo misturado em 1 colher de chá de vinho branco. Isso lhe dará o resultado doce/ácido que necessitamos na receita
  3. Se você gostou desta receita e se encanta com os sabores do Oriente Médio eu recomendo esta receita autêntica de quibe assado com cebolas caramelizadas e o maravilhoso livro “Arabesque” de Caludia Roden.

NOTA:

No Brasil o livro foi lançado pela Editora Panelinha.

E viva a mistura da comida brasileira!

Eu não sou apegada a datas. Nem mesmo o dia em que me casei eu me lembro… Fico sempre tendo que confirmar na certidão de casamento (me casei só no civil e foi por formalidades profissionais. Longa história prá outro blog! 😉 ). Lembro alguns aniversários, mas é tudo. Gosto de celebrar o hoje, o que acontece e me deixa feliz. Gosto de presentear as pessoas porque algo bacana me fez pensar nelas.

Mas hoje, por ser feriado achei que deveria postar uma receita prá fazer com tempo e curtir o dia. E por que não aproveitar para trazer uma receita com história? Afinal, tenho percebido que as pessoas não se ligam mais nos significados das coisas. Isso me deixa triste e pensativa. Parece que estamos vivendo por viver. O “desapega, desapega” foi muito loge. Rs!

Queria fazer uma receita de origem quilombola, em razão do Dia da Consciência Negra. Na verdade, nem gosto do nome deste feriado pois ele está errado. Se estamos celebrando Zumbi dos Palmares e os quilombos (20 de novembro de 1695 é a data de morte de Zumbi), devemos lembrar que os quilombos eram comunidades formados por escravos fugitivos. Dentre eles haviam escravos negros, índios e até brancos – quem não se lembra da Escrava Isaura??? E a data da Abolição da Escravatura, para que serve?

Enfim, chega de história do Brasil e voltemos `a culinária! Como falei, fui pesquisar uma receita que fosse comida nos idos dos séculos XV, XVI, interessante mas ao mesmo tempo fácil e que despertasse o paladar. De nada adiantaria muita  esquisitisse. E me surpreendi com minha tamanha ignorância, pois a comida dos quilombos é muito do que ainda comemos hoje, adaptada pelas missigenações ocorridos nesse mundão de Brasil.

A primeira vez que eu vi a receita de Mafê Griô foi numa reportagem do chef Guga Rocha, que inclusive está estudando a história culinária dos quilombos e vem livro por aí! Com um pouquinho de ajuda do Google – não do Guga! – descobri que é um prato típico de Mali e logo foi adotado pelos senegalês. Foi assim que chegou aqui por estas bandas. No Brasil sofreu várias influências e adaptações, inclusive a minha. Espero que vocês gostem!!! 😉

Mafê de Griô – Cozido de frango com legumes ao molho de amendoim (serve 4 porções)

Cozido delicioso e aromático

Cozido delicioso e aromático

Ingredientes:

1kg de sobrecoxa de frango desossada e sem a pele cortada em pedaços de 4cm

1 cebola grande picada grosseiramente

3 dentes de alho picados grosseiramente

2 colheres de sopa de pimenta biquinho

1 colher de chá de grãos de mostarda

1/4 de xícara de chá de vinagre de vinho branco

sal e pimenta do reino, a gosto

2 xícaras de amendoim sem casca torrado

1 colher de sopa de óleo de amendoim ou qualquer outro óleo vegetal suave

1/4 de passata de tomate

1 litro de caldo de frango ou legumes

100gr de cenouras pequenas cortadas em 4 no sentido do comprimento

200gr de quiabo cortados ao meio no sentido do comprimento

100gr de mandioca cortadas em cubos grandes

100gr de batata doce cortadas em cubos grandes

100gr de abóbora cortadas em cubos grandes

Suco de 1 limão tahiti

Modo de Preparo:

Preparar uma marinada com a cebola, alho, pimenta biquinho, grãos de mostarda, vinagre,  sal e pimenta. Cobrir o frango com estes temperos e deixar na geladeira por 30 minutos.

Marinando...

Marinando…

Enquanto isso prepare a pasta de amendoim. Caso seu amendoim não esteja torrado leve-o ao forno aquecido a 180 graus por 10 minutos mexendo ocasionalmente. Deixe esfriar ligeiramente e processe no liquidificador ou processador de alimentos até obter uma pasta lisa. Reserve.

Retire o frango da geladeira e separe toda a marinada que utilizaremos depois. Em uma panela grande de fundo grosso aqueça o óleo de amendoim e grelhe os pedaços de frango. Acrescente a marinada e deixe cozinhar por aproximadamente 4 minutos até que o vinagre evapore. Junte a pasta de amendoim, a passata e mexa para que se incorpore e forme um molho homogêneo. Acrescente o caldo de frango e deixe ferver. Junte os legumes e cozinhe por 20 minutos ou até que o frango esteja cozido e os legumes tenros.

Caso o molho fique ralo, retire o frango e os legumes e deixe ferver até reduzir e engrossar. Prove os temperos e acrescente o suco de limão. Sirva sobre arroz branco e com pasta de pimenta verde para quem gosta de ver o circo pegar fogo!

Bom feriado!

DICAS:

  1. Você pode usar a manteiga de amendoim pronta, mas que não seja doce.
  2. O frango poderá ser substituído por carne de boi ou cordeiro. Deixe cozinhar por 30 minutos sem os legumes. Acrescente os legumes e cozinhe por mais 20 minutos.