Os Mercados de Accra

Já faz alguns dias que eu escrevi meu ultimo post. Estive ocupada e os sentimentos aqui na Africa ficam aflorados. Inspiração não falta. Falta coragem o suficiente para voltar e reviver alguns deles..

A semana foi cheia de trabalho, o que foi bom. Fiz uma degustação de comida de boteco para o restaurante e foi um sucesso. Merece um post exclusivo. Mas não hoje. Hoje vou falar sobre os mercados locais que visitei. Estes que me deixaram pensando muito. Pensando na vida que é tão similar e tão diferente ao mesmo tempo. Conversando com meu marido e mostrando as fotos ele só disse: “Periferia de Recife”. Mas não. Para mim o sentimento não foi esse. Não sei. Já estive lá e cá. E o cá me impressionou muito…

Os mercados de Agblogboshie e Makola são duas gigantes favelas a céu aberto. Uma das funcionárias do restaurante, A Emília, foi nosso “guia”. Sua avó costuma vender no mercado. Labirintos de vielas com esgoto e pobreza. Gente vendendo, gente comprando. Quiabo, peixe seco, dendê, caracóis, pele de boi, tomate, roupas e o que mais os consumidores estiverem dispostos a comprar.

Andamos por 3 horas e a paisagem não mudava. Às vezes melhorava um pouco, mas sempre essa mesma miséria que estamos acostumados a ver. Mas não a conviver. Essa é a África de verdade. A àfrica que deu origens a nosso povo. Estar aqui me fez entender muito as nossas origens. Queremos fugir para Miami, para a Riviera mas estamos arraigados aqui.

Ao final do dia, que para mim foi um choque, eu estava exausta. Emocionalmente acabada. E as pessoas ao meu redor continuavam a vender e comprar. A comprar e vender. Emília estava feliz. Esta é sua vida, sua cultura. E até entendermos esta cultura seremos o que somos.

Agbo2Agbo3

Agbo1

Agbo10

Agbo15

Agbo11 Agbo9 Agbo8 Agbo7 Agbo6 Agbo5 Agbo4

Agbo13 Agbo12

Agbo14

Agbo16

Dicas para o seu Fim de Semana – 23 a 25/01

Este final de semana está cheio de atividades já que, no domingo, celebra-se o aniversário da cidade! São Paulo que “amanhece trabalhando” comemora 461 anos! Parabéns para a Terra da Garoa! deixo as sugestões de passeios voltados a este tema para os outros blogs…

Da Manga Rosa… 

Foto: Manguinha

Foto: Manguinha

Recebo muitas reclamações porque sou muito “bairrista” nas minhas dicas… Ora bolas! Não sou uma crítica gastronômica que tem que sair atrás de restaurantes pela cidade (ah… como eu gostaria). Por isso, hoje recomendo aqui um bar/restaurante, ou gastrobar como são chamados, no bairro de Moema. O Manguinha, irmão mais novo do Pé de Manga, da Vila Madalena é uma excelente pedida para estes dias de calor. Além da nova carta de coqueteis, desenvolvidos especialmente para a época mais quente do ano, o ambiente é delicioso; tem nos fundos um agradável quintal com mangueiras, jabuticabeiras, romanzeira, mexeriqueira e acerola.

Rua Graúna, 87 – Moema 

Crítica, porém delicada. Ácida, mas sutil. Assim é a Mafalda! 

Sopa?

Sopa?

Para comemorar o final das férias (!) nada mais legal que fazer um programa cultural com a criançada. A exposição “O Mundo Segundo Mafalda” está espetacular! Até quem não conhece a personagem porteña de Quino, vai se deliciar com as tirinhas inteligentes e a montagem impecável da mostra, que está na Praça das Artes. Tem cenários, espaço para as crianças criarem suas próprias tirinhas, tirinhas interativas até um painel bem bacana com a declaração universal dos direitos da criança

E depois, para matar a fome, sugiro um super Bauru do Ponto Chic que fica logo virando a esquina, no Largo do Paissandu!

Avenida São João, 281 – Centro

Largo do Paissandu, 27 – Centro

Menu  de Estrelas 

Foto: Marcelo Ktsuki

Foto: Marcelo Katsuki

Alguém aqui já ouviu falar no restaurante O Leão Vermelho? Pois deveriam. É um lugar que parece não existir. Terra de gnomos e duendes, cheio de misticismo e regido pelas fases da Lua! O restaurante tem apenas 1 mesa e todo o serviço desde o atendimento até o tchau final é feito pelo chef! Gabriel Vidolin, bem treinado nas cozinhas do El Bulli, Mugaritz e D.O.M. receberá em seu esconderijo secreto (o endereço só é revelado horas antes do jantar – só sabemos que fica a 220km de São Paulo, em São José da Boa Vista) o cozinheiro Léo Gonçalves, famoso no Instagram para preparar um menu “Somos Um Céu Cheio de Estrelas”. Para quem está a fim de um fim de semana fora da cidade e com muita poesia, existencial, diferente de tudo o que você já deve ter visto, recomendo se apressar pois o jantar é concorrido e, na mesa, só cabem 4 pessoas!

São João da Boa Vista, SP – Tel.: (19) 3633-3514 ou (19) 3622-2286

Espaço MUDA no Shopping Vila Lobos 

Foto: MUDA

Foto: MUDA

Prometi que não daria dicas para comemorar o aniversário da cidade porque está cheio de outros canais fazendo isso, mas eu garanto que este programa você não tinha ouvido falar em nenhum outro lugar.

No domingo, 25/01, o Espaço MUDA de Cultura Orgânica realiza uma vivência gastronômica na Feira de Orgânicos do Shopping Vila Lobos. Serão apresentadas receitas e ingredientes típicos do município de São Paulo. Ministrada pela historiadora e culinarista do movimento Slow Food, Maria Helena Caldas, a atividade comemora os 461 anos da cidade e terá pratos típicos de São Paulo, em versões vegetarianas e saudáveis.

Acontece as 10:30h, mas a feira de orgânicos está montada a partir 7h até as 12h.

Av. das Nações Unidas, 4.777, Alto de Pinheiros, São Paulo

Dicas para o Seu Fim de Semana – 12 a 14/12

Ainda falta pouco mais de 1 uma semana para o Natal e já comi todos os perus, pernis, panettones e bebi todos os espumantes e cidras que eu esperava!!! Todo ano é igual…

Se você também está assim, que tal umas dicas um tanto quanto fora do circuito natalino para este fim de semana?

Harmonização de Cervejas no Tuju

O passarinho da Mata Atlântica de hábitos noturnos

O passarinho da Mata Atlântica de hábitos noturnos

O restaurante Tuju, do novo queridinho dos gourmets e foodies de São Paulo, o chef Ivan Ralston, está com um menu degustação harmonizado com as cervejas Mikkeller. Esta cerveja, conhecida por “não ter pátria” combinou perfeitamente com os 10 pratos de comida contemporânea brasileira, preparados com produtos orgânicos do Estado de São Paulo e apresentados com grandes toques de criatividade!

Vale muito a pena degustar este menu! Logo, logo vou escrever sobre este restaurante aqui. Mas corram! O menu fica disponível até o dia 21/12 e as reservas esgotam rapidinho!

Rua Fradique Coutinho, 1248 – Pinheiros, São Paulo

Feira de Orgânicos no Shopping Villa Lobos

feira de organicos

O tema deste domingo é sobre leites vegetais

No próximo domingo (14), a partira das 10:30h o Espaço MUDA de Cultura Orgânica recebe a oficina “Leites vegetais e orgânicos, seus sabores e benefícios para uma vida mais saudável”, com a Dra. Luiza Savietto, nutróloga e representante do projeto Nutri Ohm. Semana passada a nutricionista e chef de cozinha Bela Gil participou da feira e o bate bato foi sobre azeites. Foi uma manhã deliciosa!

Além das oficinas a feira funciona normalmente de 7 as 13h com opções orgânicas distribuídas em 13 barracas, onde é possível encontrar legumes, hortaliças e verduras frescas, castanhas, temperos, molhos de tomate e produtos prontos como chás, bolos, pães, sorvetes, açaí congelado, suco verde e geleias. No espaço também há um café para você desfrutar de comidinhas 100% orgânicas com diversas opções saudáveis.

Av. das Nações Unidas, 4.777, Alto de Pinheiros, São Paulo 

Vinhos, Café e Água para degustação

Casa da Travessa

Casa da Travessa

Você já conhece a Casa da Travessa? É um lugar muito bacana, multiuso para cursos e eventos de gastronomia e arte. Um sobrado dos anos 20 que foi totalmente restaurado. E ganha este nome charmoso por ficar em uma travessinha em Perdizes! Quanto capricho!

No próximo sábado, dia 13, a partir das 14 horas, será realizado o Wine Day que será uma degustação com mais de 150 rótulos de vinhos de várias partes do mundo e todos esses rótulos estarão a venda a preços bem convidativos. Apesar do nome, o evento contará também com degustação de cafés Nespresso e da Gota Water, água mineral premium extraída de uma perfuração de 80 metros de profundidade. Os ingressos para o evento custam R$ 50,00 e podem ser adquiridos aqui.

Rua Estevão de Almeida, 40, Perdizes, São Paulo

Agora algumas dicas culturais, já que GASTRONOMIA É CULTURA!

Coral na Pinacoteca

O Coral Fundap – Fundação do Desenvolvimento Administrativo – sob a regência do maestro Cesar Cerasomma, fará uma apresentação, neste sábado, dia 13/12, às 11 horas na Pinacoteca do Estado. O repertório contará com canções da Ópera do Malandro de Chico Buarque.

Praça da Luz, 2 – Luz, São Paulo

Bachianas Brasileiras

Foto: Sala São Paulo

Foto: Sala São Paulo

Sob a regência de Marin Alsop, Hilo Carriel e com Lukas Vondrácek ao piano, a OSESP encerra a temporada de 2014 com uma programação incrível. Com duas apresentações na Sala São Paulo, hoje as 21 horas e amanhã, dia 13, as 16:30  horas e preços iniciando em R$ 36,00, apresentam as Bachianas Brasileiras nº2 de Heitor Villa Lobos. Essa dica é prá não perder! Saia correndo da Pinacoteca e vá direto para a Saça São Paulo! 😉

Praça Julio Prestes, 16, Luz, São Paulo

Hashtag Eu Como Cultura

Na semana passada o chef de cozinha Alex Atala publicou um vídeo que causou uma grande comoção na comunidade gastronômica brasileira. No vídeo, que você pode ver abaixo, em 44 segundos, ele pede o apoio da população para aprovação do Projeto de Lei 6.562/2013 que tramita no Congresso.

Para que todo mundo entenda do que se trata em linguagem não “juridiquês” vou rapidamente explicar: A lei 8.313/91, conhecida como Lei Rouanet, tem como objetivo promover, proteger e valorizar as expressões culturais nacionais por meio de incentivos fiscais. Ou seja, com a lei projetos culturais podem receber patrocínios e as empresas e também pessoas físicas podem se beneficiar descontando do imposto de renda.

E por quê o alvoroço todo?… Ninguém entendeu porque uma figura tão ilustre nesse meio foi se meter com política e governo, ainda mais com uma lei que gera muita discordância na aplicação dos recursos e que já deu pano prá manga,  como o caso do filme “Chatô, o Rei do Brasil” que recebeu recursos da lei e nunca foi concluído (está em filmagem desde 1995…). A resposta ele deu hoje em uma coletiva de imprensa bem esclarecedora!

Tiago Medalha, Beto Ricardo, Alex Atala, Roberto Smeraldi - Instituto ATA

Thiago Medaglia, Beto Ricardo, Alex Atala, Roberto Smeraldi – Instituto ATA

Existe no Congresso esse projeto de lei que altera a redação original da lei para incluir em sua redação a gastronomia como ato cultural brasileiro. A lei reconhece artes cênicas, artes plásticas, conservação de patrimônio, circo, dança, publicação de livros, dentre outros, como manifestações culturais, mas a gastronomia está fora desta lista.  Este projeto de lei pede a inclusão de “eventos, pesquisas, publicações, criação e manutenção de acervos relativos a gastronomia.” no texto da lei.

“Agrobiodiversidade não quer dizer nada da boca prá fora, mas significa muito da boca prá dentro!”

Bem… o problema é mais embaixo, pois por um lado a lei beneficiaria a inclusão de social de muitos produtores que tentam manter viva culturas alimentares quase extintas no país, como o caso dos Quilombos, ganharia força para incluir a gastronomia e o estudo dos alimentos nas escolas, etc. Mas por outro lado deixa livre a possibilidade de grandes empresas da área obterem recursos financeiros para “lançamentos” gastronômicos. É o outro lado da moeda. Infelizmente “no pain, no gain”.

Mas Alex e seus companheiros de batalha nesta empreitada deixaram muito claro e em bom tom, que o intuito não é, a primeira vista, vislumbrar o benefício financeiro decorrente da aprovação do projeto de lei, mas a inclusão da gastronomia como manifestação cultural. Optaram pelo projeto de lei, pois a inércia é um grande empecilho no país e sair do nada e conseguir algo é longo e muitas vezes doloroso. Assim, aproveitaram esta carona.

“A conhecer a cadeia do alimento é o elo para a proteção dos biomas.”

Eu, como a grande maioria que estava no subsolo do restaurante Dalva e Dito esta manhã, esperamos, sinceramente esta atitude do Instituto ATA. E esperamos que se façam cumprir promessas ali feitas como:

  • Incluir a gastronomia nas escolas;
  • Iniciar uma luta contra a legislação de químicos na agroindústria;
  • Desenvolver e mapear os biomas brasileiros;
  • Aproximar o homem com o alimento através de acervos da gastronomia, dentre tantas outros…

Ojalá, este não seja o primeiro passo para elevar a gastronomia brasileira ao patamar de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, reconhecido pela UNESCO, assim como, em 2010, aconteceu com a culinária mexicana! Este prazer eu tive de perto! 🙂

#eucomocultura #gastronomiaehcultura

#eucomocultura
#gastronomiaehcultura

Se você gostaria de apoiar esta causa, é bem simples: basta assinar o documento na folha timbrada que você imprime aqui, e enviar pelo correio, deixar no restaurante Dalva e Dito, ou me avisar que eu retiro onde voei estiver. A sua assinatura vale muito e o futuro agradece!

“A natureza desconhece uma fronteira geopolítica.”