O último prato do ano #ColetivoGastronomico [Salmão em envelope de Massa Folhada]

Já faz um tempo que não escrevia por aqui… A vida é um eterno aprendizado de adaptações. E por isso que é tão deliciosa de ser vivida! Uma montanha russa, um sobe e desce. Embarca neste carrinho quem quer sentir no rosto o vento delicioso da emoção e o frio na barriga da ansiedade.

Estes meses que se passaram voando estive ausente por um bom motivo. O motivo que hoje me move profissionalmente: Cook it! A empresa cresceu e como um filho que começa a dar seus primeiros passos a orientação dos pais é fundamental. E é ali que eu estive. Deixei um pouco de lado a minha paixão pelas letras e escritas, pois este filho aqui já ganhou um pouco de independência e hoje trilha seus caminhos!

mailmarknatal3

E como imaginava que talvez este seria a última oportunidade de desejar Felizes Festas para vocês, meus queridos leitores, embarquei no projeto do #ColetivoGastronômico deste mês e resolvi fazer uma receita deliciosa e muito propícia para a Ceia de Natal!

Muito obrigada por me acompanhar por este ano inteiro. E não se preocupe; 2017 está cheio de novidades e delícias. Nos vemos em breve!

Salmão em envelope de Massa Folhada (Serve 4)

salmao7

Ingredientes:

1 filé de salmão, de preferência do Alasca (eu usei Alaska Seafood), de aproximadamente 1 kg

1 colher de sopa de manteiga

2 maços de alho poró, cortados finamente

2 raminhos de tomilho

sal e pimenta do reino o quanto baste

1 lâmina de massa folhada descongelada (eu uso massa pronta Arosa)

1 gema de ovo para pincelar

Modo de Preparo:

Aqueça o forno a 190 graus.

Em uma panela ou frigideira aqueça a manteiga e refogue o alho poró, em fogo baixo, até ficar macio, quase translúcido, cerca de 6/7 minutos, mexendo ocasionalmente. Tempere com sal, pimenta e o tomilho e reserve.

salmao1

Abra o filé de salmão ao meio cortando pela lateral mas sem separá-lo em duas partes. Apenas para rechear.

salmao2

Em uma assadeira forrada com papel alumínio coloque a massa folhada, previamente descongelada conforme as instruções da embalagem. Coloque o filé de salmão no centro da massa e recheie com o alho poró reservado.

salmao3

salmao4

Dobre a massa como um envelope deixando as dobras para baixo. Pincele com gema de ovo e em seguida faça cortes leves sobre a massa para marcá-la.

salmao5

Leve ao forno e asse por aproximadamente 35 minutos ou até que a massa esteja bem folhada e dourada. Sirva imediatamente, cortando em fatias com auxílio de uma faca de serra para não desmanchar a massa.

salmao6

Um brinde a Paz, ao Amor e a Felicidade!

salmao8

DICAS:

  1. O recheio pode ser feito com espinafre refogado ou aspargos colocados enfileirados;
  2. Envelopes individuais também dão um charme extra a este prato!

Para mais receitas deliciosas visite os blogs participantes do #Coletivo Gastronômico

img-20161216-wa0022

Cozinha da Gertrudes

O que temos hoje, Elisa?

Azeitonas Temperadas

Na Cozinha da Carina 

O Tempero da Vida #ColetivoGastronômico [Cordeiro com Purê de Berinjela]

Adorei quando o tema da receita do mês do #ColetivoGastronômico foi escolhido. Comida de Cinema ou Série de Tv. Fico realmente apaixonada por filmes com envolvimento culinário. A Festa de Babette, Cheiro de Papaia Verde, Vatel, Chocolate, são alguns dentre muitos filmes que me deixaram grudada na tela do cinema e me fizeram pensar na vida como um grande banquete.

E eu escolhi um filme, que talvez muitos de vocês não conheçam. O Tempero da Vida, 2003, um filme greco-turco com uma história de vida lindíssima e tocante.

O filme retrata a história de uma família de gregos que vive em Constantinopla, na Turquia, mas é expulsa de lá e retornam a seu país de origem. Assim, o herói de nossa história, Fanis, crescerá, se tornará um grande cozinheiro e, 35 anos depois retornará a sua cidade natal.

O Tempero da Vida trata dos cheiros da memória, das lembranças da infância, do sabor e do perfume dos almoços nas casas dos avós. Daquele gosto nunca mais encontrado em outra época u em outro lugar… Usando a comida para falar de temas e sentimentos universais, o filme ainda consegue abordar a conturbada relação entre turcos e gregos, mostrando por meio da culinária as semelhanças entre as duas culturas de forma tão sutil quanto um inesperado toque de canela no preparo de simples almôndegas.

É um filme de partidas e retornos, despedidas e saudades, mas também de cheiros e cores, de sabores inusitados que nos deixam encantados. E de amor. Pela culinária, pelo país que o expulsou, por aquele que o acolheu, pela comida que une a todos no melhor e no pior. E como seria a culinária sem a presença dos temperos? Para o personagem marcante do filme, ela não teria o menor sentido. “Sem o perfume e o sabor das especiarias nenhuma receita pode revelar seu potencial espiritual”

Cordeiro com Purê de Berinjelas (Serve 4)

"Cheiros da Memória, Lembranças da Infância, Sabor e Perfume da Casa dos Avós"

“Cheiros da Memória, Lembranças da Infância, Sabor e Perfume da Casa dos Avós”

Ingredientes:

Para o Cordeiro:

3 colheres de sopa de azeite de oliva

700g de carne de cordeiro, preferencialmente pernil, em cubos (eu usei Quirós Gourmet, que para mim é a melhor!)

1 cebola pequena picada

2 dentes de alho

1 e 1/2 xícara de tomate pelado picado, com o suco

500ml de caldo de carne

5 galhos de salsa

5 ramos de tomilho

1 folha de louro

2 cravos da India

1 pau de canela

Sal e pimenta do reino a gosto

Para o purê:

2 berinjelas grandes

suco de 1 limão

2 copos de água

80g de manteiga

5 colheres de sopa de farinha de trigo

350ml de leite

120ml de creme de leite fresco

Sal e pimenta do reino a gosto

1/2 xícara de queijo gruyere ralado

Modo de Preparo:

Vamos começar por assar as berinjelas. Eu gosto de fazer na boca do fogão. Ficam queimadinhas e com um sabor de defumado delicioso. É só colocá-las direto na chama e deixar e “queimem”, virando todos os lados. Mas você pode embrulhar em papel alumínio e assar por 1 hora em forno alto, 200 graus.

Berinjelas vão à mesa todos os dias nas culinárias grego-turca

Berinjelas vão à mesa todos os dias nas culinárias grego-turca

Assim que estiverem assadas coloque-as em uma assadeira e deixe esfriar para poder manusear.

Então vamos á carne. Em uma panela grande que possa ir ao forno, aqueça o azeite e doure os cubos de carne até ficarem bem escuros. Junte a cebola e o alho e continue refogando por uns 5 minutos. Acrescente os tomates, o caldo de carne, as ervas e as especiarias. Deixe ferver e reduza o fogo ao mínimo e cozinhe por 1 hora ou até que a carne esteja bem macia. Você também pode fazer esta preparação no forno, a 190 graus.

O toque das especiarias perfumam toda a casa...

O toque das especiarias perfumam toda a casa…

Assim que as berinjelas estiverem frias descasque-as, retirando toda a pele e coloque em uma tigela com água e o suco do limão. Deixe de molho por 20 minutos. Retire da água e esprema bem para retirar todo o excesso de líquido. Pique-as em pedacinhos.

Macias e suculentas berinjelas...

Macias e suculentas berinjelas…

Em uma panela aqueça a manteiga e junte a farinha, mexendo sempre e cozinhe por 2 minutos em fogo baixo. Este é o roux muito utilizado para engrossar e base do molho bechamel. Adicione aos poucos o leite e mexa para não formar grumos. Junte a berinjela e deixe cozinhar por 5 minutos em fogo baixo. Junte o creme de leite e mexa até incorporar e os pedaços de berinjela se desfaçam no molho. Acrescente o queijo ralado e tempere com sal e pimenta.

Creme de queijo aveludado que abraçará toda a maciez da berinjela!

Creme de queijo aveludado que abraçará toda a maciez da berinjela!

Assim que a carne estiver macia, retire as ervas e especiarias do molho e sirva sobre o purê. Iyi Iştah

Conforta corpo e alma. É alimento para o coração <3

Conforta corpo e alma. É alimento para o coração ❤

E agora, pegue a pipoca e ligue a TV. Assista aos filmes indicados e anote as receitas!

Pegue a pipoca, ligue a TV e anote tudo no caderno de receitas!

Pegue a pipoca, ligue a TV e anote tudo no caderno de receitas!

Cozinha da Gertrudes – Sopa de Cebolas da Sra. Weasley – “Harry Potter”

O que temos hoje, Elisa? – Mississipi Mud Pie – “Histórias Cruzadas

Azeitonas Temperadas – Strudel de Maçã – “A Noviça Rebelde”

Better Call San – Torta de limão – “A Menina de Ouro”

Na Cozinha da Carina – Ratatouille – “Ratatouille”

Menu Criativo – Creme Brulee – “Amelie Poulain”

1 Ano de #ColetivoGastronômico [Bolo Celebração]

Já se passou 1 ano desde um delicioso piquenique, uma feijoada abastada e a decisão muito bacana de um grupo de blogueiros formar o #ColetivoGastronômico.

Coletivos estão na moda. É a tendência! Cada vez mais o esforço individual dá espaço para um bem maior onde um grupo de pessoas, com as mesmas intenções e desejos, juntam esforços. E foi assim que nasceu nosso grupo. Eu tenho muito orgulho e prazer de participar deste coletivo. Já foram 12 posts publicados, muitas dicas no nosso Instagram e Facebook (se não conhece curte lá!). E muitos amigos que fizemos ao longo do tempo. Muita gente já passou por aqui e deixou saudades. Outros foram e voltaram, mas todos têm um significado especial e um pedaço de si nesta colaboração! Foi por isso que decidimos, como tema do mês, postar receitas de bolos de festa, ou bolos para celebrar.

Aqui em casa não somos muito “formigas” e sobremesas não são nosso forte (somos do time do bacon! hahaha). Bolos com recheios e coberturas melecadas não têm vez por aqui. Mas existe um bolo que é nossa paixão nacional… na verdade, internacional! Quando moramos em Londres passamos a apreciar muito o bolo Victoria Sponge, que nada mais é que um bolo branco servido com geléia – bem British! 😉 Mas não é tão simples assim. Sua textura é macia mas estruturada. A geléia umedece na medida a massa e não fica nada enjoativo… Nesta versão eu usei dois tipos de geléia: uma de morangos, que adoro e uma outra que testei e aprovei! Um curd de maracujá, azedinho, para quebrar a doçura dos morangos. Se você não sabe, o curd é uma creme aveludado feitos de ovos e cítricos. Curd, na verdade, significa talhar. É isso que o maracujá faz com as gemas… E fica tão boooooooommmm 🙂

E por aqui, sempre que há um certo ar de celebração no ar, eu preparo esta receita. Ela é bem elaborada e aguenta pasta americana, recheios mais pesados como brigadeiro e até modelagem. Já me aventurei em fazer umas “esculturas” com esta massa. A massa é ótima para esta função, mas a artista… :/

Victoria Sponge com Curd de Maracujá e Geléia de Morangos (20cm – Serve 16 fatias)

É pique, É pique, É hora!

É pique, É pique, É hora!

Ingredientes:

Massa:

4 ovos, claras e gemas separadas

240g de açúcar

1 colher de chá de essência de baunilha

100g de manteiga amolecida

50ml de creme de leite

80 ml de leite

260g de farinha de trigo

1 colher de sopa de fermento em pó

Sempre tenha todos os ingredientes a mão antes de iniciar a receita

Sempre tenha todos os ingredientes a mão antes de iniciar a receita

Modo de Preparo:

A primeira coisa que devemos fazer quanto se trata de sobremesas é separar todos os ingredientes. Muitas preparações exigem rapidez e destreza. Assim, não perdemos tempo – ou o ponto! – enquanto estamos cozinhando. Por isso pese tudo e deixe várias tigelas, espátulas e colheres sobre a bancada. Você pode precisar!
Unte com manteiga e farinha de trigo uma forma redonda com fundo removível de 20cm. Eu também costumo colocar papel manteiga no fundo para não grudar. Morro de medo de não conseguir desenformar o bolo! 😀
Super dica para forrar o fundo de forma redonda! @thekitchn

Super dica para forrar o fundo de forma redonda! @thekitchn

Aqueça o forno a 180 graus.
Na batedeira, bata as claras em neve, em ponto de picos firmes. Reserve na geladeira.
Em outra tigela, junte as gemas e o açucar e bata até obter um creme esbranquiçado com o dobro do volume. Junte a manteiga aos poucos e continue batendo até que esteja bem incorporado.
Misture o leite, o creme de leite e a baunilha e acrescente alternado com a farinha peneirada com o fermento. Bata em velocidade baixa até não ter mais traços de farinha na mistura.
Adicione as claras em neve delicadamente, misturando a massa de baixa para cima para não perder o ar contido nas claras. Isso deixará o bolo mais macio.
Coloque a massa na forma e leve para assar por 40 minutos ou até que o bolo esteja dourado. Faça o teste do palito. Depois de assado deixe esfriar sobre uma gradinha antes de desenformar. Enquanto esfria, prepare os recheios. Esta massa pode ser preparada até 1 dia antes e guardada na geladeira embalada em filme plástico.
Recheio de Curd de Maracujá:
4 maracujás azedo grandes
8 gemas de ovos, preferencialmente orgânicos
1 xícara de açúcar
1/8 de colher de chá de sal
150g de manteiga gelada cortada em cubinhos
Modo de Preparo:
Passe a polpa dos maracujás por uma peneira, apertando bem com as costas de uma colher. Isto deve lhe render 1/2 xícara de suco. Reserve algumas sementes. Na mesma peneira passe as gemas de ovos e misture com o suco de maracujá e o açucar.
Faça um banho-maria e leve a mistura para cozinhar ao fogo médio baixo mexendo cuidadosamente com uma espátula por de 8 a 10 minutos, até que o creme comece a engrossar e cubra as costas de uma colher. A mistura não deve ferver e evite sempre que a panela de cima encoste na água fervente, debaixo.
Remova a panela do fogo, adicione o sal e a manteiga – um pedaço por vez – mexendo até incorporar completamente cada pedaço e a mistura ficar lisa e cremosa. Passe o creme por uma peneira bem fininha para coar qualquer grumo que tenha se formado. Eu gosto de colocar algumas sementinhas de maracujá quebradas para dar textura. Fica a seu critério.
Coloque filme plástico sobre o curd (encostando no creme para não formar película) e deixe esfriar antes de usar.
"O doce do azedo"!

“O doce do azedo”!

Recheio de Geléia de MorangoReceita aqui

Montagem:

Eu comprei um cortador de bolos que achei o máximo! Funciona bem se o bolo é grande. Com bolos pequenos fica “andando” pelo cortador. Mas vamos lá!

Amo gadgets de cozinha, mesmo os que não são lá uma "brastemp"! ;)

Amo gadgets de cozinha, mesmo os que não são lá uma “brastemp”! 😉

Assim que o bolo estiver bem frio a primeira coisa que faço, antes de desenformar, é cortar o topo apoiando a faca na própria forma. Assim deixo nivelado para cortar em camadas. Para esta receita cortei 4 fatias, pois recheei com duas camadas de maracujá e uma de morango. Mas fica a seu critério. Esta massa é muito boa para trabalhar. As fatias podem ter até 1cm de espessura mínima que não quebram. Mas vai depender muito de sua habilidade com a faca. Ah! e o ideal é que a faca seja bem grande, maior que o bolo. Assim, na hora de cortar não se perde o corte.

Ah! Lembrei de outro truque que minha mãe me ensinou. Você pode usar uma linha de costura para cortar o bolo. Marque com a faca, fazendo uma pequena incisão ao redor bolo e passe a linha de costura fazendo um vai e vem. Eu confesso que nunca testei… Medo! Mas peguei esta foto na internet que serve de parâmetro!!

Foto: pt.wikihow.com

Foto: pt.wikihow.com

Eu sempre utilizo a última camada para ser o topo do meu bolo, pois ela estará retinha pois ficou no fundo da forma. Só não se esqueça de retirar o papel manteiga que ficou grudadinho no bolo!  Assim pegue a primeira fatia e coloque sobre um prato. Eu ainda não coloco no prato de servir porque faço melecas!

Recheie com o metade do curd de maracujá que já está frio. Não coloque muito próximo das bordas para não derramar demais. Depois, na finalização faremos isso!

Coloque outra fatia e recheie com a geléia de morango. O mesmo conselho: não vá até muito próximo da borda do bolo. Coloque outra fatia e termine com o curd de maracujá. Se você está pensando em fazer um stencil sobre o bolo como eu fiz o número 1, te dou uma dica. Faça primeiro o stencil depois coloque a fatia sobre o bolo. Muitas vezes, se der errado, você pode refazer pincelando o açucar do bolo. Mas se já estiver “grudado” com a geleia… oh, oh! Será mais difícil. O único cuidado que terá que ter depois será pegar a fatia por baixo com uma espátula, cuidadosamente. Mas garanto que é bem mais fácil se você é inexperiente no assunto como eu!!!

É dessa melequinha que estou falando!

É dessa melequinha que estou falando!

Então coloque sua última fatia sobre o bolo e pronto! Ou quase. Como falei, nesta hora transfiro o bolo para o prato de servir e “preencho” as camadas com mais geleia com uma colherinha de café ou com um bico de confeiteiro. Assim damos o acabamento e toda aquele melequinha escorrida linda neste bolos ficam “ajeitadinhas” no prato!

Ufa! Achei que eu não conseguiria. Mas estou muito feliz com o resultado final: do bolo e do post! 🙂

Muita felicidade em uma fatia de doçura!

Muita felicidade em uma fatia de doçura!

Vejam só as deliciosas receitas de bolo que nossas colaboradores fizeram para celebrar esta data

Com certeza tem um bolo que é a sua cara!

Com certeza tem um bolo que é a sua cara!

Cozinha da Gertrudes – Bolo de Nozes

O que temos hoje, Elisa? – Torta Negra Venezuelana

Azeitonas Temperadas – Bolo de Chocolate (sem glútem/sem lactose)

Better Call San – Bolo de Kit Kat e MM’s

Arte na Cozinha – Bolo de Laranja com Creme de Leite Ninho

Panela e Paixão – Bolo de Chocolate com Mousse de Frutas Vermelhas

Pimenta na Cozinha – Bolo de Claras e Limoncello

Na Cozinha da Carina – Bolo Diet de Morango

Festa Junina no #ColetivoGastronômico [Pamonha Salgada Recheada de Carne de Sol]

As festas juninas são as minhas festividades populares favoritas. A crença católica (ou pagã!) dos santos deram passagem à delícia das comidas de quermesse, às danças de quadrilha e ao calor das fogueiras que esquentam as noites frias dos meses de junho e julho aqui em São Paulo.

Muitas são as quermesses das igrejas por aqui! E o que acho muito bonito é que, mesmo quem não venere os santos, curte os festejos de igual maneira. É uma festa bastante democrática e tolerante. E as pessoas deixam seus preconceitos de lado e se unem. Uma pena que nem sempre seja assim.

O #ColetivoGastronômico do mês escolheu este tema para as receitas do mês do junho. E hoje, dia de Santo Antônio, publicamos 7 receitas bem diferentes das tradicionais. Eu optei por uma pamonha salgada feita com milho de canjica. Quando se fala em pamonha salgada por aqui o pessoal assusta! Foi por isso que optei pelo milho branco. Ficou deliciosa!

Nada tradicional, mas incrivelmente deliciosa

Nada tradicional, mas incrivelmente deliciosa

Pamonha Salgada Recheada de Carne de Sol (Serve 10 unidades)

Ingredientes:

500g de carne de sol cozida e desfiada (guarde 1/2 xícara da água do cozimento)

1 colher de sopa de manteiga de garrafa

500g de milho branco pré cozido (eu utilizei da marca Vapza)

1 colher de café de páprica (opcional)

1 colher de café de sal, se necessário

1 palito de queijo de coalho ou queijo minas padrão cortado em tiras

10 forminhas de papelão para mini bolo

Ingredientes baratos e muito fáceis de encontrar fizeram nossa festa junina um tiquinho mais "gourmet"! :)

Ingredientes baratos e muito fáceis de encontrar fizeram nossa festa junina um tiquinho mais “gourmet”! 🙂

Modo de preparo:

Aqueça uma frigideira e derreta a manteiga de garrafa e acrescente a carne de sol desfiada. Frite até a carne ficar sequinha e dourada.

Em um liquidificador ou processador de alimentos bata o milho branco pré cozido com 1/2 xícara da água do cozimento da carne. Vá adicionando aos poucos até obter uma consistência cremosa, como um purê liso. Eu acrescentei uma pitada de páprica à mistura para dar cor e sabor e usei um pouco menos que 1/2 xícara de água. Prove os temperos. Dependendo da dessalga da carne será necessário um pouco mais de sal.

Meu purê de milho branco

Meu purê de milho branco

Forre o fundo e as laterais da forminha com este purê e acrescente a carne e o queijo. Cubra com mais purê formando a pamonha. Você também pode fazer em ramequins refratários como se fosse um escondidinho.

Pamonha moderna. Quem não tem palha de millho...

Pamonha moderna. Quem não tem palha de millho…

Coloque em uma vaporeira, tampe e cozinhe no vapor por 1 hora. Também poderá ser cozida no forno a 150 graus, em banho maria, coberto com papel alumínio.

Cozinhe no vapor por 1 hora

Cozinhe no vapor por 1 hora

A forminha ficará umedecida e bem mole como a palha do milho. Você pode desenformar ou abrir a forminha e Nhac!

Um delícia para sua Festa Junina!

Um delícia para sua Festa Junina!

DICAS:

  1. Pode-se usar o milho verde, também;
  2. Caso prefira, a palha do milho funciona igualmente, mas eu tive dificuldade em encontrar palhas verdinhas e bonitas. A idéia da forminha foi uma grande descoberta!

Se você gostou desta receita não deixe de visitar os demais blogs que trazem as delícias do mês junino:

Para todos os gostos. Escolha a sua! ;)

Para todos os gostos. Escolha a sua! 😉

Azeitonas Temperadas – Canjica Nordestina com Linguiça

O que temos hoje, Elisa? – Panquecas de Milho

Pimenta na Cozinha – Bolo de milho biju com queijo e salame fresco

Arte na Cozinha – Sopa de Milho com Pernil e Limão

Na Cozinha da Carina – Sagu de Vinho

Cozinha da Gertrudes – Queijadinha de Casquinha

Dia das Mães #ColetivoGatronômico [Cassoulet]

O #Coletivogastronômico está de parabéns pelo tema escolhido.

Que delícia que foi preparar esta receita!  Primeiro foi um desafio, pois receitas de uma panela só existem várias por aí. Mas uma receita que fosse, ao mesmo tempo prática deliciosa e digna de servir no Dia das Mães? Aí estava o pulo do gato!

O que eu queria mesmo era preparar algo que me remetesse ao colo da minha mãe, que aquecesse meu coração. Nesta hora o aconchego fala mais alto. Mas quem quer ficar a manhã toda preparando o almoço?? Bem… eu! :/

Não se preocupe. A receita que eu escolhi além de muito reconfortante e deliciosa é prática e a maior parte do tempo será preparada no forno. É um cozido rústico, que nasceu nas casas camponesas do interior da França, mas precisamente na região da cidade de Carcassone. Foi lá que comi o meu primeiro “exemplar” deste prato e me apaixonei fervorosamente – até uma panela com um cassoulet enlatado eu trouxe na bagagem!

Tem alguém "comendo" meu Cassoulet, diretamente de Carcassone!

Tem alguém “comendo” meu Cassoulet, diretamente de Carcassone! (Reparem que só sobraram os ossos) 😉

Daí em diante testei e testei várias receitas e percebi que a escolha dos ingredientes é a peça chave do sabor deste cozido. Algumas receitas pedem pato, outras frango ou até coelho.

O prato principal com a panela mais que especial que veio de viagem cheia de cassoulet legítimo! ;)

O prato principal com a panela mais que especial que veio de viagem cheia de cassoulet legítimo! 😉

Por aqui adaptei os ingredientes levando em conta sua origem: as linguiças que utilizei são de porcos caipiras, o lombo de porco defumado sobre um fogão a lenha, o bacon, ainda um pedacinho daquele MARAVILHOSO porco lá da Yaguara Ecológico… e as coxas de pato, feitas num confit muito especial…

Para esta receita busque o conforto d os ingredientes locais, orgânicos, vindos da fazenda...

Para esta receita busque o conforto dos ingredientes locais, orgânicos, vindos da fazenda…

Enquanto cozinhava me imaginei numa casinha lá no meio do nada, cheia de convidados para celebrar uma data tão especial! E ao deixar que o fogo fizesse a sua parte, liguei uma música, abri um rosé e desfrutei a vida ao lado de minha mãe e meu filho!

Cassoulet (Serve 4)

Comida reconfortante como colo de mãe!

Comida reconfortante como colo de mãe!

Ingredientes:

200g de bacon cortado em cubos grandes

200g de lombo de porco defumado cortado em cubos grandes

200g de linguiça de lombo de porco

200g de coxas de pato cortadas em pedaços (eu usei coxas inteiras confitadas para servir. Receita facílima aqui)

1 cebola grande cortada em cubos grandes

8 dentes de alho ineiros, descascados

2 cenouras grandes cortadas em rodelas grandes.

300g de feijão branco deixado de molho em água quente de véspera

4 raminhos de tomilho

1 folha de louro

sal e pimenta do reino a gosto

1l de caldo de frango

1/2 xícara de farinha de rosca

1/2 xícara de queijo parmesão ralado

Modo de Preparo:

Primeiramente escolha a sua melhor panela; pode ser a mais bonita ou a mais afetiva. Não se esqueça que esta é uma receita de uma panela só. Vai do fogão, ao forno e à mesa.

Aqueça o forno a 160 graus.

No fogão coloque a panela para aquecer e junte o bacon. Frite até ficar bem dourado e soltar a gordura. Acrescente a linguiça e deixe dourar dos dois lados. Junte o lombo e os pedaços de pato, se estiver usando. Frite bem até dourar e o fundo da panela ficar escuro. Se for usar as coxas inteiras confitadas, acrescente uma colher da gordura do pato à panela. Acrescente a cebola, os dentes de alho e a cenoura e refoque. Junte o feijão branco, o tomilho, a folha de louro sal e pimenta e o caldo de frango.

Se o aroma da minha cozinha pudesse entrar na sua... <3

Se o aroma da minha cozinha pudesse entrar na sua… ❤

Deixe levantar fervura, tampe e leve ao forno por 45 minutos ou até que o feijão esteja cozido.

Retire do forno e polvilhe a farinha de rosca e o queijo parmesão ralado. Volte ao forno por 15 minutos ou até que se forme uma “casquinha” dourada.

Por baixo desta casquinha dourada e crocante um dos pratos mais saborosos e reconfortantes... Como colo de mãe!

Por baixo desta casquinha dourada e crocante um dos pratos mais saborosos e reconfortantes… Como colo de mãe!

Sirva imediatamente com a coxa de pato e não se esqueça de brindar às mães!

Um prato rústico, mas com sabor do conforto,

Um prato rústico, mas com sabor do conforto

DICAS:

  1. Você pode substituir o pato por frango, mas já aviso que se arrependerá! 😉
  2. Carne de vitela, coelho e cordeiro também podem ser acrescidos ao cozido. Lembre-se: este é um prato camponês!

Quer mais receitas como esta?

Visite a o Coletivo Gastronômico no Facebook e o Perfil no Instagram e delicie-se!

Como coração de mãe: sempre cabe mais um!

Como coração de mãe: sempre cabe mais um!