A Voz do Povo é a Voz de Deus – Bolo de 3 Leches ao Rum e Caramelo

Este bolo é o favorito do meu marido. Mas não o que eu preparo!…

Ele comeu uma versão preparada pela chef de cozinha da antiga empresa onde ele trabalhava, lá no México, e nunca mais se esqueceu (espero que só do bolo!!!) 😀 Já reproduzi várias vezes, mas ele sempre tem uma opinião sobre as minhas versões. Na verdade, não são só as minhas versões que ele palpita. Fomos jantar no La Central – excelente restaurante de comida mexicana, à propósito – e a sobremesa foi um bolo 3 Leches que não passou no teste do gourmand!

Resolvi, então, botar o bolo na boca do povo! No fim de semana participei de um encontro de blogueiras de São Paulo e Interior e preparei uma versão caprichada do bolinho. Fiz bolinhos individuais para que todos tivessem a chance de provar. Assim que cheguei as marmitinhas começaram a circular pelo evento e muita gente veio atrás de mim perguntando se eu era a dona das marmitinhas que em questão de minutos desapareceram da mesa… Eram 80!

E o meu whatsapp não parou de apitar solicitando a receita urgentemente no blog. Taí, acho que a voz do povo é a voz de Deus! 😉

Bolo 3 Leches ao Rum com Caramelo e Flor de Sal (Rende 20 bolinhos de 120ml ou uma assadeira de 23cm x 33cm x 5cm)

**Este bolo precisa descansar um mínimo de 8 horas antes de ser servido**

Marmitinhas caprichadas para agradar o paladar e os olhos das amigas blogueiras :)

Marmitinhas caprichadas para agradar o paladar e os olhos das amigas blogueiras 🙂

Ingredientes:

5 claras de ovos grandes, à temperatura ambiente

1/8 colher de chá de sal

1 xícara de açucar

1 e 1 / 2 xícaras de farinha de trigo

2 colheres de chá de fermento químico em pó

3 gemas grandes temperatura ambiente

1/3 de xícara de óleo vegetal

1/2 xícara de água

2 colheres de chá de essência de baunilha

1 lata leite condensado

1 caixinha de creme de leite

a mesma medida de leite integral

3 colheres de sopa de rum escuro

1 xícara de manteiga

1 xícara de açúcar

1 xícara de creme de leite

1 colher de chá de extrato de baunilha

1 colher de sopa de flor de sal

Modo de Preparo:

Pré-aqueça o forno a 180 graus.

Na tigela da batedeira com o batedor de claras, combine as claras e o sal. Bata em velocidade média até que comecem a formar uma espuma branca e ter picos macios. Aumente a velocidade para médio alto e adicione 1/4 de xícara de açúcar em um fluxo lento. Continue batendo as claras até que fiquem brilhantes e mantenham picos firmes. Reserve.

Picos firmes e clara parecendo isopor. este é o ponto!

Picos firmes e clara parecendo isopor. Este é o ponto!

Em outra tigela (eu uso a mesma, pois só tenho uma! Retiro as claras e guardo em outro bowl até usá-las) misture a farinha, 3/4 xícara restante do açúcar e o fermento em pó. Misture em velocidade baixa, por alguns segundos, somente para que se integrem.

Misture as gemas, o óleo, a água e a baunilha em uma tijelinha até combinar. Adicione esta mistura à mistura da farinha e bata em velocidade média por um minuto para aerar a massa. Este é um bolo chiffon por isso é importante para que ele fique bem fofo que a mistura não seja batida demais, senão ficará pesado. Raspe as laterais da tigela com uma espátula e bata por alguns segundos mais.

Com uma espátula maleável, de preferência de silicone, adicione 1/4 das claras em neve à massa e misture com muito cuidado raspando o fundo da tigela com a espátula e incorporando as claras. Não queremos perder o volume das claras em neve. Isso manterá nosso bolo fofo e aerado. Junte mais 1/4 das claras e misture. Repita esta operação até acabar com as claras.

Com amor e paciência incorpore as claras à massa do bolo.

Com amor e paciência incorpore as claras à massa do bolo.

Coloque a massa em uma assadeira retangular SEM UNTAR*, ou em 20 mini marmitinhas de 120ml. Para que os bolinhos tenham a mesma medida eu uso uma colher de sorvete. Asse o bolo por cerca de 40 minutos, ou 20 minutos para os mini bolinhos ou até que estejam ligeiramente dourados. Deixe o bolo esfriar por uns 2 minutos. Depois inverta quatro copos (ou apoios) na bancada e apoie a assadeira, de ponta cabeça, sobre eles.

E os bolinhos estão prontos para esfriarem no "estilo morcego".

E os bolinhos ainda estufados depois de esfriarem no “estilo morcego”.

*Descobri que um bolo chiffon precisa esfriar de cabeça para baixo para não murchar!

Enquanto o bolo esfria misture o leite condensado, o creme de leite, o leite integral e o rum até obter uma mistura homogênea. Fure o bolo com um espeto ou garfo e regue com esta mistura. Vai parecer muita, mas tenha certeza de que absorverá e ficará deliciosamente molhado. Cubra com filme plástico e deixe o bolo na geladeira por, no mínimo 8 horas. Eu costumo deixar “dormir” na geladeira.

Para a calda de caramelo, misture o açúcar e a manteiga em uma panela e cozinhe em fogo médio até que o açúcar derreta e a misture fique com uma cor âmbar profunda.

Com muito cuidado, pois a mistura fará uma espuma e poderá espirrar e queimar, junte o creme de leite e a baunilha mexendo vigorosamente. Cozinhe até engrossar e cobrir as costas da colher. Esta calda rende cerca de 400ml. Se você achar muito para o bolo pode guardar na geladeira e utilizar como doce de leite. Eu acho até pouco! 😉

Caramelo nunca é demais para um bolo tão delicioso!

Caramelo nunca é demais para um bolo tão delicioso!

Cubra o bolo com a calda de caramelo e polvilhe com a flor de sal. Deixe esfriar e sirva. Eu adoro geladinho!

DICAS:

  1. Se você não quiser fazer a calda de caramelo pode usar 1 lata de doce de leite misturada com 1/4 de xícara de água quente.
  2. Outra opção de cobertura – e a mais tradicional – é creme de leite fresco batido em ponto de chantilly com um toque de baunilha.

Conversa Ecológica de Elevador

_ Bom dia, vizinha.

_ Bom dia.

_ Que chuva, ontem, hein?

_ É… Ainda bem. Estamos precisando.

_ Nem me fale… Tá difícil até cozinhar. Aproveitando, deixa eu pegar uma dica com você. Como você está cozinhando macarrão? Sabe, lá em casa somos seis. Não dá pra encher um caldeirão de 6 litros e depois despejar tudo pelo ralo…

_ É… Eu, eu, não tenho feito massa. Tchau. Chegou meu andar. Boa tarde.

Fiquei totalmente desconcertada com a conversa da vizinha porque eu nem havia pensado nisso. Economizo na água da descarga mas não economizo na água do cozimento do macarrão. Faz algum sentido? Fiquei intrigada e pensando como estamos tão acostumados com algumas convenções e não nos damos conta do todo ao nosso redor. Separo o lixo, reaproveito alimentos, ando a pé pela cidade, mas despejo litros de água após cozinhar o macarrão… Oops!

Quando morei no México aprendi muito sobre a cultura e a história do país. Fiz um curso bárbaro de História do México através de sua culinária. Além da preservação dos ingredientes autóctones o povo mexicano tem um trato muito especial com a comida. Quem já assistiu “Como Água para Chocolate” sabe bem do que estou falando. E quem não assistiu fica a dica de um filme  lindo!

Aprendi a usar melhor o coentro, a ter cuidado com as pimentas, a comer mais produtos de temporada e que estivessem em abundância, ainda que fossem escamoles – ovas de formiga! E aprendi também – e me sinto envergonhada de ter esquecido por um tempo – que existe uma sopa seca. E aí está a boa dica para a vizinha e para você que quer economizar água sem deixar de comer sua pasta! Nada italiana, mas um tanto quanto mexicana!

Sopa Seca de Fideos (Serve 4)

Sopa Seca? Sopa Mexicana!

Sopa Seca? Sopa Mexicana!

Ingredientes:

4 tomates italianos sem pele, cortado grosseiramente

1 cebola pequena, picada grosseiramente,

1 dente de alho

3 colheres de sopa de azeite de oliva

400gr de capellini n.1 (ou aletria, cabelo de anjo, spaguettini)

sal e pimenta do reino, o quanto baste

200ml de caldo de legumes

1 colher de chá de pasta de pimenta chipotle, ou Tabasco Chipotle (opcional)

1 colher de sopa de folhas de coentro

1/2 avocado Hass em fatias

50gr de queijo fresco

Modo de Preparo:

No liquidificador coloque os tomates, a cebola, o dente de alho e processe até obter um molho liso, aproximadamente 1 minuto. Reserve.

Em uma panela aqueça duas colheres de sopa de azeite e coloque o espaguete quebrado em partes menores e frite-os rapidamente, mexendo sempre, até obter uma coloração dourada, mas sem deixar queimar. Retire-os da panela e reserve.

Fritando Fideos

Fritando Fideos

Na mesma panela (vamos economizar na hora de lavar o louça, também!) aqueça o azeite restante e coloque o molho de tomate. Tempere com sal e pimenta, junte o caldo e a pimenta chipotle, se estiver usando. Deixe ferver. Acrescente os fideos reservados e cozinhe por 5 minutos, mexendo sempre, até que todo o líquido seja absorvido.

Avocado hass, não abacate!

Avocado hass, não abacate!

Sirva imediatamente com o queijo, as fatias de avocado e folhas de coentro.

DICAS:

  1. Pode-se usar um espaguete mais grosso, mas será preciso 500ml de caldo e mais 5 minutos para absorver todo o molho e ficar al dente;
  2. Fica uma delícia com uma colherada de creme azedo sobre a massa, mas eu não tinha …
Para não dizer que isso é invencionice! Foto: knorr.com.mx

Para não dizer que isso é invencionice!
Foto: knorr.com.mx

Continuar lendo

Los Padrinos – Cidade do México

Domingo sem vontade nenhuma de cozinhar… Se isto se passa com você como aconteceu comigo e está na cidade do México te recomendo o restaurante Los Padrinos que está no Shopping Plaza Duraznos.

Eu tenho uma lista de restaurantes que quero recomendar (ou não!), mas esta surpresa foi tão grata que não perdi muito tempo e aqui estou para escrever sobre este lugar que é da cadeia de restaurantes Tíos, Primos, Sobrinos, e toda a família! Se entitulam comida de barrio que nos explicou o garçom ser uma comida casera, sem firulas e para dividir… Com este nome, logo pensei: ai vem tacos! Mas o cardápio pareceu ser bem mais internacional do que esperávamos.

O bom é que agradou a todos os gostos, sem frescura mesmo, mas um excelente almoço de domingo onde eu queria carne, meu marido hamburguer e meu filho pasta. Se nao fosse lá só imaginaria uma praça de alimantação para esta família!

O servico num domingo as 3.30pm na Cidade do México foi exemplar! Sem complicações e muito atento. Chegamos cedo para poder ver um cineminha depois e acabou que saímos de lá com tempo para sobremesa, café e vitrines!

O hamburguer do meu marido estava no ponto pedido e com todos os seus acompanhamentos à parte: alface, tomate, pepinos em conserva, molho tártaro e um delicioso pão feito na padaria própria deles. E carne veio muito bem temperada!

Para o pequeno pedimos pasta fresca que era um spaghetti al dente, com tomates frescos, mussarela e majeriao, regados com um excelente azeite de oliva! Acompanhado de uma fatia de pão caseiro para passar no molho depois! Ah… pão!

E o meu prato, não foi um super steak. Logo que entrei vi numa mesa um steak tartar que me parecia delicioso. E estava. E garanto aos fãs de plantão da Brasserie Lipp que este tartar estava muito, mas muito melhor! Fresquissimo, servido sobre uma salada de rúcula, sutilmente temperado com azeite trufado e lascas de parmesão acompanhado por baguetes tostadas. Ai Jesus! E as frittes estavam crocantíssimas! Pareciam ate estar empanadas!!!

Quase me esqueço de falar sobre a entrada. Um aguachile de camarão super picante, mas muito saboroso. Devoramos com as tostadas!

O ambiente é bem descontraído, um pouco barulhento, mas todas as mesas estavam ocupadas por familias numerosaas. Não podia ser diferente. Tem uma terraza para fumantes.

Com 2 garrafas de agua mineral e uma limonada nossa conta saiu por MX$ (R$ ). Nada mal!

O restaurante ainda não tem website para dar aquela fussadinha antes de ir. E eu nem tirei fotos. Não imaginaria que escreveria sobre este lugar. Ademais, tudo estava tão delicioso que quando me lembrei, os pratos já estavam vazios! Mas vá e comprove. Aqui estão os detalhes:

Restaurante Los Padrinos

Plaza Duraznos

Bosque de Duraznos, 39

Bosque de Las Lomas

Tel.: 5245-0924

Em tempo: A revista Donde Ir, edição de Agosto recomenda o parente próximo, Primos, como um dos melhores restaurantes da cidade para se comer. E pela descrição tudo é bem parecido.