Amigo Secreto do #ColetivoGastronômico [Risoto Festivo de Espumante, Aspargos e Castanhas Portuguesas]

Este será o último post do ano do nosso delicioso #ColetivoGastronômico. Já se passaram 6 meses desde a nossa primeira postagem coletiva. Nossa! Quanta coisa boa nos aconteceu desde então.

Claro que as festas de final de ano não poderiam ficar de fora do post deste mês. Mas queríamos fugir da tradicional postagem “Receitas Natalinas” até porque a blogosfera está saturada com estes posts e é o que vemos nos sites de gastronomia nesta temporada. Queríamos inovar. Foi aí que a Carol, do Cozinha Autoral, teve a melhor idéia de todos os tempos: Faríamos um amigo secreto e o presente seria uma receita que homenageasse o blog do amigo sorteado! Que lindo. O melhor presente que alguém poderia receber. Feito personalizado para você. Vindo do coração de alguém que compartilha a sua mesma paixão! ❤

E ainda com a surpresa de que ninguém saberá quem tirou quem até todos os posts serem publicados! [Enquanto escrevo estou até com palpitações tentando controlar a ansiedade! 🙂 ]

E na hora do sorteio os astros estavam alinhados a meu favor. Fui sorteada com a pessoa que se tornou uma grande amiga, uma grande apoiadora dos meus trabalhos. Que me mostrou um carinho grandioso todas as vezes que nos encontramos. E, a cada dia, uma amizade que antes era apenas virtual, vai se fortalecendo muito.

Eu tive várias idéias de receitas, mas escolhi uma especial que foi a primeira homenagem que recebi vindo de seu blog. Seu marido não gostava de risotos, mas ao comer o risoto que preparo nos meus potinhos disse que se apaixonou (pelo risoto, não por mim 😉 ).

E por isso pensei na melhor receita de risoto que eu pudesse preparar para esta celebração, pois daqui a algum tempo, o Douglas não precisará mais consumir os risotos do Cook it*. O Dafne estará expert e fará os risotos com o mesmo amor e carinho como eu preparo os meus!

Queridos Amigos Dafne e Douglas, esta é a minha homenagem para vocês!

Risoto Festivo de Espumante, Aspargos e Castanhas Portuguesas (Serve 4)

Uma homenagem a quem me homenageou muito durante todo o ano!

Uma homenagem a quem me homenageou muito durante todo o ano!

A delicadeza deste prato se reflete na composição da mesa

A delicadeza deste prato se reflete na composição da mesa

Ingredientes:

50gr de aspargos (escolha os mais finos que são mais tenros e menos fibrosos)

50gr de castanhas portuguesas cozidas e descascadas  (ver DICAS)

2 colheres de manteiga sem sal

1 dente de alho picado finamente

1/2 cebola picada finamente

220gr de arroz arbóreo ou carnarolli

1 raminho de alecrim

100ml de vinho espumante

750ml de água ou caldo de frango (ver DICAS)

1 colher de chá de sal

1 pitada de pimenta do reino

Aproveite a temporada para utilizar os produtos da estação.

Aproveite a temporada para utilizar os produtos da estação.

As castanhas se abrem facilmente ao serem cozidas e devem ser descascadas ainda quentes.

As castanhas se abrem facilmente ao serem cozidas e devem ser descascadas ainda quentes.

Modo de Preparo:

Corte o talo dos aspargos em fatias de aproximadamente 1 cm de espessura reservando as pontas para a decoração do prato, aproximadamente 5 cm. Coloque uma panela com abundante água para ferver e acrescente 1 colher de chá de sal. Assim que ferver mergulhe rapidamente as pontas dos aspargos para branquear. Retire e mergulhe em um banho de água com gelo para cortar o cozimento. Lembre-se: aspargos devem ser consumidos crocantes e não moles.

Pique as castanhas portuguesas reservando 4 inteiras para a decoração do prato.

Em uma panela com capacidade para 2 litros aqueça 1 colher de manteiga e acrescente a cebola e o alho picado. Refogue por 1 minuto e junte o arroz, os talos dos aspargos picados e o ramo de alecrim. Refogue, mexendo sempre, até que o arroz esteja todo coberto pela manteiga. Junte o espumante e deixe cozinhar por 1 minutos até que o álcool evapore.  Acrescente o caldo e deixe levantar fervura. Assim que ferver, tempere com sal e pimenta, abaixe o fogo e cozinhe por 18 minutos mexendo ocasionalmente.

Pique as castanhas reservando 4 unidades inteiras para a decoração do prato. Faltando 1 minuto para a finalização do cozimento acrescente as castanhas. Desligue o fogo e junte 1 colher de manteiga restante e incorpore bem mexendo com cuidado.

Sirva em seguida decorando o prato com as pontas de aspargos e a castanha portuguesa.

Abra um delicioso espumante bem gelado e brinde à vida, às amizades! Felizes Festas!

Um brinde ao Meu Amigo Secreto!

Um brinde ao Meu Amigo Secreto!

Celebrando a Amizade!

Celebrando a Amizade!

*Cook it é a nova marca no lugar de Flavor Bowl

DICAS:

  1. Utilizei 2 produtos que estão na safra. Assim, além de muito mais saborosos, são mais fáceis de encontrar. Mas caso você não goste de aspargos ou castanhas portuguesas substitua por damascos e castanhas do Brasil;
  2. Para cozinhar as castanhas faça um pequeno corte na pare mais fina e cozinhe em panela de pressão com abundante água por 30 minutos. Desligue a pressão e deixe “parar de chiar” . Abra a panela e mantenha as castanhas na água. Deixe amornar, mas não muito para descascar. A pele sai facilmente se ainda estiverem quentes;
  3. Aqui tem uma dica e receita deliciosa de caldo de frango ou legumes. Se não fizer teu próprio caldo caseiro, prefira usar água e não caldos em cubos que contém muito sódio e sabores artificiais. Este risoto merece um carinho especial!

E abaixo você encontra os outros amigos secretos do #ColetivoGastronômico. Vejam que brincadeira bacana e cada presente delicioso que rendeu!

Descubra quem tirou quem!

Descubra quem tirou quem!

Cozinha Autoral – Amigo Secreto

Na Cozinha da Gertrudes – Amigo Secreto

Panela e Paixão – Amigo Secreto

Mosaico de Receitas – Amigo Secreto

Se Eu fiz Você faz – Amigo Secreto

Brie com Goiabada – Amigo Secreto

Burburinho na Cozinha – Amigo Secreto

Na Boroskinha – Amigo Secreto

Minha Marmita Tem – Amigo Secreto

Better Call San – Amigo Secreto

Viva el Cinco de Mayo!

Eu adoro receitas que tem história. Esta é uma delas! Esta ainda tem duas. A história propriamente dita e a história do porquê fiz esta receita.

No México, hoje é um dia muito importante. Com certeza você já deve ter ouvido falar do 5 de Mayo, pelo menos em algum seriado americano. É incrível como os americanos, por influência dos mexicanos que por lá se instalaram, comemoram esta data que foi a improvável vitória do exército mexicano sobre o francês na batalha de Puebla em 5 de maio de 1862. É comemorado principalmente no estado de Puebla e nos Estados Unidos.  Eu acho, na verdade, que os americanos celebram mais pela derrota dos franceses do que a vitória mexicana. Mas este é meu ponto de vista… Várias comidinhas mexicanas fazem parte do cardápio dos gringos e de los chicanos.

E eu fiz esta receita alguns meses atrás quando participei de um concurso para ganhar uma bolsa para conhecer o Sri Lanka e sua cultura gastronômica! Não ganhei. Fiquei até muito triste quando saiu o resultado. Impossível não era, mas teria que derrotar mais de 200 candidatos para conseguir uma das 3 vagas ofertadas… Talvez, na próxima, opte por Medicina na USP onde a média de corte é 72/1!

Enfim, valeu a experiência de pesquisar, testar receitas, escrever em inglês e conhecer ainda mais a comida de um país que tem uma das culinárias mais ricas e sabrosas do mundo! O contato com os outros participantes também foi uma conquista muito gratificante. Se você quiser saber um pouco desta experiência está tudo aqui (em inglês).

Mas o melhor de tudo foi reviver e degustar esta delícia que eu já não cozinhava há anos e transformá-la num prato para o dia dia sem perder toda a sua essência!

Peito de Peru com Mole Poblano (Serve 8)

O México definido em prato!

O México definido em prato!

Mole é um molho a base de especiarias e chocolate amargo muito característico do México. Eu ousaria dizer que é o curry mexicano.

Ingredientes:

PARA O PERU:
2 kg de peito de peru sem osso
1 cabeça de alho
1 alho-porro
1 cebola
1 folha de um louro

PARA OS AROMÁTICOS:
1 colher de chá de sementes de cominho
1 colher de chá de sementes de coentro
1/2 colher de chá de anis
1 pau de canela
5 cravos da Índia
1 colher de chá de orégano seco

PARA AS SEMENTES E CASTANHAS:
50gr amêndoas
50gr de amendoim
50gr semente de abóbora descascadas
30gr de gergelim torrado

PARA AS PIMENTAS*:
¼ xícara de gordura de bacon (ou óleo vegetal)
6 pimentas Ancho, sem semente
6 pimentas Guajillo, sem semente
10 pimentas Pasilla, sem semente

FRUTAS E VEGETAIS:
1 banana da terra bem madura, descascada e fatiada
400gr tomate pelado (1 lata)
40gr passas pretas
100gr de chocolate mexicano (ou qualquer outro amorgo com 90% de sólidos)
1 colher de chá de sal

Para Servir:
1 avocado, fatiado
Folhas de coentro
Tortillas frescas

Apesar da longa lista de ingredientes, o passo a passo desta receita é muito fácil e você irá utilizar somente 3 equipamentos. Ao final será levado por aromas e sabores nunca antes descobertos. Arrisque-se. Eu garanto!

Especiarias e temperos fazem desta receita um prato único, autêntico e muito celebrado no México

Especiarias e temperos fazem desta receita um prato único, autêntico e muito celebrado no México

Modo de Preparo:

Em uma panela grande colocar o peito de peru, alho, alho-poró, cebola e louro e cubra com 3 litros de água. Deixar ferver e reduza o fogo, tampe e cozinhe até a carne ficar tenra, cerca de 20 minutos. Coe e separe o peito, o caldo, cebola e alho.

Aqueça uma frigideira e adicione os aromáticos. Torre ligeiramente, sem queimar. Transfira para um liquidificador. Na mesma frigideira, adicione as nozes e sementes, com exceção de 1 colher de sopa de sementes de gergelim, para guarnecer. Torre-os também até mudar a cor, cerca de 3 minutos. Adicione ao liquidificador e bata com os aromáticos acrescentando 1 xícara do caldo reservado até obter um purê liso. Transfira esta pasta para a panela onde foi cozido o peru.

Uma cultura culinária milenar se formando na panela...

Uma cultura culinária milenar se formando na panela…

Aqueça a gordura do bacon na mesma frigideira em fogo médio-alto. Frite as pimentas até começarem a abrir, cerca de 15 segundos de cada lado. Transfira o liquidificador.

Na mesma frigideira, adicione a banana da terra e frite até ficar durada, cerca de 3 minutos. Adicione os tomates, cebola e alho reservados e cozinhe ligeiramente, até amolecer e possa ser esmagada com um garfo. Reduza o fogo para médio-baixo; adicione as passas e deixe ferver, mexendo sempre, cerca de 10 minutos.

Trabalhando em partes coloque este molho de tomate no liquidificador e bata com mais 1 xícara de caldo reservado até obter um molho liso. Peneire e junte à panela onde está o purê de aromáticos. Deixe ferver e acrescente o chocolate em pedaços. Baixe o lume e cozinhe por 20 minutos, mexendo sempre, raspando o fundo da panela. Adicione mais caldo caso o molho fique muito grosso. Apenas observe que este molho tem uma consistência espessa e aveludada. Tempere com sal. Adicione o peito de peru e continue fervendo em fogo baixo por mais 10 minutos.

Toda uma festa de sabores no seu paladar!

Toda uma festa de sabores no seu paladar!

Fatie o peito de peru e coloque em um prato de servir. Cubra com o molho e polvilhe com as sementes de gergelim. Sirva com avocado fatiado e tortillas frescas. Decore com folhas de coentro.

Para arrancar-me a Vida!

Para arrancar-me a Vida!

E para finalizar a noite aconselho assistir ao filme que me inspirou a preparar esta delicia, Arrancame La Vida!

DICAS:

  1. Não me chame de louca nem desista. É FÁCIL de fazer se seguir o passo a passo!
  2. * Todas estas pimentas são mexicanas e já está disponíveis em mercados de produtos latinos. Mas se não encontrar qualquer pimenta seca serve. Cuidado, apenas, com o ardor na hora da substituição.
  3. Peito de frango pode substituir o peito de peru.

Páscoa IV – Uma receita para Celebrar

Estive pensando qual receita poderia colocar aqui. Vou confessar que já faz muito tempo que não cozinho o almoço do domingo de Páscoa.

Desde que meu filho entrou em idade escolar, principalmente quando estávamos no México, aproveitávamos para viajar, pois este é um feriado grande (spring break). Já aqui no Brasil, a Páscoa é celebrada na casa da minha mãe e ela se encarrega dos preparativos…

Então fui resgatar as memórias de alguns anos atrás. Voltei uns 8 anos e “desenterrei” fotos e lembranças deliciosas. Encontrei alguns registros dos 2 últimos anos que cozinhei. Me lembro que em um ano nevou muito em Londres, nesta manhã. Deixei uma paleta de porco no forno e fomos brincar na neve… Por pouco não queimo toda a carne!!

Paleta Assada para a Páscoa

Paleta Assada – quase queimada! – para a Páscoa

No ano seguinte, já sem neve, foi nossa última Páscoa em Londres, e até onde me lembro o último almoço que cozinhei.

O almoço do domingo sempre me remeteu a carnes como porco ou cordeiro. Algo que não comemos todos os dias, algo para celebrar. Claro que não precisa ser tão “Flintones” como a paleta da foto acima. Acho que naquele ano, provavelmente, eu tenha sofrido muito sem carne no período da Quaresma!!

Costeletas de Cordeiro Milanese (Serve 4)

E assim festejamos a Páscoa!

E assim festejamos a Páscoa!

Ingredientes:

8 costeletas de cordeiro

sal e pimenta

8 fatias de pão de forma, branco ou integral

1 raminho de alecrim

1 raminho de tomilho

2 ovos batidos, para empanar

farinha de trigo para empanar

óleo vegetal para fritar

Modo de Preparo:

Tempere as costeletas com sal e pimenta do reino moída na hora.

Em um processador de alimentos ou no liquidificador, coloque as fatias de pão com as ervas e triture até formar uma farinha. Tempere com sal e pimenta do reino moída na hora.

Sal e pimenta é o que basta para estas deliciosas costeletas

Sal e pimenta é o que basta para estas deliciosas costeletas

Passe as costeletas na farinha de trigo, depois no ovo batido e em seguida empane na farinha de pão temperada.

Aqueça o óleo em uma frigideira e frite as costeletas até a casquinha ficar dourada. A carne de cordeiro deve ficar ao ponto e rosada. Estará muito suculenta. Se você estiver cozinhando para um batalhão, não se desespere. Vá fritando as costeletas e coloque-as em uma assadeira e conserve no forno baixo até que todas estejam prontas.

Estas delícias eu servi com polenta cremosa e as incríveis cebolas assadas. Deixo esta receita abaixo:

Cebolas Brancas Assadas (Serve 4)

Ingredientes:

4 cebolas brancas grandes

1 colher de chá de sal

1 colher de sopa de manteiga

sal e pimenta do reino

4 raminhos de alecrim

4 fatias de bacon

2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado

Modo de Preparo:

Descasque as cebolas e coloque em uma panela grande. Cubra com água, adicione 1 colher de chá de sal e cozinhe por 15 minutos ou até que fiquem suaves ao toque do garfo.

Escorra e deixe esfriar até que seja possível manuseá-las. Faça uma cavidade central com cuidado para que não perfure o fundo. Pique toda a cebola que foi retirada da cavidade.

Cebolas brancas recheadas - um perfeito acompanhamento

Cebolas brancas recheadas – um perfeito acompanhamento

Aqueça o forno a 200 graus.

Em uma frigideira, aqueça a manteiga, junte a cebola picada e refogue ligeiramente. Retire as folhas até a metade do ramo do alecrim, pique e junte ao refogado. Tempere com sal e pimenta do reino moída na hora. Com uma faca afiada raspe o ramo de alecrim para que fique pontiagudo.

Enrole 1 fatia de bacon na cebola e “prenda” com o alecrim. Coloque as cebolas em uma assadeira. Recheie com o refogado, polvilhe queijo parmesão e leve ao forno alto por 20 minutos ou até que estejam tenras e gratinadas.

Feliz Páscoa!

DICAS:

  1. Caso você queira fazer o porco lá de cima, precisará de 1 paleta de 2 kg, com osso e a pele. Aqueça o forno a 200 graus. Com uma faca afiada faça cortes na pele de aproximadamente de 0,5cm sem cortar a carne, somente a pele, em xadrez. Passe sal, de preferência, grosso, na pele e massageie para que penetre nos cortes. tempere a carne com sal e pimenta do reino moída na hora. Coloque a carne em uma assadeira e leve ao forno para assar por 30 minutos, ou até que a pele começa a pururucar. Abaixe o forno para 170 graus, embrulhe a carne com duas camadas de papel alumínio e cozinhe por mais 4 horas. Na última meia hora retire o papel alumínio, volte a temperatura a 200 graus e termine o cozimento. Pronto! Só não saia para brincar na neve!! 😉

Para sobremesa, vá de Pudim de Claras!

Amizade não tem idade, nem prazo. Só o momento certo!

Recebemos um outro texto, lindo, cheio de emoção e eu gostaria de tê-lo publicado na semana passada, mais especificamente no dia 29 de novembro para homenagear a autora, minha amiga Geisa, no dia do seu aniversário. Infelizmente não deu. Teve que ser hoje. E ao lê-lo novamente percebi como as amizades nascem sem nem mesmo tentar. É o curso da vida e este mistério é encantador!

“Conheci a Patrícia em uma situação inusitada e ao mesmo tempo inesquecível…
Estava trabalhando no tasting de um restaurante brasileiro que abriria aqui em Londres em 2007. Certo dia diante de todos os entulhos da construção e reforma do restaurante, com uma cozinha provisória no fundo da obra, vejo chegar esta moça… chiquérrima… com um casaco de frio preto, toda arrumada e com algumas sacolas da Harrod’s (para quem não conhece a mais famosa loja de departamento de Londres). Perguntou-me onde poderia encontrar o head chef. Indiquei o escritório e confesso que fiquei pensando no que uma moça tão chic estaria interessada no meio de tantos entulhos. Não nos vimos mais….

Muito tempo depois, na época em que o restaurante estava para abrir e todos os contratados vieram para fazer o tasting… quem eu vejo lá? A moça chic daquele dia frio e chuvoso! Na hora me lembrei dela. Confesso que ri sozinha… Ela estava lá procurando emprego, também! EuPaty07geisa

Não saberia dizer onde nasceu nossa amizade… e amizades verdadeiras não precisam ter data marcada, não é mesmo? Elas simplesmente acontecem com a “mão de Deus” e assim eu a e Paty (como comecei a chama-lá carinhosamente) nos tornamos grandes amigas. Um dia veio um almoço na casa dela, conheci ao Roberto e o Pedrinho, que tinha apenas um ano e pouco. No meio do delicioso almoço trocamos idéias, conversamos sobre comida, bolos, doces, o trabalho e a tarde foi curta para tudo.

Uma amiga incrível, que sempre me apoiou em todos os momentos em Londres. O restaurante que trabalhávamos fechou (infelizmente) mas a nossa amizade sobreviveu à sua ida para o México e agora com a ida para o Brasil (confesso que sou um pouco insistente com minhas verdadeiras amigas e sempre estou procurando saber notícias).

A melhor surpresa foi ela aparecer aqui em Londres neste ano. Estava trabalhando fora da cidade e ela foi lá me visitar. Tive uma tarde maravilhosa, tomamos uma cider deliciosa em um pub tipicamente inglês para ficar registrado este reencontro. É esta foto que estao vendo. geisa2

Comemos muitas coisas deliciosas juntas… mas nehum momento será tão histórico como o nosso afternoon tea na Peggy Porschen… Delicioso! Segue a foto para você… e segue também a minha receita favorita para ficar registrada aqui. Neste momento as minhas “Memórias Gastronômicas” estão nos nossos encontros para tomar o chá da tarde na John Lewis.

Agora é final de ano… mais uma vez… e a gente fica mais sensível… sente saudade de casa e de todos os amigos especias… assim como você, amiga!

cha1cha2

Quero apenas dizer o quanto você é especial e o quanto eu amo você! A saudade é sempre grande mas eu sei que posso contar contigo a qualquer momento.

“Nada simboliza mais Londres e os famosos chá da tarde do que o delicioso Victoria Sponge Cake. Uma vez que você experimentar um pedaço… vai querer mais!!! É o meu favourito… Simples e delicioso!”

Bolo Victoria Sponge para o chá das cinco (Serve 12 fatias)

victspong

Este bolo é muito simples e fácil de fazer. Mas a qualidade dos ingredientes fará toda a diferença!

Ingredientes:

175 gr de açucar refinado

175 gr de manteiga ou margarina para bolo

175 gr de farinha de trigo

1 colher de chá de fermento químico

175 gr de ovos (isso equivale a aproximadamente 3 ovos grandes sem considerar a casca)

1 baunilha  ou 1 colher de chá de extrato de baunilha

300 ml de creme de leite fresco

150 gr de açucar de confeiteiro

geléia de morango, o quanto baste.

victspong

Modo de Preparo:

Pré aqueça o forno a temperatura média, 180 graus. Unte duas formas para bolo de 20 cm com manteiga e farinha de trigo.

Na batedeira bata a manteiga e o açucar até obter um creme claro e homogêneo. Acrescente as sementes de baunilha e os ovos, um a um, até misturar bem.  Em velocidade baixa adicione a farinha e o fermento, uma colher por vez.

Despeje a massa nas duas assadeiras e asse por 25 minutos ou até dourar. Faça o teste do palito. Deixe esfriar sobre uma gradinha.

Bata o creme de leite com o açucar de confeiteiro em ponto de chantilly

Quando o bolo estiver frio, coloque na travessa em que vai servir um dos bolos e uma camada da geléia e por cima o chantilly . Coloque o outro bolo em cima mas não pressione muito. Para decorar somente açucar de confeiteiro. Para saborear este bolo nada melhor do que uma xícara de chá. Simples assim!!

Salmão ao Molho de Maracujá da co-blogueira Vivi

Este post é uma delícia. Primeiro porque a receita é muito boa e super fácil de preparar. E segundo porque este post foi escrito pela Vivi de Araújo. Vocês se lembram do post do Rosbife da Lulu? Então, este aqui é igualzinho. Foi escrito com todo o carinho por uma amiga pessoal, e do Blog! Você também pode se meter no nosso blog, se quiser. Mande sua receita, testada e aprovada! e terá seu Dia de Blogueira(o)!

Recentemente, eu e meu marido Miguel convidamos Nick, um de nossos amigos para jantar. Miguel e eu adoramos massa. E acho que é uma opção sem margem de erro. Afinal, quem não gosta de massa?

Nick é filho de sicilianos, que me faz pensar que qualquer tentativa de fazer uma deliciosa massa seria como chover no molhado, nada de novo. Lembrei da receita de salmão ao molho de maracujá que minha mãe fazia. Maracujá, ou passion fruit, como eles chamam aqui nos esteites, não é muito popular, então seria uma surpresa.

Mas e os acompanhamentos? Adoro os desafios de preparar um prato novo então entrei no blog “memórias” e mergulhei nas histórias e receitas.

É difícil manter o foco num blog com tantas receitas e historias gostosas (ahhhhhh! Tive que me meter. Que linda esta Vivi puxando o nosso saco!!!). Fui a página dos bem-casados, passei pela torta de resto (minha família tambem faz!), cookies de creme de amendoim – esse será o próximo desafio.. e epa! Foco!!

Logo encontrei uma receita de salmão e tomates recheados com couscous marroquino que me deu agua na boca.

Parecia perfeito, mas eis que li mais uma dica: o prato seria muito light para homens famintos.

Fiz batata a dore acompanhando os acompanhamentos, se podemos assim chamá-los, e aí sim pude relaxar.

Tudo ficou uma delícia e foi gratificante ver que o Nick realmente se surpreendeu e se deliciou com tudo. Obrigada Memórias!! (Aqui, com lágrimas nos olhos, somos nós que agradecemos!!!)

Salmão ao molho de maracujá (Serve 3)

Foto: afraniorestaurante

600 g de filés de salmão

300 ml de suco de maracujá

300 ml de vinho branco

1 cebola pequena cortada em cubinhos

sal e pimenta a gosto

400 ml de creme de leite sem soro

100 g de manteiga

1 pitada de acucar

azeite de oliva para fritar o salmão

Numa panela, junte o suco, o vinho e a cebola em cubinhos. Adicione sal e pimenta a gosto. Deixe ferver e reduzir pela metade. Adicione o creme de leite e reduza mais.

Desligue o fogo e numa batedeira, misture o molho com a manteiga. Adicione a pitada de açucar para equilibrar um pouco a acidez.

Tempere os filés de salmão com sal e pimenta e frite em azeite de oliva

Coloque o molho por cima e sirva imediatamente.

Em tempo: A Vivi, gulosa, comeu todo o salmão e não me mandou foto. Terei que prepará-lo e fotografar!!!