A Maturidade de uma Receita #ColetivoGastronômico [Jalapeños Gratinados]

Eu me lembro que a primeira vez que vi um jalapeño recheado foi nos idos dos anos 90, quando morei nos Estados Unidos. Num domingo qualquer almoçando na Pizza Hut, chega uma bandeja de pimentas fumegantes, recheadas e ainda borbulhado, com muito queijo derretendo de dentro de uma capa de fritura empanada. Parecia o paraíso até colocar a primeira na boca. Até hoje consigo sentir o ardor da primeira vez. Aos 16 anos… Ah… sweet sixteen! hahaha

Mas na vida é importante que nos acostumemos. Até mesmo com as pimentas recheadas, pois elas apareceriam mais uma vez na minha vida. Desta vez, vinte anos depois, mais madura e experiente. A paixão e o fogo inicial se transformaram em amor duradouro e um calor reconfortante. Um pouco menos junk food, sem aquela capa de fritura, experimentei a receita de jalapeños gratinados que, apesar de ser uma invenção texmex os mexicanos souberam, muito bem, dar uma nova cara e roupagem a estas deliciosas pimentas.

Baseados na receita de chiles rellenos de las abuelas, as ardidas pimentinhas, deixaram de ter aquele apelo imaturo e frívolo de uma adolescente e ganharam mais requinte e sobriedade, assim como uma mulher madura e dona de si! 😉

Com ingredientes simples e nenhuma técnica esta receita é a prova perfeita de que menos é mais. De que o pretinho básico nunca sai de moda!

E foi por isso que a escolhi para o tema Petiscos, do #ColetivoGastronônico do mês. Ela faz jus e se encaixa perfeitamente nesta nossa nova fase, onde o importante é sermos o que somos, mas parar as arestas e deixar o excesso de lado é fundamental!

Jalapeños Gratinados (Serve 4)

Uma receita na maturidade da sua vida! ;)

Uma receita na maturidade da sua vida!

Ingredientes:

12 pimentas jalapeños ainda verdes

300gr de requeijão cremoso (pode ser cream cheese, creme de ricota, Catupiry)

1 xícara de bacon picadinho, frito e crocante

1 xícara de queijo cheddar ralado

1 colher de sopa de xarope de  maple ou mel (opcional)

Modo de Preparo:

Pre aqueça o forno a 200 graus. Forre uma assadeira com papel manteiga.

Corte os jalapeños ao meio no sentido do comprimento, com cuidado para formar “barquinhas”. Retire as sementes e as membranas e coloque-as na assadeira

Sem sementes, mais brando. Com sementes, ardente e fugaz.

Sem sementes, mais brando. Com sementes, ardente e fugaz.

Usando uma faca de manteiga ou um saco de confeiteiro recheie cada metade de jalapeño com o requeijão cremoso. Eu sempre tenho saco de confeitar descartáveis por aqui. São muito úteis e facilitam demais qualquer trabalho de recheio na cozinha.

Ajudante estrela, o saco de confeiteiro facilita na hora de rechear.

Ajudante estrela, o saco de confeiteiro facilita na hora de rechear.

Coloque o bacon sobre o requeijão e leve para o forno por 10 minutos até que as pimentas estejam tenras e o queijo bem cremoso e borbulhante.

Retire do forno e polvilhe com cheddar ralado. Volte ao forno por mais 5 minutos até que esteja gratinado. Você pode usar o grill nesta fase.

Regue com o maple ou mel, se estiver usando e sirva imediatamente. Eu adoro o contraste do cremoso com crocante, do picante com a doçura…

A receita perfeita: cremoso e crocante; picante e suave

A receita perfeita: cremoso e crocante; picante e suave

DICAS:

  1. Caso não encontre as pimentas jalapeños na feira ou nos mercados, já existe por aí uma pimenta chamada americana que é um pouco maior e menos picante. Se gostar do ardor, deixe as sementes. A pimenta cambuci também fica deliciosa.
  2. NÃO use aquele queijo tipo cheddar processado, em fatias. É bastante díficil encontrar o cheddar verdadeiro, eu sei. Mas um ótimo substituto é o queijo do Reino.
  3. Você pode deixar o maple/mel de fora. Mas assim como uma pitada de sal realça a doçura dos doces, o mel realçará a pungência da pimenta, mas ao mesmo tempo deixando o ardor de fora. Difícil explicar, por isso, experimente!

E para mais delícias assim veja o que o #ColetivoGastronômico preprou este mês:

coletivo

O que temos hoje, Elisa? – Arepa de Mandioca

Blog Gordices – Batata Bolinha Assada com Alecrim

Arte na Cozinha – Boneless Bufalo Wings

Cozinha da Gertrudes – Croquete de Mortadela

Na Cozinha da Carina – Dadinho de Tapioca com Geléia de Pimenta

Menu Criativo – Muffin de Calabresa e Queijo

Artes da Mel – Bolinho de Carne

Azeitonas Temperadas – Linguiça com Chutney de Frutas Secas

Pimenta na Cozinha – Rolinho de Salmão Defumado

Mosaico de Receitas – Guacamole

Acompanhamento para todas as horas [Conserva de Boteco]

Esta receita eu elaborei a primeira vez quando ainda era dona do Romã Armazém Gourmet. E foi um produto que deveria ser limitado, para o período da Copa do Mundo. Mas o negócio ficou tão bom que entrou para o cardápio dos favoritos dos clientes.

Além de fácil e versátil, condições de muitas receitas daqui, é daquelas que não podem faltar na geladeira pois quebram muitos galhos. Se chega uma visita inesperada, ali está ela; se não sabe qual acompanhamento servir com o frango, ela de novo; no churrasco, quase protagonista!

Todos os ingredientes para esta receita eu compro na Zona Cerealista, em São Paulo. Vou em lojas como a Camanducaia ou Armazém São Vito. Mas os grandes supermercados e empórios já têm uma gama bastante grande de temperos e grãos

Por isso não deixe de provar e manter sempre um vidro, grande!, no seu estoque. É felicidade certeira.

Conserva de Boteco (1 vidro de 1 litro)

Agora é só abrir a cerveja ou uma branquinha e aproveitar!

Agora é só abrir a cerveja ou uma branquinha e aproveitar!

Ingredientes:

2 colheres de sopa de tempero Chimuchurri (eu uso o seco, que compro na Zona Cerealista)

1 colher de sopa de sementes de coentro

Azeite de Oliva, o quanto basta (aproximadamente 200ml)

150g de Azeitonas Verdes (eu usei recheado com amêndoas)

150g de Cebolinha em Conserva

150g de Alho Confitado

150g de Bimenta Biquinho

E aí? Vamos botecar?

E aí? Vamos botecar?

Modo de Preparo:

Escorra bem todos os ingredientes para retirar o excesso de água ou qualquer outro líquido de marinada.

Em uma panela pequena, aqueça 1/2 xícara de azeite e coloque o tempero chimichurri, caso esteja usando o seco. Isso liberará mais aromas e o sabor do tempero. Se utilizar o chimichurri fresco pule esta parte. Deixe esfriar

Em um pilão macere as sementes de coentro. Você verá que o aroma não é nada parecido as folhas de coentro e aportará muito frescor à receita. Não deixe de usá-las.

Deliciosamente fragrantes e aromáticas

Deliciosamente fragrantes e aromáticas

Em uma tigela misture todos os ingredientes, inclusive o chimichurri. Coloque em um vidro com capacidade para 1 litro e complete com azeite de oliva até a boca para evitar a criação de mofo.

Guarde por 2 dias antes de consumir para impregnar os temperos. Coma sem moderação!

DICAS:

  1. Substitua livremente os ingredientes: tremoço, azeitonas pretas, picles caem muito bem.
  2. Você pode comprar o alho confitado no mercado ou fazê-lo: cozinhe os dentes de alho descascado em 1 copo de água e 1/2 litro de vinagre de vinho branco por 3 minutos após levantar fervura. Escorra e coloque em um banho de água com gelo até estar bem frio.
Petiscos e Acepipes

Petiscos e Acepipes

Caldinho de Feijão ganhando fama na África!! [Coletivo Gastronômico]

Quando minha amiga Geisa recebeu a oferta de se mudar para a África e assumir a área de confeitaria do Yolo Group, um grande grupo de restaurantes, eu fui a primeira a incentivá-la, muito. Ela vivia em Londres por 13 anos, tinha uma vida estável. Mais faltava algo mais em sua carreira.

Eu a conheci no restaurante Mocotó que teve vida curta em Londres – não, não é o Mocotó do Rodrigo Oliveira. Logo de cara nos tornamos grandes amigas. O restaurante fechou, cada uma foi seguir sua vida; ela em restaurantes eu em catering. Logo depois me mudei para o México, depois voltei para o Brasil, mas a amizade continuou. Skype e e-mails sempre foram nosso meio de contato. Nos vimos uma única vez nos últimos 8 anos, rapidamente no aeroporto enquanto ela esperava seu vôo de volta para Londres.

E ela aceitou o desafio. E logo me colocou um outro: venha, você, me visitar! E como eu não gosto de ser desafiada 😉 Não recusei a proposta. E com ela veio uma oferta tentadora: montar um cardápio de comida de boteco para um projeto de abrir um bar brasileiro onde antes funcionou a Brazil House, em JamesTown, Accra.

Brazil House é o berço para os afro descendentes que estavam no Brasil e resolveram voltar para o continente africano há mais de 170 anos. Ali nasceu a tribo Tabon. Parece piada, mas é verdade. Esta comunidade recebeu este nome porque tudo o que eles sabiam falar era “tá bom”.

Giselle Mastrosanti, a irmã de Geisa e uma competentíssima diretora é quem administra todas as casas do grupo Yolo e, em conjunto com a embaixada do Brasil, está mergulhada neste projeto para reativar o museu, um centro cultural e um boteco a beira mar. E é aí que eu entro. Nas duas primeiras semanas que passei em Accra fui conhecer os mercados, testar ingredientes e receitas, pois a ideia é ter uma fusão de pratos bem brasileiros com ingredientes locais. E qual não foi minha surpresa que quase todos os ingredientes que encontrei me são muito familiares. A mandioca está por toda parte. Quiabo, banana da terra, azeite de dendê, feijão preto e feijão fradinho foram outros grandes aliados na degustação.Tasting11

Saí muito satisfeita com o resultado e com a promessa de já colocar alguns dos pratos no cardápio do terraço do restaurante! E para minha grande surpresa, o caldinho de feijão foi um sucesso unanime. Divido com vocês a minha receita que ganhou o paladar dos ganeses!

Caldinho de Feijão Preto (Serve 12 porções)Tasting1

Ingredientes:

500gr de feijão preto, preferencialmente bem novo

150gr de paio ou linguiça calabresa cortada em rodelas

50gr de bacon cortado em cubos

2 colheres de azeite de oliva

3 dentes de alho picados

2 echalotas picadas

1 talo de salsão

1 gomo de coentro

1 pimenta dedo de moça (opcional)

Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto

Modo de Preparo:

Escolha o feijão e lave sob água corrente e reserve.

Aqueça uma panela e coloque a linguiça e o bacon e deixe fritar e soltar a gordura. Acrescente o azeite o alho e a chalotas e deixe dourar juntamente com a carne. Acrescente os demais ingredientes e o feijão e cubra com 2 litros de água. Deixe ferver, reduza o fogo e cozinhe em fogo baixo por 1 hora com a panela semi tampada. Teste o feijão que deverá estar bem macio.

Tasting12

Bata todos os ingredientes no liquidificador adicionando o próprio caldo do feijão até atingir a consistência desejada. Eu gosto bem cremoso…

Sirva com cebolinha picada finamente e crisps de bacon. Para quem gosta mais picante, este molho de pimenta é um delicioso acompanhamento.

Os demais pratos servidos no menu foram:

  • Pão de Queijo Tasting3
  • Dadinhos de Tapioca com Geleia de PimentaTasting4
  • Croquete de Frango com Quiabo servido com vinagreteTasting5
  • Escondidinho de Carne SecaTasting7
  • Falso Acarajé com Bobó de CamarãoTasting8
  • Casquinha de SiriTasting9
  • Peixinho frito na crosta de castanha de caju servido com Aioli de limãoTasting10

Além de outras sugestões:

  • Quiabo tempura com aioli de chipotle
  • Cubos de abóbora e carne seca
  • Calabresa acebolada flambada na cachaça
  • Tapioquinhas de queijo coalho, carne de sol
  • Bolinho de bacalhau

O que acham? Este boteco tem tudo para dar certo?? 😉

DICAS:

  1. Para este caldinho você pode usar feijão carioca, rosinha ou até mesmo branco;
  2. Se você, como eu adora sopas, indico os blogs abaixo para saborear uma deliciosa receita. A partir deste mês o Gastronomia & + faz parte do Coletivo Gastronômico. Um grupo de blogueiros super bacanas onde dividimos receitas, palavras, histórias. Não deixem de visitar!

coletivo

My Flavors – Sopa de Couve Flor com Ervilhas Frescas, Repolho Roxo e Tiras de Frango

Ana Claudia na Cozinha – Sopa Creme de Pinhão

 A Casa Encantada – Sopa de Mandioca, Carne Seca e Couve Crisp

Na Cozinha da Gertrudes – Sopa Vermelha

Gordices – Caldo Verde

Panela e Paixão – Sopa de Capeletti e Linguiça

Se Eu fiz Você faz – Creme de Abóbora e Gorgonzola

Feijão no Prato – Creme de Legumes e Nata

O que temos hoje, Elisa? – Sopa de Carne com Legumes

Burburinho na Cozinha – Caldo de Camarão

Experimente+ – Creme de Abóbora Japonesa

Delicious by Mari – Sopa de Chocolate

Artes da Mel – Creme de Feijão Branco e Linguiça

Minha Marmita Tem – Sopa Irlandesa

Better Call San – Creme de Batatas Aveludado com Bacon

Mosaico de Receitas – Caldo Verde de “Mãe”

Alguém já viu cabeça de bacalhau? [Bolinhos de Bacalhau]

Ando sumida pois o trabalho está me consumindo. Tenho feito um evento, no mínimo, por semana o que me deixa ocupada e presa na minha cozinha, longe do computador e da vida social…

Mas isso é bom já que meu sacrifício de Quaresma este ano foi deixar de acessar o Facebook durante os quarenta dias de penitência. Estava viciada e “fofoqueira”!!!

Um desses trabalhos é um evento de comidinhas de boteco que vou preparar para comemorar os 40 anos de uma amiga. Imagine só a responsabilidade dessa “degustação” onde a maioria dos convidados são mexicanos. Ay caramba!

Pensando no cardápio me ocorreu preparar bolinhos de bacalhau já que nesta época a oferta de bacalhau é abundante, estão em excelente qualidade e a bom preço.

E me lembrei de uma receita que é maravilhosa por si só e uns pequenos ajustes (!) a deixaram ainda melhor. Esta receita foi publicada no blog de Saul Galvão em 2007. Nunca mais esqueci, mas a preparei poucas vezes. E cada vez achava que precisava de algo mais apesar se ser perfeita! Aqui está versão final, que divido com vocês e deixo todo mundo a vontade para acrescentar a uma pitaca!

Bolinhos de bacalhau de Maria de Lourdes Modesto por Saul Galvão com minhas pitacas.

bolinhobaca

Ingredientes:

250 gramas de bacalhau;

1 litro de leite;

2 folhas de louro seco

200 gramas de batata;

½ cebola picada bem miudinha;

1 colher de sopa de salsinha picada;

1 colher de sopa de ciboulette picada;

1 cálice pequeno de vinho do Porto;

3 ou 4 ovos;

noz-moscada ralada na hora, o quanto baste;

sal e pimenta-do-reino, o quanto baste;

1/4 de xícaras de azeitonas pretas picadas;

azeite de oliva para fritar.

Modo de Preparo:

Dessalgue o bacalhau com bastante antecedência. Se não for muito espessa a posta, 48 horas trocando a água muitas vezes, a cada 2 horas. É bom manter o bacalhau na geladeira.

Cozinhe o bacalhau dessalgado no leite e folhas de louro. Retire as eventuais espinhas e a pele. Desfie o bacalhau. Eu gosto de deixar pedaços um pouco grande para sentir a textura do bacalhau.

Descasque e cozinhe as batatas no leite do bacalhau. Esprema as batatas ainda quente formando um purê. Eu ainda passo na peneira pois gosto da batata bem lisinha.

Coloque o bacalhau e o purê de batata numa vasilha. Junte a cebola picada, o vinho do Porto, a salsinha, a ciboulette e as azeitonas. Tempere com noz moscada, sal e pimenta.

Vá misturando a preparação com as mãos e colocando os ovos, um a um até conseguir uma massa homogênea. A quantidade vai depender do tamanho dos ovos e da quantidade de líquido que tenha absorvido as batatas no cozimento.

Molde os bolinhos com duas colheres formando queneles. Frite em abundante azeite de oliva bem quente. Sirva com fatias de limão e uma cerveja bem gelada!