Inclua Legumes na Dieta em Forma de Chocolate!!! [Cupcakes de Beterraba e Chocolate]

Ontem foi aniversário do meu filhote. Nem acredito… 10 anos. Já é um garotão. Ficamos horas na cama, antes do café da manhã, relembrando os momentos da gravidez, os exames médicos e tudo o que eu comia…

_ ¨Será que é por isso que eu como tanto brócolis, mãe?”

_ “Ah… E você já sabia que eu seria um jogador de futebol pelas bicudas na bariga, né, mãe?”

_ “Zuera mãe, mas eu te amo mais que Clash of Clans…” :\

Acho que é igual com todas as mães, mas para nós o sentimento é singular, como se fosse somente conosco. Eu só tenho um filho, mas imagino que seja assim com as mães de vários também. Cada serzinho desses é único, é uma peça rara neste quebra cabeça que é a vida, que é o nosso mundo! É bom demais…

Na sexta-feira passada, seria o dia de levar bolo para a escola para cantar “Parabéns”. Ele pediu que fossem cupcakes, já que seria mais rápido, “cada um pega o seu e sai correndo; assim dá tempo de jogar futebol”… Logo eu que sou uma catástrofe dos doces?? Comprar?? Que decepção para a criança, dizer que sua mãe é uma cozinheira mas foi na padaria comprar os bolinhos do seu aniversário.

Desafio aceito, resolvi desafiar a molecada, também. Por que não, com a ajudinha do chocolate, botar um pouquinho de saúde nestes cupcakes?? Não sou nada neurótica e acho que cada um tem que comer aquilo que gosta mas me incomoda muito criança que não come bem porque não teve a oportunidade de experimentar.

E lá fui eu para a cozinha. Debaixo da deliciosa cobertura de chocolate por que não um bolinho de beterraba?? É como um bolo de cenoura, só que com beterraba…

Cupcakes de Beterraba e Chocolate (Serve 20 Cupcakes)

Bolo certeiro para um campeão na minha vida!

Bolo certeiro para um campeão na minha vida!

Ingredientes:

200gr de chips chocolate meio amargo ou se usar barra cortado em pedaços pequenos

250gr de beterraba crua ralada

3 ovos grandes, de preferência orgânicos

200ml de óleo de canola, ou outro óleo vegetal

2 colheres de chá de extrato de baunilha

100gr de açucar mascavo (hummm combina perfeitamente com a beterraba!)

100gr de açucar refinado

200gr de farinha de trigo para bolo*

2 colheres de sopa de cacau em pó

2 colheres de chá de fermento

Para a ganache

200gr de chocolate meio amargo picado

200ml de creme de leite (eu usei de soja já que meu filho pediu pois seu melhor amiguinho tem intolerância a lactose)

Sua porção de legumes em forma de chocolate!

Sua porção de legumes em forma de chocolate!

Modo de Preparo:

Pre aqueça o forno a 180 graus.

Coloque o chocolate picado em uma tigela e derreta em banho maria ou no microondas utilizando a potência média e checando a cada 30 segundos e mexendo para que o chocolate não queime. Eu deixei usei chips de chocolate e só quebrei em pedaços menores e usei-os assim. Queria que a galerinha percebesse que o bolo não era bem de chocolate!

No liquidificador bata a beterraba ralada, o óleo, os ovos, a baunilha e os açucares até obter um creme rosa lindo e bem sedoso. Em outra tigela peneire os secos: farinha de trigo, cacau em pó e o fermento. Misture o creme de beterraba e ovos com a farinha até incorporar.

Forre assadeiras para cupcakes com forminhas de papel forneáveis e preencha 2/3 com a mistura de bolo. Eu sempre uso uma colher de sorvete para esta tarefa. Assim, não me perco na medida e os bolinhos saem todos do mesmo tamanho.

Esta linda cor quase púrpura se transformará num bolinho de chocolate marrom clarinho. Ciência na cozinha.

Esta linda cor quase púrpura se transformará num bolinho de chocolate marrom clarinho. Ciência na cozinha.

Leve para assar por 20 minutos ou até que ao inserir um palito de dente no centro dos bolinhos este saia limpo.

Retire a assadeira do forno e transfira os bolinhos para uma gradinha para esfriar.

Para preparar a ganache, misture o chocolate picado com o creme de leite e leve ao banho maria até derreter. Deixe amornar, coloque em um saco de confeiteiro e leve a geladeira por 1 hora para firmar.

Eu nem sei qual o bico que utilizei. Acho que era o estrela e era o único que achei (zero confeiteira!!!). Depois de frios confeite os bolinhos com a ganache de chocolate.

Fui buscar o meu filho na escola e retirar o que sobrou. Nem lixo para contar a história do aniversário! 😉

Bolo malhadinho com pedacinhos cremosos de chocolate!

Bolo malhadinho com pedacinhos cremosos de chocolate!

DICAS:

  1. * Para fazer sua farinha de bolo: para cada xícara de farinha de trigo, substitua 2 colheres de sopa de farinha contida na xícara por amido de milho. Isto te dará um bolo mais leve e fofo porque conterá menor quantidade de glúten;
  2. Se quiser disfarçar mais a cor do bolinho, derreta o chocolate e misture no liquidificador com os demais ingredientes. Deixe o liquidificador funcionando e acrescente em forma de fio para que o chocolate não endureça de uma vez;
  3. A outra metade dos bolinhos foi de laranja com cenoura e cobertura de ganache de chocolate branco. A turma ficou em dúvida de qual era o melhor!! 🙂 ❤

Receita de Amor! [Salada do Pedrinho]

Este post é uma continuação da saga do dia de ontem. Na verdade, 
foi logo na sequência que tudo aconteceu.

No caminho para casa, sem saber se haveria energia elétrica, já sugeri jantarmos na padaria, pois nem imaginava o que fazer para o jantar. Meu filho, receoso em perder o jogo do time do coração, foi logo dizendo:

“_ Que nada mamãe. Vamos para casa. Você sempre acha alguma coisinha lá no fundo da geladeira e ataca de Macgyver!”

Por sorte, já tinhamos luz no prédio. Fui logo colocando uma panela no fogo para cozinhar quinoa. Alguma coisa teria que dar para esta criança comer.

Ao sair do banho, meu filho pergunta:

“_ Mãe, então, qual vai ser o jantar?”

“_ Ainda não sei, meu filho. Estou cozinhando quinoa. Acho que uma salada. Está calor.”

“_ Posso fazer?”

“_ O quê?”

“_ A salada.”

“_ Pode me ajudar. Vem…”

“_ Não. Posso fazer sozinho? Você tá cansada. Pelo menos parece… Do que vai ser? Me fala que eu faço.”

Nesta hora senti um filme passando na minha frente. Piegas? Pode ser, mas senti um aperto no coração. Senti que a vida estava, sim, fugindo do meu controle, passando num segundo e que se não fosse para vivê-la no todo de nada valeria…

Arrumei a tábua para picar, peguei a faca certa e lhe disse:

“_ Eu ia mesmo atacar de Macgyver, meu filho. O que eu encontrasse na geladeira eu ia colocar na salada…”

“_ E eu posso?”

“_ Pode. Estou aqui, se precisar. Hoje eu sou tua ajudante. Vou ficar só observando!”

Neste post aqui eu falo como percebi o quanto me parecia com a minha mãe enquanto cozinhava. Será a genética ou o aprendizado? Bem, vi a mesma situação com meu filho. Ele abriu a geladeira e foi pegando tudo o que estava lá e que poderia servir para a sua salada, sem seguir muito a receita ou algum padrão. Só se lembrando como a mamãe faz…

“_ Posso usar este grão de bico? E os tomates? Os dois tipos? A salsinha nem precisa cortar, né? Vou rasgar igual você faz…”

E naturalmente ele foi montando o prato e a mãe desabando a chorar.

“_ Mãe, cê tá chorando? Ficou emocionada? Quem tem que chorar sou eu que estou cortando a cebolinha!!!”

Salada do Pedrinho (Serve 4 como acompanhamento)

Não são tomates, cebola ou azeite o ingrediente principal. É o amor!

Não são tomates, cebola ou azeite o ingrediente principal. É o amor!

Ingredientes:

1/2 xícara de mix de quinoa branca, preta e vermelha

200gr de grão de bico cozido

1 pepino japonês cortado em cubinhos

150gr de tomates sweet grape vermelhos, cortados ao meio

150gr de tomates sweet grape amarelos, cortados ao meio

1 bulbo de erva doce pequeno, cortada em cubinhos

3 ramos de endro ou dill, picados grosseiramente

1/4 de xícara de folhas de salsa, picadas grosseiramente

1 talo de cebolinha verde, fatiada

Azeite extra virgem, sal e pimenta do reino preta a gosto

suco de 1 limão siciliano

As cores quentes do verão

As cores quentes do verão

Modo de Preparo:

Cozinhar a quinoa com água e sal até que comece a “estourar”. Escorrer e deixar esfriar.

Em uma tigela misturar todos os ingredientes. Preparar uma vinagrete com o azeite, suco de limão, sal e pimenta. Regar sobre a salada e misturar bem. Servir fria

DICAS:

  1. Sempre que faço este tipo de salada estilo grega, sirvo com um molho de iogurte. Misture 1 copo de iogurte natural não adoçado com 1 colher de sopa de azeite extra virgem, 1/2 colher de chá de sal, pimenta do reino e umas gotinhas de limão.
  2. Para acompanhar a salada servi umas deliciosas kaftas de cordeiro, mas esta receita fica para outro post!

    A genética não nega...

    A genética não nega…

A delícia de uma homenagem…

Acabo de receber um e-mail da minha querida amiga Ana Lucia. Um e-mail maravilhoso onde ela faz uma segunda homenagem para seu pai. Linda e doída. Na primeira vez, ela fez a paella cuja receita está aqui. Agora ela escreveu um texto lindo que eu não poderia deixar de publicar aqui e compartir com vocês…

Ana, minha doce amiga. Hoje você faz o blog e ele está muito mais delicioso!

“Graças à gentileza da minha querida amiga Patricia, já apareci duas vezes aqui no blog  – na primeira, porque me meti na viagem dela para SanFrancisco (Pê, qual é a próxima viagem??) e, na segunda, porque resolvi me aventurar a fazer uma paella de presente de Dia dos Pais para meu amado pai. Fiquei devendo a foto da paella por muito tempo e agora resolvi pedir licença para não apenas publicar a foto, mas também falar um pouco sobre a deliciosa memória que essa paella deixou.


Quando tive a ideia de fazer a paella e pedi a receita à Patricia, era porque já não sabia mais o que dar de presente a meu pai. E ele, como bom descendente de italianos, sempre apreciou muito comer bem e suas histórias muitas vezes envolviam a lembrança de sabores que havia conhecido ao longo de sua vida. Com a minha mãe ele aprendeu acozinhar (há controvérsias…rs) e, curioso, assistia programas, lia e foi desenvolvendosuas receitas, suas técnicas. E assim, comer em casa era uma delícia!
Até por conta disso, enquanto morei com meus pais, minha participação se limitava a passar pela cozinha para ver de onde vinha aquele cheirinho gostoso que eu estava sentindo e a comer!
Somente quando passei a morar sozinha, descobri que trouxe o gosto pela boa comida comigo e que não ia dar para viver de congelado e sanduíche. Aos poucos, passei a fazer minhas experiências – algumas deram certo, outras nem tanto – e fui curtindo isso cada vez mais, comprando acessórios de cozinha, lendo blogs (este inclusive, claro!) e fazendo cursos. Meu pai e minha mãe foram, obviamente, minhas primeiras “cobaias”.
Meu pai se surpreendeu com essa minha descoberta como cozinheira e não escondia oorgulho de ver a filha fazendo algo de que ele mesmo gostava e pedindo instruções e dicas. Até por isso, achei que fazer um prato de que ele gostava como a paella no Dia dos Pais era uma ótima ideia.

E foi! Com a valiosa ajuda da Patricia, para quem pedi a receita aos 45 minutos do segundo tempo, comprei os ingredientes e no Dia dos Pais de 2011 meu pai, minha mãe e eu nos reunimos na cozinha do meu apartamento para preparar a paella. Acabou sendo uma festa! Curtimos tudo, desde a preparação dos ingredientes, o momento de colocar na panela e, enfim, a hora de saborear! Ele ficou muito feliz e a paella ficou uma delícia!!! 

Depois dessa vez, repetimos a receita no Reveillon seguinte e já fazíamos planos defazê-la de novo no Dia dos Pais deste ano.
Infelizmente, não tivemos essa oportunidade. Na verdade, o Dia dos Pais de 2011 acabou sendo o último que passei junto com meu pai. A falta que ele faz é enorme, mas a lembrança dessa paella me faz ter certeza da sorte que tive de viver momentos como este ao lado dele. E, se como diz Leonardo da Vinci, “para estar junto não é precisoestar perto, e sim do lado de dentro”, meu pai sempre estará junto de mim, dentro demeu coração e nas minhas memórias, inclusive as gastronômicas!”

 

 

 

 

 

Feliz Dia de Ser Feliz

Este post não tem receita. Ou melhor, tem sim. Uma receita de amor, carinho e de uma amizade sem fim. A minha querida amiga Lulu, aquela que mandou a Receita de Rosbife fez este bolo com suas filhas e maridos e não poderia ter sido uma tarde mais divertida e saborosa.

Aproveite você, também, e brinque de ser criança outra vez!

“Bolo Tobogã (Serve quantos quiserem comer)  A receita básica é o nega maluca…bater tudo na mão, fazendo bastante sujeira….não esquecer de colocar um pouco de bolo cru no nariz do papai ou da mamãe enquanto bate a massa….Depois de assado (as crianças devem ficar longe do forno), cobrir o bolo com tudo o que você mais gostar: confete, confeito, muitas velas, chantily, brigadeiro mole, nutela….tudo junto e misturado!!!!Aí é só chamar todos os bonecos e cantar parabéns, mesmo se não for aniversário de ninguém!!! Bom apetite!!!”

Ah! E de lambuja ela escreveu esta outra receita:
Receita de Felicidade (Toquinho)

Pegue uns pedacinhos de afeto e de ilusão;
Misture com um pouquinho de amizade;
Junte com carinho uma pontinha de paixão
E uma pitadinha de saudade.
Pegue o dom divino maternal de uma mulher
E um sorriso limpo de criança;
Junte a ingenuidade de um primeiro amor qualquer
Com o eterno brilho da esperança.
Peça emprestada a ternura de um casal
E a luz da estrada dos que amam pra valer;
Tenha sempre muito amor,
Que o amor nunca faz mal.
Pinte a vida com o arco-íris do prazer;
Sonhe, pois sonhar ainda é fundamental
E um sonho sempre pode acontecer.

Sobremesa azedinha para um pai muito doce! [Potinhos de limão siciliano com coulis de framboesa]

Quando eu conheci meu marido ele logo me disse: “Nao quero me casar nem ter filhos!” (Ou algo assim…). Ele nega, mas eu sei que, na verdade, ele era assim e mudou!

Claro que quando a nossa cria nasceu ele ficou hipnotizado e se apaixonou no primeiro instante. E a genética foi bem generosa com ele. Nosso filho é a miniatura do pai. E isso é maravilhoso!!

Hoje, ao ouvir meu marido dizer que nunca sentiu amor tão grande quanto ao que ele sente pelo filho me faz ter certeza de que toda a persistência do passado valeu a pena! Fico muito feliz em não ter desistido la atrás  e não consigo imaginar pai mais doce e carinhoso para o meu filho.

E para curar tanta doçura e festejar o dia dos pais fizemos, a quatro mãos, essa sobremesa que além de tudo é a preferida do papai!

Potinhos de limão siciliano com coulis de framboesa (Serve 8 )

Um creminho leve e delicioso. Assim como deve ser o amor!

Um creminho leve e delicioso. Assim como deve ser o amor!

Ingredientes:

1 lata de leite condensado

a mesma medida de creme de leite fresco

suco de 2 limões sicilianos

4 ovos

raspas da casca dos limões – somente a parte amarelinha

Para o coulis:

150 gr de framboesa

2 colheres de açucar

1/2 colher de suco de limão

Modo de Preparo:

Pré aquecer o forno a 180 graus.

Bater todos os ingredientes no liquidificador, exceto as raspas das cascas dos limões. Passar a mistura por uma peneira.

Acrescentar as raspas e colocar em ramequins individuais. Colocar os ramequins em uma assadeira e encher com água quente até a metade dos ramequins. Assar em banho maria por 1 hora ou até que estejam firmes. Faça o teste do palito.

Deixe esfriar sobre uma gradinha e coloque na geladeira por 1 hora.

Esta sobremesa tem a cara do papai!

Esta sobremesa tem a cara do papai!

Pulsar os ingredientes do coulis no liquidificador. Servir uma colherada sobre o creminho já frio. E desfrute esta delícia azedinha porque de doce já basta o papai!

Amor incondicional e verdadeiro!

Amor incondicional e verdadeiro!