Piquenique de Mãe [Almôndegas]

Hoje foi dia de #MarmitadeSegunda. Se você não e acompanha pelo Instagram, te explico. Todas as segunda-feiras faço um piquenique com meu filho na escola. É o único dia da semana que almoçamos juntos, então resolvi caprichar. E confesso que este evento muda totalmente o sentimento da segundona pesada. É um acontecimento!

Tudo no maior capricho para espantar o #MondayBlues

Tudo no maior capricho para espantar o #MondayBlues

A escola disponibiliza um refeitório muito bom. Porém, por ser “nosso dia”, prefiro cozinhar comidinha de mãe. Mas já te digo que é tudo sobra. E pode ser sobra do sábado, do domingo, do almoço na casa da avó, a paella da amiga… O importante é ter criatividade para fazer parecer uma comida diferente. Na maioria das vezes quando estou cozinhando faço um pouco a mais exatamente para sobrar. Assim, temos comida caseira, feita por nós, com controle de qualidade 😉  para momentos como este.

Estas almôndegas foram servidas em um domingo qualquer lá em casa. Além de muito versáteis, pois podem ser servidas no molho de tomate e incrementar um macarrão, ou gratinadas sobre brócolis, ou ainda entrar num sanduichão ao melhor estilo Subway. Até servidas no palitinho como petisco! E como são muito fáceis de preparar, normalmente faço logo um montão e congelo. Mas um pulo do gato é congelar após dourar na frigideira ou no forno, nunca cruas. Assim, quando forem para o molho já estarão seladas e ficarão bem suculentas!

Almôndegas de Carne (Serve 24 almôndegas)

No prato da Mama...

No prato da Mama…

Ingredientes:

500g de carne moída (eu usei um contrafilé que, infelizmente, não estava bom para bifes. Moí a carne em casa junto com o bacon. Mas pode ser qualquer carne de sua preferência)

100g de bacon, se possível moído junto com a carne

1/2 xícara de queijo parmesão ralado fino

1/4 de xícara de salsinha bem picadinha

1/4 de xícara de cebola picada bem fininha (ou ralada, mas escorra a água)

3 dentes de alho ralado

1/2 colher de chá de sal

pimenta do reino moída na hora

Meatballs1

1, 2, 3 e já. Almôndegas prontas num instante!

Modo de preparo:

Pre aqueça o forno a 200 graus*.

Caso o bacon não tenha sido moído com a carne, pique-o bem picadinho, passando a faca várias vezes sobra a carne.

Misture todos os ingredientes até obter uma massa bem homogênea e os temperos estarem bem distribuídos. Faça o gesto do O.K. com seus dedos. Assim devem ser o tamanho das almôndegas!!! Agora faça as bolinhas, coloque-as em uma assadeira e deixe descansar na geladeira por 30 minutos. Isto fará com que a gordura da carne, bacon e queijo se solidifiquem e as almôndegas não perderão a forma ao cozinhar.

Agora você poderá dourá-las no forno, ou na frigideira. Eu usei a frigideira com um fio de azeite, porque gosto de aproveitar para já fazer o molho de tomate aproveitando os pedacinhos que ficam grudados no fundo. Nesta fase queremos apenas dar cor porque o cozimento será no molho.

Aqui está o pulo do gato para almôndegas bem suculentas e umidas.

Aqui está o pulo do gato para almôndegas bem suculentas e úmidas.

Se for congelar, retire as almôndegas da assadeira/frigideira e deixe esfriar. Congele separadamente e somente depois coloque-as em um saco para congelamento ou um pote hermético.

Se for cozinhar no molho, faça o molho de sua preferência na frigideira e nos últimos 10 minutos finais acrescente as almôndegas para finalizar seu cozimento.

Sirva fumegante!

...ou no prato sem glúten!

…ou no prato sem glúten!

DICAS:

  1. Esta mesma receita pode ser feita com carne de porco ou frango. Se utilizar frango aumente a quantidade de bacon, ou adicione 1 gema de ovo para dar mais umidade.
  2. Eu não utilizo ovos inteiros ou pão na receita pois acho que ficam muito secas depois de prontas. A clara do ovo coagula e deixa a almôndega “dura”. Se quiser usar ovo, use somente a gema.

Comida MakeOver [Couve Flor Assada em Crosta de Mostarda]

Mesmo em férias, eu adoro cozinhar. Principalmente se for para ensinar!

Quando alguém me faz aquela pergunta: “o que eu faço para o fulano comer mais verduras?” eu me sinto como o super homem que entra na cabine telefônica e sai com seu disfarce pronto para salvar o mundo do mal. Eu coloco meu avental de cozinha e ao infinito e além!

A questão era muito fácil de resolver: como dar mais sabor à couve-flor. Minha amiga adora couve flor, mas seu marido acha insossa, igual a chuchu.

Parêntesis: eu adoro chuchu de verdade! Como será que só eu consigo
achar sabor neste legume??? Aqui tem uma receita deliciosa!)

E lá fui eu cozinhar a couve flor, quase murcha esquecida na geladeira… Se o problema é que a verdura não tem gosto, a solução é incrementar o seu sabor com muitas ervas e especiarias. Isso ressaltará o alimento e acrescentará novos sabores ao paladar.

Para não ficar tão óbvio, mas ao mesmo tempo fácil de preparar, escolhi a receita de couve flor assada para que uma cozinheira amadora não desistisse logo de cara! E ainda por cima, dei uma receita bônus: uma maionese caseira fácil, saudável e deliciosa!

Couve Flor Assada com Crosta de Mostarda e Ervas (Serve 4)

Uma obra de arte cheia de sabor na sua mesa!

Uma obra de arte cheia de sabor na sua mesa!

Ingredientes:

1 couve flor inteira

1 geme a de ovo, orgânico de preferência

1 colher de sopa de suco de limão (eu uso o siciliano; se você gosta de textura use também as raspinhas da casca do limão)

1 colher de sopa de água

1 xícara de azeite de oliva

sal, a gosto (eu uso duas pitadas)

2 colheres de sopa de mostarda (eu usei a mostarda com grãos)

farinha de pão (eu usei 2 fatias de pão de forma integral processadas no liquidificador)

1 raminho de alecrim, somente as folhas

1 raminho de tomilho, somente as folhas

3 raminhos de salsinha, somente as folhas

pimenta do reino moída na hora

Modo de Preparo:

Coloque a couve flor para cozinhar no vapor por 5 minutos até que fique macia mas firme.

Maionese leve e delicada com um toque de limão

Maionese leve e delicada com um toque de limão

Para preparar a maionese, misture a gema de ovo, o suco de limão (e as raspas se for usar) e a água. Com um mixer bata a mistura e acrescente o azeite em oliva em fio e continue batendo até que fique uma mistura homogênea e firme, com consistência de maionese. Se desandar, não se desespere. Pingue algumas gotas de água e continue batendo até atingir a consistência desejada. Tempere com o sal, acrescentando mais se necessário. Esta quantidade faz 1 xícara de maionese pronta. Para a couve flor usaremos 3 colheres. O restante pode ser armazenado na geladeira e usada até duas semanas.

Aqueça o forno em temperatura média, 180 graus.

Após cozida, coloque a couve flor em uma assadeira e esfregue a mostarda por toda a superfície. Pincele com 3 colheres da maioneses caseira, ou mais se assim desejar.

Os grãos de mostarda conferem sabor e textura ao prato.

Os grãos de mostarda conferem sabor e textura ao prato.

No liquidificador, processe as fatias de pão de forma com as ervas e a pimenta do reino até obter uma farofa grosseira.

Cubra a couve flor com esta farofa. Aperte delicadamente para que a farofa “grude” na couve flor.  A maionese ajudará a fixá-la. Regue com um fio de azeite e leve para assar por 30 a 40 minutos até que a superfície esteja levemente dourada.

Uma crosta delicada e aromática transforma qualquer prato insosso em um grande banquete.

Uma crosta delicada e aromática transforma qualquer prato insosso em um grande banquete.

Sirva em fatias, com uma salada verde, como prato principal.

DICAS:

  1. A maionese pode ser soborizada com ervas, raspas de laranja, alho assado e até mesmo gordura de BACON misturada ao azeite;
  2. A farofa de pão e ervas pode ser feita em maior quantidade e guardada no freezer. Eu também uso para polvilhar sobre massas e depois gratinar. Fica delicioso!
  3. Depois de fria esta couve flor pode ser servida como salada. É só regar com muito azeite!

Páscoa III – Confit de Bacalhau

Se tem alguém muito chato pra comer, este é o meu cunhado. O cara não manja nada de comida, mas ainda assim faz caras e bocas e quer dar opinião em tudo! 😉

Ele não come bacalhau – ou melhor, não comia, até que um dia eu fiz esta receita. Sabe aquele momento que o céu se abre, uma luz divina aparece na sala de jantar e os anjos dizem: “Ohhhhhhhh”! Parecia assim, mesmo!

Eu sempre achei que ele não gostasse de bacalhau. Mas depois fui descobrindo que ele sempre nunca tinha comido bacalhau de verdade. Eram sempre aquelas lascas duras e secas, com muita batata e cebola. Coitado do chato pra comer…

E tomei como desafio fazer o meu cunhado mudar de ideia. Se ele gosta de peixes em geral não havia razão para não gostar de bacalhau – de verdade, não merluza petrificada!!!

Desafio aceito, fiz a receita mas fácil, mais deliciosa que deixa o peixe tenro, úmido e cheio de sabor. Se você também tem um convidado chato prá comer que vai encrencar sua Sexta-Feira Santa aposte nesta receita. Só que, prepare-se, pois ele vai virar freguês!

Confit de Bacalhau (Serve 4)

A receita certa para agradar qualquer paladar. Inclusive o chato para comer!

A receita certa para agradar qualquer paladar. Inclusive o chato para comer!

Ingredientes:

4 postas de lombo de bacalhau dessalgado, aproximadamente 1kg (ultimamente tenho usado o congelado da Bom Porto, pois é o melhor custo benefício que encontrei)

2 litros de azeite de oliva (não precisa ser extra virgem, mas de boa qualidade) – reserve 1 xícara

1 cabeça de alho

4 ramos de tomilho

4 ramos de alecrim

4 cebolas pequenas cortadas em fatias finas

100gr de tomate seco.

Modo de Preparo:

Caso esteja usando bacalhau salgado lave as postas para retirar o sal excedente e coloque-as em água com pedras de gelo e deixe na geladeira por 24 horas, trocando a água a cada 6 horas. No caso do bacalhau congelado proceda o descongelamento conforme as instruções da embalagem.

Aqueça o forno a 80 graus. Caso seu forno não atinja esta temperatura, aqueça na temperatura mais baixa e deixe a porta entreaberta para o calor escapar.

Seque bem as postas e acomode-as em um refratário que possa ir ao forno e que seja mais alto que as postas. Coloque os dentes de alho e os temperos, tomilho e alecrim entre as postas. Cubra todo o peixe com o azeite. Observe que quanto maior o espaço entre as postas mais azeite será necessário para cobrir o peixe; por isso não use um refratário que seja muito grande.

Leve para assar por 1 hora. Faltando 15 minutos para o término do tempo acrescente os tomates secos ao azeite para que amoleçam.

Em uma panela de fundo grosso aqueça 1 xícara de azeite reservada e junte as cebolas fatiadas. Em fogo muito baixo vá refogando até que murchem e comecem a obter uma cor caramelo.

Assim que o bacalhau terminar de assar, sirva com as cebolas caramelizadas, os dentes de alho e os tomates secos, acompanhado de arroz branco e batatas ao murro.

Deliciosamente úmido, tenro e com sabor muito suave. Assim deve ser o almoço da Sexta-Feira Santa!

Deliciosamente úmido, tenro e com sabor muito suave. Assim deve ser o almoço da Sexta-Feira Santa!

DICAS:

  1. O azeite NUNCA deverá ferver, pois senão fritará o bacalhau. Para fazer uma confitura deverá manter a temperatura bem baixa.
  2. Esta preparação poderá ser feita na boca do fogo, com a chama no mínimo possível.
  3. Outros temperos como louro, pimenta preta e alcaparras podem ser adicionados ao azeite para conferir mais sabor.

Como sobremesa recomendo este DE LI CI O SO Cheesecake. Receita aqui.

Eu sei... é de babar, mesmo!!

Eu sei… é mesmo de babar!!

Páscoa I – Bacalhau ou Leitão, você escolhe!

Não sou uma pessoa muito tradicionalista. Já falei por aqui o quanto não gosto de comemorações com datas marcadas. A vida tem que ser sentida e celebrada todos os dias, com o ânimo de viver e comemorar. Se no dia do meu aniversário eu não estiver no mood, que seja depois.

Por isso não estava planejando menus de Páscoa por aqui. Mas depois que postei a receita da casquinha de siri no post anterior e sugeri como entradinha para a Sexta-Feira Santa, os meu leitores ficaram pedindo a receita do prato principal!!! Resolvi, então, aproveitar estes dias que antecedem o feriado para postar algumas receitas deliciosas, mas bem simples. Afinal de contas, é feriado e ninguém que ficar horas na cozinha, não é mesmo??!!

Aqui tenho algumas sugestões de posts antigos mas que servem bem para o almoço do feriado. E durante a semana postarei novas receitas:

Casquinha de Siri e Só

Brandade de Bacalhau Enformada

Bolinho de Bacalhau por Saul Galvão

Bacalhau Assado com Prosciutto

Cordeiro com Polenta Cremosa

Frango assado com Ervas da Condessa

Torta Maravilhosa de Cerejas

Cookies ‘n’ Kisses

Mas se ainda assim você optar por não pisar na cozinha tenho uma sugestão bem boa.

Na semana passada fui convidada para conhecer o Rancho Português, que fica na Av. dos Bandeirantes, na Vila Olímpia. O restaurante é enorme e tem um empório e uma adega com mais de 800 rótulos logo na entrada. O bacana é que é possível comprar o seu vinho com o preço de varejo e não de restaurante! Ali também são vendidos queijos da Serra da Estrela e alheiras produzidas artesanalmente, na casa, com exclusividade.

Empório com vinhos e produtos portugueses, além de porcelanas Vista Alegre e Galos de Barcelos!

Empório com vinhos e produtos portugueses, além de porcelanas Vista Alegre e Galos de Barcelos!

O cardápio é bastante extenso com várias entradas e petiscos, passando de um sequinho e crocante bolinho de bacalhau, a alheiras perfeitamente fritas. O polvo a provençal estava macio e bem temperado. Muito azeite Herdade do Esporão à disposição nas mesas!

Muito bacalhau nestes bolinhos

Muito bacalhau nestes bolinhos

Como prato principal, nossa degustação incluiu o Bacalhau a Narciso assado com cebola, brócolis, pimentão, alho e servido com batatas ao murro. Estava muito suculento, mas o Bacalhau com Natas me deixou babando e me fez repetir o prato. Natas mesmo, nada de molho bechamel pra” engrossar o caldo”.

Bacalhau a Narciso

Bacalhau a Narciso – suculento e queimadinho, mas as batatas superaram as expectativas. Encharcadas do sabor do bacalhau

Bacalhau com Natas. Muito suave e cremoso. Meu favorito.

Bacalhau com Natas. Muito suave e cremoso. Meu favorito.

Para quem não gosta ou não está a fim de comer bacalhau a casa ainda conta com uma cozinha portuguesa bem recheada: Polvo a Lagareiro, Arroz de Tamboril com camarões e Lulas, Arroz de Polvo dentre outros. Mas se o seu lance é carne vermelha, não se desespere. O melhor estava por vir. Na verdade verdadeira, fomos até lá para provar o Leitão a Bairrada que dá título ao lugar. Um leitãozinho preparado à risca à moda da Bairrada. Temperado com um delicioso e marcante molho a base de pimenta do reino e assado por horas num calor lento e suave até transformar a pele numa capa crocante que envolve a carne suculenta e macia… Que manjar!

Uma imagem não consegue transmitir a delícia que é este prato...

Uma imagem não consegue transmitir a delícia que é este prato…

E para finalizar a seleção de pratos principais foi-nos servido o arroz de pato, a meu pedido 😉 Como sou “especialista” nesta receita (era o carro chef do Romã Armazém Gourmet) precisava saber o que andavam cozinhando por aí!

Arroz de pato com chouriço português

Arroz de pato com chouriço português

Todo este almoço foi regado a muito vinho verde e um delicioso tinto Encostas da Pedra Alta, da região do Douro.

E quando eu estava pronta para me levantar e partir para uma cama de onde só sairia no dia seguinte, chegaram as sobremesas. Uma degustação de algumas das delícias portuguesas e o carro chefe da casa, o Pudim do Abade: um pudim de leite com BACON!!! Porque aqui, nem só o leitão domina!

Só um pouquinho de doce prá cortar a gordura do leitão! ;)

Só um pouquinho de doce prá cortar a gordura do leitão! 😉

Pudim de BACONNNNN! Simplesmente delicioso!

Pudim de BACONNNNN!
Simplesmente delicioso!

Se você está em busca de uma culinária portuguesa autêntica, sem frescuras, sem comida de chef e com noites de fado (todas as terças-feiras) vale a visita!

Ou você ainda pode pedir para viagem e fazer bonito no almoço de Páscoa!

NOTAS:

  1. Todas as fotos foram gentilmente cedidas pelo Rancho Português, pois era impossível focar na fotografia naquele momento!
  2. Apesar do almoço ter sido uma cortesia do restaurante aqui eu só posto o que realmente me interessa e que eu gostaria de compartilhar com vocês. Aqui não tem jabá, não tem jabá, não tem jabá!

Rancho Português

Av. dos Bandeirantes, 1051 – Vila Olímpia

Continuar lendo

Natal sem neve, receita mais leve! [Terrine de Legumes Grelhados]

Se você quer uma ceia de Natal descomplicada mas pessoal, ou seja, não fará a sua encomenda na rotisseria mais próxima, vou dar algumas dicas deliciosas e fáceis.

Eu sempre preparei a ceia de Natal em casa e, acredite quem quiser, as quatro da tarde já estava de pernas para cima, ouvindo Jingle Bells, dando uns goles no meu espumante e muito despreocupada! Claro, é preciso ter um pouco de planejamento, mas tudo pode ser iniciado a partir do dia 20 de dezembro e no dia 24 tudo estará pronto antes da meia-noite! Brincadeira! Como eu, você poderá curtir sua tarde em família esperando o bom velhinho chegar! Mas tenha em mente que, se você não fará uma ceia para mais de 50 pessoas não vale a pena encher a mesa de um monte de tudo um pouco!! Nada de ficar misturando peru, tender, frango assado e bacalhau porque cada um gosta de uma coisa. Além de ficar uma confusão de sabores com certeza você terá uma sobra enorme de comidas. Se isto acontecer, faça várias marmitas e saia distribuindo no dia seguinte para quem não tem a sua sorte. Só assim eu perdoo este buffet de hotel de quita! 😀

Outro fator muito importante na hora de decidir o menu é lembrar que estamos no mês de dezembro e aqui é o hemisfério sul = verão! Não neva no Brasil. Isso é só na tv. Eu te garanto: pode ficar esperando na janela que não cairá um floco de neve! Assim, você deverá escolher pratos que se adaptem bem ao calor. Maionese? Me desculpe, nem pensar. A não ser que você queira que alguém vá para o hospital e libere a vaga na casa da praia para o Reveillon! 😉

Aqui vai uma receita para substituir a maionese e que é muito elegante e propícia para nosso calor!

Terrine de Legumes Grelhados (Serve 20 fatias)

Elegante e própria para o nosso clima

Elegante e própria para o nosso clima

Ingredientes:

2 berinjelas, cortadas finamente no sentido do comprimento

2 abobrinhas, cortadas finamente no sentido do comprimento

1 pimentão vermelho, cortados ao meio e sem pele e sem sementes*

2 pimentões amarelos, cortados ao meio e sem pele e sem sementes*

1 cebola roxa, grande, fatiada

1/4 xícara de passas

1 colher de sopa de vinagre de vinho tinto

400ml de suco de tomate

3 colheres de chá de Agar agar (pode ser usado 12gr de gelatina em pó sem sabor)

azeite de oliva
sal, pimenta, a gosto
manjericão para servir
suco de limão, para servir

Modo de Preparo:

Comece grelhando as fatias de berinjela e abobrinha. Em uma chapa ou mesmo na frigideira coloque um fio de azeite de oliva e grelhe as fatias de legumes até que fiquem tenros e marcados (foto), virando após 5 minutos de cada lado. Os pimentões também devem ser grelhados. Tempere com sal e pimenta do reino moída na hora a gosto. Reserve os legumes para que esfriem ligeiramente.

Berinjelas grelhadas

Berinjelas grelhadas

Em uma panela coloque a cebola com um pouco de azeite de oliva. Cozinhe por alguns minutos, em seguida, adicione as passas e o vinagre de vinho tinto e cozinhe em fogo baixo até que estejam macias. Reserve para que esfriem ligeiramente.

Na mesma panela da cebola (vamos economizar!) acrescente o suco de tomate e tempere a gosto. Eu usei sal, pimenta do reino moída na hora e umas gotinhas de limão. Junte o agar agar e leve para ferver. Se estiver utilizando gelatina prepare-a conforme as instruções da embalagem, lembrando que não pode ferver pois senão perde o seu poder gelificador.

Prepare uma terrine ou forma de bolo inglês que tenha capacidade para 2 litros, aproximadamente. Pincele o fundo e as laterais da forma com um pouco de azeite Isto ajudará o filme a “grudar” na forma) e cubra com filme plástico deixando espaço suficiente nas bordas para facilitar na hora de desenformar.

Assim que os legumes e o suco de tomate estiverem mornos coloque 3 colheres de sopa do suco de tomate no fundo da terrine somente para cobrir e comece as camadas de legumes. Adicione primeiro os pimentões para dar um acabamento vermelho brilhante e lindo quando desenformar. Certifique-se de cobrir toda a superfície da forma, em seguida, acrescente o pimentão amarelo. Coloque mais um pouco do suco de tomate e continue fazendo camadas de legumes e suco até terminar com pimentão vermelho. Acrescente o restante do suco de tomate e bata a forma sobre uma superfície para certificar que o suco penetrou bem na terrine e unirá todos os legumes. Cubra com filme plástico e leve a geladeira por 30 a 40 minutos. Se você utilizou gelatina deverá ficar na geladeira por, no mínimo, 2 horas. Se você fizer com antecedência guarde-a na geladeira, sem desenformar, por até 3 dias.

Um arraso na ceia de Natal

Um arraso na ceia de Natal

Para desenformar, vire a forma sobre um prato de serviço e retire, cuidadosamente, o filme plástico. Você pode servir com folhas de manjericão e um molho de iogurte, se quiser.

Colorido, leve e refrescante. Como nosso Natal deve ser!

Colorido, leve e refrescante. Como nosso Natal deve ser!

E aí está! Um dos pratos de legumes mais saboroso e elegantes que eu já fiz!

DICAS:

  1. Farofas, recheios, podem ser preparadas com antecedência de até 3 dias e bem armazenadas na geladeira.
  2. Folhas verdes devem ser lavadas, centrifugadas e guardadas em um recipiente plástico com um papel toalha umedecido sobre elas.
  3. Sobremesas mais firmes também podem ser preparadas com antecedência. Se utilizar ovos crus e creme de leite (mousse, por exemplo) só devem sair da geladeira no momento de servir.
  4. * para tirar a pele dos pimentões embrulhe-os inteiros em papel aluminio e leve ao forno aquecido a 200 graus por 15 minutos. Coloque-os em um saco plástico e feche bem para “suar”. Assim que esfriar a pele sairá com bastante facilidade