Amigo Secreto do #ColetivoGastronômico [Risoto Festivo de Espumante, Aspargos e Castanhas Portuguesas]

Este será o último post do ano do nosso delicioso #ColetivoGastronômico. Já se passaram 6 meses desde a nossa primeira postagem coletiva. Nossa! Quanta coisa boa nos aconteceu desde então.

Claro que as festas de final de ano não poderiam ficar de fora do post deste mês. Mas queríamos fugir da tradicional postagem “Receitas Natalinas” até porque a blogosfera está saturada com estes posts e é o que vemos nos sites de gastronomia nesta temporada. Queríamos inovar. Foi aí que a Carol, do Cozinha Autoral, teve a melhor idéia de todos os tempos: Faríamos um amigo secreto e o presente seria uma receita que homenageasse o blog do amigo sorteado! Que lindo. O melhor presente que alguém poderia receber. Feito personalizado para você. Vindo do coração de alguém que compartilha a sua mesma paixão! ❤

E ainda com a surpresa de que ninguém saberá quem tirou quem até todos os posts serem publicados! [Enquanto escrevo estou até com palpitações tentando controlar a ansiedade! 🙂 ]

E na hora do sorteio os astros estavam alinhados a meu favor. Fui sorteada com a pessoa que se tornou uma grande amiga, uma grande apoiadora dos meus trabalhos. Que me mostrou um carinho grandioso todas as vezes que nos encontramos. E, a cada dia, uma amizade que antes era apenas virtual, vai se fortalecendo muito.

Eu tive várias idéias de receitas, mas escolhi uma especial que foi a primeira homenagem que recebi vindo de seu blog. Seu marido não gostava de risotos, mas ao comer o risoto que preparo nos meus potinhos disse que se apaixonou (pelo risoto, não por mim 😉 ).

E por isso pensei na melhor receita de risoto que eu pudesse preparar para esta celebração, pois daqui a algum tempo, o Douglas não precisará mais consumir os risotos do Cook it*. O Dafne estará expert e fará os risotos com o mesmo amor e carinho como eu preparo os meus!

Queridos Amigos Dafne e Douglas, esta é a minha homenagem para vocês!

Risoto Festivo de Espumante, Aspargos e Castanhas Portuguesas (Serve 4)

Uma homenagem a quem me homenageou muito durante todo o ano!

Uma homenagem a quem me homenageou muito durante todo o ano!

A delicadeza deste prato se reflete na composição da mesa

A delicadeza deste prato se reflete na composição da mesa

Ingredientes:

50gr de aspargos (escolha os mais finos que são mais tenros e menos fibrosos)

50gr de castanhas portuguesas cozidas e descascadas  (ver DICAS)

2 colheres de manteiga sem sal

1 dente de alho picado finamente

1/2 cebola picada finamente

220gr de arroz arbóreo ou carnarolli

1 raminho de alecrim

100ml de vinho espumante

750ml de água ou caldo de frango (ver DICAS)

1 colher de chá de sal

1 pitada de pimenta do reino

Aproveite a temporada para utilizar os produtos da estação.

Aproveite a temporada para utilizar os produtos da estação.

As castanhas se abrem facilmente ao serem cozidas e devem ser descascadas ainda quentes.

As castanhas se abrem facilmente ao serem cozidas e devem ser descascadas ainda quentes.

Modo de Preparo:

Corte o talo dos aspargos em fatias de aproximadamente 1 cm de espessura reservando as pontas para a decoração do prato, aproximadamente 5 cm. Coloque uma panela com abundante água para ferver e acrescente 1 colher de chá de sal. Assim que ferver mergulhe rapidamente as pontas dos aspargos para branquear. Retire e mergulhe em um banho de água com gelo para cortar o cozimento. Lembre-se: aspargos devem ser consumidos crocantes e não moles.

Pique as castanhas portuguesas reservando 4 inteiras para a decoração do prato.

Em uma panela com capacidade para 2 litros aqueça 1 colher de manteiga e acrescente a cebola e o alho picado. Refogue por 1 minuto e junte o arroz, os talos dos aspargos picados e o ramo de alecrim. Refogue, mexendo sempre, até que o arroz esteja todo coberto pela manteiga. Junte o espumante e deixe cozinhar por 1 minutos até que o álcool evapore.  Acrescente o caldo e deixe levantar fervura. Assim que ferver, tempere com sal e pimenta, abaixe o fogo e cozinhe por 18 minutos mexendo ocasionalmente.

Pique as castanhas reservando 4 unidades inteiras para a decoração do prato. Faltando 1 minuto para a finalização do cozimento acrescente as castanhas. Desligue o fogo e junte 1 colher de manteiga restante e incorpore bem mexendo com cuidado.

Sirva em seguida decorando o prato com as pontas de aspargos e a castanha portuguesa.

Abra um delicioso espumante bem gelado e brinde à vida, às amizades! Felizes Festas!

Um brinde ao Meu Amigo Secreto!

Um brinde ao Meu Amigo Secreto!

Celebrando a Amizade!

Celebrando a Amizade!

*Cook it é a nova marca no lugar de Flavor Bowl

DICAS:

  1. Utilizei 2 produtos que estão na safra. Assim, além de muito mais saborosos, são mais fáceis de encontrar. Mas caso você não goste de aspargos ou castanhas portuguesas substitua por damascos e castanhas do Brasil;
  2. Para cozinhar as castanhas faça um pequeno corte na pare mais fina e cozinhe em panela de pressão com abundante água por 30 minutos. Desligue a pressão e deixe “parar de chiar” . Abra a panela e mantenha as castanhas na água. Deixe amornar, mas não muito para descascar. A pele sai facilmente se ainda estiverem quentes;
  3. Aqui tem uma dica e receita deliciosa de caldo de frango ou legumes. Se não fizer teu próprio caldo caseiro, prefira usar água e não caldos em cubos que contém muito sódio e sabores artificiais. Este risoto merece um carinho especial!

E abaixo você encontra os outros amigos secretos do #ColetivoGastronômico. Vejam que brincadeira bacana e cada presente delicioso que rendeu!

Descubra quem tirou quem!

Descubra quem tirou quem!

Cozinha Autoral – Amigo Secreto

Na Cozinha da Gertrudes – Amigo Secreto

Panela e Paixão – Amigo Secreto

Mosaico de Receitas – Amigo Secreto

Se Eu fiz Você faz – Amigo Secreto

Brie com Goiabada – Amigo Secreto

Burburinho na Cozinha – Amigo Secreto

Na Boroskinha – Amigo Secreto

Minha Marmita Tem – Amigo Secreto

Better Call San – Amigo Secreto

Quando o corpo pede, a gente obedece! [Quibe de abóbora recheado com ricota]

Eu quase nunca estou de dieta. Como de tudo, com moderação e não deixo meu cardápio desbalanceado. Mas algumas vezes exagero e tenho consciência disso. Encho a pança 😉 e depois fico pensando: “por que faço isso comigo mesma?”.

A resposta é óbvia! Porque eu amo comer, experimentar. A comida tem um efeito gigantesco em mim. Se tiver algum problema comigo, é só me oferecer uma comidinha bem deliciosa que eu me rendo!

Mas dia desses o corpo pediu para eu maneirar. Senti a digestão lenta e o fígado… reclamando. Logo o fígado?? E neste dia estava preparada para fazer este quibe que, para mim, é a melhor de todos os tempos. E sabe quando a boca já está salivando por aquela comida?…

Resolvi então continuar cm o cardápio da noite, mas obedecer ao que meu metabolismo pedia. Acho que consegui. Agradei gregos, troianos, marido, filho e o fígado!

É uma receita leve, deliciosa e uma ótima opção para um dia que a carne não faça parte do cardápio!

Quibe de Abóbora rechecado de Ricota e Cream Cheese (Serve 6)

Uma forma deliciosa e prática de incluir os vegetais nas refeições.

Uma forma deliciosa e prática de incluir os vegetais nas refeições.

Ingredientes:

1/2 litro de água

1 xícara de trigo para quibe

400gr de abóbora japonesa crua cortada em cubos (com a casca)

1 colher de chá de sal

1 colher de sopa de pimenta síria

1/2 colher de chá de canela da China em pó

1 colher de sopa de salsa picada

1 colher de sopa de hortelã picado

1 colher de sopa de cebolinha picada

3 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem

1 xícara de ricota esfarelada

1 xícara chá de cream cheese

1 cebola grande fatiada finamente

Modo de Preparo:

Coloque o trigo na água para hidratar por 20 minutos. Leve a abóbora para assar em forno médio, 160 graus, coberta por papel alumínio por 30 minutos, ou até que esteja macia para ser amassada com um garfo ou use o processador para fazer um purê.

Coe e escorra bem o trigo apertando em uma peneira para que fique bem seco, sem excesso de água. Em uma tigela coloque o trigo hidratado,  o purê de abóbora, salsa, hortelã, cebolinha, 1 colher de sopa de azeite, sal, pimenta síria e canela e misture bem.

Tudo junto e Misturado!

Tudo junto e Misturado!

Em outro recipiente misture a ricota com o cream cheese para formar uma pasta. Reserve.

Pré aqueça o forno a 180 graus.

Forre uma assadeira com metade da massa de abóbora e trigo. Eu usei uma assadeira redonda de fundo falso com 21cm de diâmetro por 5cm de altura. Acho lindo desenformar e servir como uma torta! Mas você poderá utilizar qualquer refratário que vá ao forno. Coloque a pasta de ricota sobre a massa de quibe espalhando com cuidado. Finalize cobrindo com o restante da massa. Pincele um pouco de azeite de oliva sobre a massa e com uma faca bem afiada faça cortes das fatias.

Capriche nas camadas para quando desenformar ter uma deliciosa surpresa!

Capriche nas camadas para quando desenformar ter uma deliciosa surpresa!

Um raio de Sol

Um raio de Sol

Leve para assar por 30 minutos. Enquanto isso refogue as fatias de cebola no azeite de oliva restante em fogo muito baixo para que não queimem. Mexa esporadicamente até que fiquem douradas.

Desenforme o quibe e sirva com as cebolas douradas e crocantes aproveitando o azeite em que foram fritas!

A comida vegetariana pode ser surpreendente!

A comida vegetariana pode ser surpreendente!

DICAS:

  1. Você pode cozinhar a abóbora em cubos no vapor ou na água com um pouco de sal até que fique bem macia. Mas escorra bem para que não fiquem encharcadas.

A Arca do Gosto [Salada Morna de Taioba e Quinoa]

A  Arca do Gosto é um catálogo mundial que identifica, localiza, descreve e divulga sabores quase esquecidos de produtos ameaçados de extinção, mas ainda vivos, com potenciais produtivos e comerciais. Este catálogo constitui um recurso para todos os interessados em recuperar raças autóctones e aprender a verdadeira riqueza de alimentos que a terra oferece. Todo alimento tem uma história. Todos nós temos uma história, única, só nossa. Isso é emocionante.

Fui buscar em livros antigos de culinária e li, em alguns, nomes de comidinhas que nunca tinha ouvido falar antes. E na Arca do Gosto ali estão. Aratú, Cagaita, Krahô, Berbigão, Butiá, Jatobá… É como pegar um álbum antigo de família, ou ler o diário de sua bisavô quando ela era ainda uma adolescente… 🙂

E para festejar esta biodiversidade da nossa mesa e estimular a preservação começa hoje, e vai até o dia 18 de Outubro um Festival Gastronômico onde quatorze restaurantes da capital paulista e seus chefs apresentam pratos com ingredientes brasileiros ameaçados de extinção, como o umbu, a araruta, mel de uruçu, dentre outros.

Mil folhas de tapioca com aratu - Capim Santo

Mil folhas de tapioca com aratu – Capim Santo

Arroz vermelho com abóbora e camarão - Jiquitaia

Arroz vermelho com abóbora e camarão – Jiquitaia

Compota de pera, burrata de búfala, tomilho limão, mel de uruçu - Epice

Compota de pera, burrata de búfala, tomilho limão, mel de uruçu – Epice

A lista completa dos restaurantes participantes você encontra aqui.

Numa conversa com um grande amigo entusiasta da comida brasileira, ela comentou que há tempos não via mais taioba, nem na feira nem nos pratos da cozinha brasileira – apesar de não estar, ainda, em perigo de extinção. E me lançou um desafio: preparar algo com a folha. Para quem não conhece, a taioba, muito comum na culinária mineira é muito parecida com a couve na textura, mas tem um sabor de espinafre suave. E pode ser usado da mesma maneira. Pode ser comida refogada, na salada ou na farofa de farinha milho com paio. O chef Eudes Assis tem até um restaurante chamado Taioba Gastronomia onde prepara seu famoso bolinho de taioba.

Folhas de Taioba. Com certeza você já viu emmuitos jardins por aí!

Folhas de Taioba. Com certeza você já viu emmuitos jardins por aí!

Salada de Quinoa, Taioba com Cramberries e Semene de Girassol (Serve 4)

E a taioba está servida!

E a taioba está servida!

Ingredientes:

1 xícara de quinoa crua (eu usei a branca mas pode ser preta, vermelho ou o mix)

2 xícaras de caldo de legumes caseiro ou água

200gr de taioba sem o talo e fatiada finamente

60gr de sementes de girassol

60gr de cramberries secos (ou uvas passas)

1 raminho de tomilho fresco

sal e pimenta do reino a gosto

Vinagrete de Gengibre adocicado – receita aqui

Parece mas não é! Taioba!

Parece mas não é! Taioba!

Incremente a sua salada com grãos e frutas secas

Incremente a sua salada com grãos e frutas secas

Modo de Preparo:

Coloque a quinoa e o caldo de legumes ou água em uma panela e leve para ferver. Assim que levantar fervura abaixe o fogo e cozinhe por 10 minutos. Destampe e acrescente a taioba e misture bem, cozinhando até que toda a água seja absorvida e a taioba murche, aproximadamente 5 minutos.

Retire do fogo e misture os demais ingredientes. Tempere com sal, pimenta e o vinagrete.

Deixe amornar e sirva.

DICAS:

  1. A quinoa pode ser substituída por couscous marroquino ou mesmo “couscous” de couve flor”
  2. Baixe aqui o livreto com a história e os produtos que fazer parte da Arca do Gosto. Vale muito a pena esta leitura!

O que os olhos não vêem o estômago ainda assim sente! [Tagine de Frango com Limão Siciliano em Conserva]

Esta receita eu não iria postar. Não agora, na verdade. Não tirei as fotos da preparação, como gosto de postar, e as fotos do prato não me agradaram. Ficaram muito duocromáticas. Não estava feliz. Eu fiz na semana passada mas o frango não saia da minha cabeça. Por duas razões bem simples. Porque ficou DE LI CI O SO e porque resolvi fazer esta receita, que apesar de ser uma favorita aqui em casa já fazia muito tempo que não preparava, a pedido de uma amiga. E não é uma amiga qualquer.

Conheci a Pimenta na Cozinha numa fase de auto afirmação da minha vida. Havia acabado de “virar a mesa do meu escritório”, da minha casa, da minha zona de conforto. Troquei de carreira, de casa, de cidade. E estava prestes a abrir meu primeiro negócio; dormi advogada e acordei empresária de um negócio de alimentação. Ah!… Como a vida é diferente quando não se tem filhos, compromissos financeiros, responsabilidades futuras! Será?

Mas voltando ao aqui, a Pimenta foi uma pessoa que me ajudou muito quando estava testando meu modelo de negócio lá em Curitiba. E foi afinidade no primeiro encontro. Adorávamos a cozinha, nossos maridos os vinhos, nós quatro, viagens e ninguém ainda tinha filhos. Viramos uma dupla de quatro quase que inseparáveis. Quando não estávamos almoçando as massas caseiras na casa dela, era o Natal lá em casa. Até hoje, um prato inesquecível para meu marido são lulas recheadas de couscous marroquinho que ela diz ter preparado de improviso uma noite qualquer! Logo vieram os filhos (se meu filho não tivesse adiantado para nascer, nasceria exatamente no mesmo dia do seu filho, 1 ano depois) e nossa separação. Me mudei de Curitiba mas nós seis sempre mativemos contato. Eu queria vê-la muito mais do que realmente acontece e sempre fico com o coração apertado de saudades – como agora, sua bandida. Aposto que está lendo e soltando aquele sorriso contagiante!

Mas o mundo virtual foi muito generoso conosco. Ela, depois de vencer a timidez, resolveu colocar em um blog as delícias de sua cozinha. E é assim que eu recordo nossos encontros gastronômicos e uma felicidade me preenche devagarinho…

Há alguns dias ela postou uma receita de conserva de limões sicilianos. Eu conheci esta conserva quando já morava em Londres. Minha amiga, que hoje mora lá na África, a Geisa, me falou sobre um frango que ela comeu na casa de outra amiga casada com um marroquino. Curiosa que sou fui atrás e aprendi a fazer. Sempre tenho um pote na minha geladeira. Dura prá sempre.

E ao ver a receita no blog Pimenta na Cozinha, comentei que esta conserva fica deliciosa com frango e azeitonas e ela me pediu para compartilhar a receita. Aqui está, minha grande amiga. Ainda sem ter a foto do jeito que eu gostaria não poderia ser egoísta a este ponto porque o que os olhos não vêem o estômago ainda assim sente!

Tagine de Frango Com Conserva de Limão Siciliano e Azeitonas (Serve 4)

*Esta é uma adaptação de receitas de Yotam Ottolenghi e Claudia Roden

Um brinde às delícias da vida. Seja ela um prato ou uma amizade duradoura!

Um brinde às delícias da vida. Seja ela um prato ou uma amizade duradoura!

Ingredientes:

1 colher de sopa de azeite de oliva

1 cebola grande fatiada finamente

1 cabeça de alho, dentes separados

1 colher de sopa de cúrcuma

1 colher de sopa de zaatar

4 sobrecoxas de frango, preferencialmente orgânico

sal e pimenta do reino, a gosto

1/4 de xícara de caldo de frango ou água

1/2 limão siciliano em conserva, fatiado – receita aqui

1/2 xícara de azeitonas verdes ou pretas – eu usei azeitonas recheadas de queijo feta da marca Byblos. São maravilhosas e combinaram perfeitamente como prato.

salsinha e coentro picado, a gosto

Uma receita unindo duas amigas!

Uma receita unindo duas amigas!

Modo de preparo:

Aqueça o forno a 180 graus

Em uma assadeira, aqueça o azeite e refogue a cebola e o alho em fogo baixo até murcharem, por uns 10 minutos. Acrescente a cúrcuma e o zataar e misture bem. Coloque os pedaços de frango e tempere com sal e pimenta. Não muito porque a conserva de limão e as azeitonas que serão adicionadas posteriormente já são salgadas. Acrescente o caldo de frango, cubra com papel alumínio e leve para assar por 40 minutos.

Após esse tempo, retire o papel alumínio e aumente a temperatura para 200 graus. Coloque a conserva de limão e as azeitonas ao redor do frango e volte ao forno por mais 15 minutos. Assegure-se de que a carne esteja cozida. Se tiver um termômetro a parte interna da sobrecoxa deve marcar 70 graus. Ou faça um furo com um palito de churrasco. O líquido que sai da ave deverá ser claro e não ter traços de sangue.

Polvilhe com a salsinha e o coentro e sirva imediatamente. Um simples couscous marroquino é o par perfeito para completar este Tagine.

Sabor das Arábias na sua Cozinha da maneira mais fácil possível!

Sabor das Arábias na sua Cozinha da maneira mais fácil possível!

DICAS:

  1. Caso não tenha estes temperos à mão pode-se substituir por cominho e pimenta síria;
  2. Peito de frango também poderá ser usado, mas diminua o tempo de cocção para 30 minutos;
  3. Quer uma dica para deixar o alho mais suave? Faça furinhos com um palitinho nos dentes ainda na cabeça. Leve ao microondas por 30 segundos. Ficarão macios e sem o gosto forte!

Socorro! Minha professora come mal [Bolo de Abobrinha e Purê de Maçã]

Minha professora de Pilates está grávida. Conversando com ela sobre a alimentação de uma gestante fiquei de olhos arregalados. A mocinha não come nada! Bem… Come batata frita, nuggets, um bifinho… Mas brócolis, beterraba, abobobrinha?? “Eca” como ela mesma diz.

E o pior de tudo: é daquelas que não experimenta. “Ah, aquela coisa molenga já me dá arrepios!”. Imaginem a minha cara no meio da aula ouvindo essas barbaridades! Foi pensando nela – e no meu lanchinho da tarde, é claro! – que resolvi fazer este bolo. Já tenho uma outra receita aqui de Bolo de Abobrinha. Mas dei uma incrementada nesta outra com farinha integral e um purezinho de maçã, que além de sabor e umidade, acrescenta mais vitaminas para a nossa gravidinha!

Bolo de Abobrinha e Purê de Maçã (16 fatias)

*Receita adaptada do Food52

Vamos colocar mais vida nesta dieta da grávida!

Você nem precisa estar grávida para apreciar esta delícia!

Ingredientes:

1 xícara de farinha de trigo

1 xícara de farinha de trigo integral

1 1/2 colheres de chá de bicarbonato de sódio

3/4 colher de chá de fermento em pó

1 colher de chá de sal

3 colheres de chá de canela

1/4 colher de chá de cravo em pó

1/4 colher de chá de gengibre em pó

1 pitada de noz moscada

3 ovos, separados

1/4 de xícara de óleo vegetal

1/2 de xícara de purê de maçã

1 1/2 xícaras de açúcar

2 xícaras de abobrinha ralada na hora (aprox. 2 abobrinhas grandes)

1 colher de chá de extrato de baunilha

Sim, abobrinha. E por que não?

Sim, abobrinha. E por que não?

Modo de Preparo:

Preaqueça o forno a 180 graus. Unte uma forma de bolo com óleo e farinha. Eu usei uma forma de silicone, de buraco no meio, que não precisa untar.

Peneire a farinha, o bicarbonato, o fermento, o sal e as especiarias em uma tigela. Em outra tigela, misture as gemas, óleo, purê de maçã, açúcar, abobrinha e baunilha. Certifique-se de que esteja tudo bem misturado e combinado. Bata as claras em ponto de neve e com cuidado, despeje 1/3 da mistura de farinha na mistura de abobrinhas e 1/3 das claras, mexendo até ficar homogêneo.

Peneirar a farinha deixa mais leve e aerada para um bolo mais fofo.

Peneirar a farinha deixa mais leve e aerada para um bolo mais fofo.

Repita até terminar os ingredientes. Coloque a mistura na forma e leve para assar por 50 minutos ou até que esteja dourado e colocando um palito no centro do bolo, este saia limpo.

Deixe esfriar por completo sobre uma gradinha.

Não se deixe enganar. Este bolo além de lindo é perfumado e delicioso.

Não se deixe enganar. Este bolo além de lindo é perfumado e delicioso.

DICAS:

  1. Para fazer o purê de maçã coloque 10 maçãs (eu gosto de misturar a maçã verde e a Gala) descascadas, e picadas grosseiramente em uma panela. Adicione 3 colheres de sopa de limão siciliano, 1 pau de canela e 1/2 xícara de água. Deixe cozinhar até que as maçãs estejam bem macias e desmanchando, aproximadamente 20 a 30 minutos em fogo baixo. Retire o pau de canela e processe até obter um purê. Fica delicioso com carne de porco, no sorvete ou iogurte. Você pode adicionar mel ou açúcar se preferir.

    Este purê adiciona sabor e doçura ao bolo, além de ser super versátil para outros pratos.

    Este purê adiciona sabor e doçura ao bolo, além de ser super versátil para outros pratos.

  2. Caso não queira fazer o purê pode-se utilizar purê comprado pronto ou papinha de bebê.
  3. Bati as claras em neve para dar mais leveza ao bolo, já que usei o purê de maçã. Mas se não quiser ter tanto trabalho pode-se misturar os ovos inteiros à preparação.
  4. Se quiser outro bolinho com legumes que não seja de cenoura, veja este de Beterraba e Chocolate!