A Vida pode ser mais Doce do que você imagina! [Carlo’s Bakery SP]

A convite da Journal, Assessoria de Imprensa da Carlo’s Bakery no Brasil, fui conhecer – finalmente – a nova casa do Cake Boss.

Eu já tinha tentado me aproximar daquelas vitrines maravilhosas por várias vezes, mas sem sucesso. Bem… Com muito sucesso. Para ele. As filas homéricas, que chegavam a mais de 1 hora de espera, não faziam parte do meu dia-a-dia.

Qual foi a minha felicidade quando recebi a ligação da super amável Luciana, dizendo que haveria uma possibilidade de eu entrar sem encarar a fila! [Deus existe e me achou!!!].

Eu já havia provado os doces maravilhosos do Cake Boss das unidades de Times Square e Philadelphia. Mas será que o santo da casa faz milagres, mesmo? E como!!

Cheguei cedo, assim que abriu a casa, e nem vi sombra de fila. Fui logo fotografando, filmando, quem viu no Stories do Instagram, com certeza babou muito na tela! E está na cara que ali não tem nada de milagres. Mas um trabalho bem feito e muito bem adaptado ao paladar doce, doce, doce do brasileiro. Ele soube acertar em cheio! O cupcake de paçoca, algo que não existe lá fora, é indubitavelmente um doce que ninguém deixa de arregalar os olhos ao ver essa delícia na vitrine.

Abra a boca e feche os olhos! Paçoca!

Mas com certeza, quem vai até lá não deixa de provar o canolli, seu carro chef e símbolo da doceria originaria italiana. Eu peguei os canolli “no flagra”, recém saídos da cozinha e sendo colocados na bandeja expositora. Mais frescos e crocantes impossível!

“Drop the Gun; take the Canolli”

Outro doce que eu não deixaria de provar se fosse você é o maravilhoso mousse de chocolate ou maracujá. Essa redoma cobre um maravilhoso creme aveludado que se espalha na boca de maneira sedosa e delicada. Impossível descrever em palavras. Vá já provar o seu!

Mousse de Chocolate ou Maracujá Sedosa e Delicada

Mas o Gran Finale, para mim, foi o Cupcake Red Velvet. Incrivelmente macio e umido, coisa que a maioria dos cupcakes da cidade deixam a desejar. E a cobertura de cream cheese estava na medida perfeita. Não muito doce, nem muito gordurosa. Simplesmente me levou aos céus e me fez voltar para a segunda mordida! E aquela outra cupcakeria americana que pretende colocar os pés em terras brazucas logo, logo, acaba de perder uma fiel (ex) cliente. Meu coração pertence ao Buddy!

I’m in Heaven!

Ainda levei para casa um Lobster Tail tradicional e de Chocolate, que foram devorados na minha ausência. I don’t care. Motivo para voltar!

Eu aconselho chegar cedo. Não peguei fila e os doces estavam fresquíssimos. A variedade era enorme e a vitrine estava bem abastecida.

Pretendo voltar num outro dia e horário para ver qual a impressão. Mas se fosse dar o veredicto final hoje, diria que SIM! Vale a pena!

R. Bela Cintra, 2182 – Jardins, São Paulo – SP

 

Dia Nacional da Pizza [Dicas de Harmonização com Vinhos]

10 de Julho = Dia Nacional da Pizza!

Este, sim, é um dia a ser comemorado por aqui. Símbolo nacional, a pizza já virou piada, mas ainda é a iguaria nacional do fim de semana e para quem não sabe o Brasil é o 2o. maior consumidor da redonda no mundo!!! Só perdemos para os EUA. Bem… Por lá eles consomem a si mesmo!

E para uma celebração digna de banquete até porque, neste ano o dia 10 de Julho será um domingo, dia oficial da pizza, trouxe para vocês uma deliciosa dica que recebi da World Wine: os melhores vinhos para harmonizar com as pizzas mais tradicionais!

Então, mãos à obra. Programa-se para preparar a massa de pizza mais crocante que você já comeu (tem segredinho para isso!!) com esta receita ou a mais fácil, feita na frigideira, mas também muito deliciosa. Passe numa das lojas da World Wine, escolha seu vinho e celebre em grande estilo! Agora você já pode dar uma de “enochato”, mas com toda a propriedade e expertise! 😉

marguerita287099_616352_3d_fantini_montepulciano_022282_web_Pizza Marguerita: Opção italiana mais clássica tem sua combinação perfeita com vinhos tintos de médio corpo, com taninos macios e bom frescor. Um coringa nessa harmonização são os vinhos a partir da uva Montepulciano, como o delicioso Fantini.

 

calabresa287099_616353_021420_ampliada_web_

Pizza Calabresa: Normalmente é acompanhada por cebola e possui um sabor marcante e levemente picante, traços que podem ser encontrados em bons vinhos Carmenères, como o Armador elaborado, organicamente pela conhecida Viña Odfjell.

 

Rodrigo Carletti287099_616354_022218_garzon_albarino_web_Pizza Frango com Catupiry: Os dois ingredientes principais dessa pizza trazem sabores elegantes e leve untuosidade, que harmonizam perfeitamente com a elegância e o agradável frescor deste fantástico Albariño uruguaio.

 

atum287099_616357_023170___aime_roquesante_web_

Pizza de Atum: Prato de sabores leves e agradáveis notas defumadas, a pizza de atum combina perfeitamente com rosés, principalmente os produzidos na Provence, como o agradável e frutado Aimé Roquesante Rosé.

 

 

portuguesa287099_616356_022612_web_

Pizza Portuguesa: A mescla de queijo, ovo e presunto cozido dão à pizza Portuguesa bom peso ao prato, com sabores ricos e marcantes. A sugestão da World Wine é o Mariana Tinto, um blend da região do Alentejo, que revela agradáveis aromas de frutas maduras, que combina por também apresentar sabores ricos e marcantes.

 

toscana287099_616358_022071_web_Pizza Toscana: Para uma pizza batizada com o nome de uma das mais tradicionais regiões vinícolas do mundo, a sugestão não poderia vir de outro lugar. Como apresenta acidez, proveniente do molho de tomate e sabores levemente picantes da linguiça, a harmonização perfeita para equilibrar essa combinação é o Chianti orgânico feito pelas mãos de Alberto Antonini.

mussarela287099_616355_022563_web_Pizza de Muçarela: Para uma campeã de vendas nas pizzarias do Brasil, um vinho que retrata a elegância e frescor dos vinhos elaborados pela chilena Bisquertt. O corpo e maciez desse vinho é um ótimo casamento com o equilíbrio entre o molho de tomate e o queijo muçarela da pizza.

Serviço World Wine
Televendas
Capitais:
11 4003-9463
Demais localidades: 0800 880 9463

Lojas World Wine
Rua Padre João Manuel, 1269 – Jardins – Tel. 3085-3055
Rua Amauri, 255 – Itaim Bibi – Tel. 3168-1255

Ribeirão Preto
Rua João Penteado, 420 – Boulevard – Tel. 16 3931-6008

Rio de janeiro
Shopping Mall – 1º piso – Tel. 21 2422-4614
Bossa Nova Mall – Loja 1008B/Piso Terreo

www.worldwine.com.br

Dá-me um Cornetto [Gelato Boutique]

Quando você adora sorvetes e escuta que pertinho da sua casa abriu uma sorveteria com um gelato premiado em um concurso Mundial que acontece na Itália o que você faz? Claro, corre prá conhecer!

Eu não tenho uma sorveteria predileta; tenho sabores prediletos. Nenhuma, até agora, conseguiu conquistar meu coração gelato! Amo de paixão o sorvete de leite da Bacio di Latte, mas não consigo tomar outro de pistache que não seja o da Le Botteghe de Leonardo. O de açaí, só mesmo da Dri Dri e Cuordicrema, da Cuor di Crema, claro!

Mas não dava para aguentar mais a expectativa de provar um sorvete cremoso feito com o melhor do café (CoffeeLab, da Isabella Raposeiras) e suco e raspas de limão tahiti. Me lembrou a época que os restaurantes serviam o cafezinho com uma casquinha de limão! É… o tempo passa para todos nós!

Numa linda esquina da Rua Pamplona...

Numa linda esquina da Rua Pamplona…

Alguém viu Alice po aí?

Alguém viu Alice po aí?

A Gelato Boutique fica numa esquina da Rua Pamplona e a Alameda Itu, onde antes havia uma loja feia e abandonada. Ponto positivo. Revitalizou a esquina e trouxe um ar de Alice no País das Maravilhas para a loja. Com um pé direito triplo a loja é toda enfeitada e nos transporta para um mundo doce e cheio de fantasias. E assim também são os sorvetes.

Um troféu no meu copinho: Caffè Lime e AmmaPassione: Sabores premiados no Firenze Gelato Festival

Um troféu no meu copinho: Caffè Lime e AmmaPassione: Sabores premiados no Firenze Gelato Festival

O carro chefe da casa é o Caffè Lime, sorvete que ganhou o prêmio de melhor do mundo no Firenze Gelato Festival de 2013. Combinei esta delícia com o tão delicioso quanto AmmaPassione, chocolate AMMA, maracujá e nibs de cacau. Todas estas combinações saem das mãos da mestre gelatiere, Marcia Gabin; chef de cozinha formada pela Cordon Bleu, que foi se aperfeiçoar na arte do gelato na Gelato University em Bolonha.

Iogurte com Damasco e TuttiFrutti. Sabores menos exóticos, mas não menos sensacionais!

Iogurte com Damasco e TuttiFrutti. Sabores menos exóticos, mas não menos sensacionais!

Para os paladares menos exóticos e mais infantis, o sabor TuttiFrutti é a pedida certa: todas as frutas com gosto de pomar, de infância. Nada de chicletes Ping Pong!!! Há ainda Chocolate Belga, Baunilha 360, com 3 tipos de favas, Miele e outros sabores que se revezam diariamente no balcão. Mas não espere nada convencional. O gelato ali é pura arte!

2 ou 3 sabores em cada copinho

2 ou 3 sabores em cada copinho

Alguém, realmente, adorou a casquinha feita na casa. Na medida de açucar e sem aquele gosto enjoativo de baunilha!

Alguém, realmente, adorou a casquinha feita na casa. Na medida de açucar e sem aquele gosto enjoativo de baunilha!

Além dos gelati que podem ser pedidos em 3 tamanhos (R$ 10,00, R$ 12,00 e R$ 14,00), respectivamente, em copinhos ou casquinhas feitas diariamente na casa, há café espresso muito bem tirado, um pãozinho de canela úmido e macio, crostata e outras sobremesas.

Um ponto a acertar: atendimento mais eficiente.

Um ponto a acertar: atendimento mais eficiente.

Somente um ponto a comentar: o serviço, apesar de muito atencioso – as meninas são muito simpáticas e sorridentes – foi falho. Ficamos mais de 10 minutos para conseguir por as mãos nestas delícias. E lá dentro estava bem quente já que o sol bate direto nos janelões de vidro!

Gelato Boutique

Rua Pamplona, 1023 – Jardins

Há uma filial no Shopping Cidade São Paulo

Caldinho de Feijão ganhando fama na África!! [Coletivo Gastronômico]

Quando minha amiga Geisa recebeu a oferta de se mudar para a África e assumir a área de confeitaria do Yolo Group, um grande grupo de restaurantes, eu fui a primeira a incentivá-la, muito. Ela vivia em Londres por 13 anos, tinha uma vida estável. Mais faltava algo mais em sua carreira.

Eu a conheci no restaurante Mocotó que teve vida curta em Londres – não, não é o Mocotó do Rodrigo Oliveira. Logo de cara nos tornamos grandes amigas. O restaurante fechou, cada uma foi seguir sua vida; ela em restaurantes eu em catering. Logo depois me mudei para o México, depois voltei para o Brasil, mas a amizade continuou. Skype e e-mails sempre foram nosso meio de contato. Nos vimos uma única vez nos últimos 8 anos, rapidamente no aeroporto enquanto ela esperava seu vôo de volta para Londres.

E ela aceitou o desafio. E logo me colocou um outro: venha, você, me visitar! E como eu não gosto de ser desafiada 😉 Não recusei a proposta. E com ela veio uma oferta tentadora: montar um cardápio de comida de boteco para um projeto de abrir um bar brasileiro onde antes funcionou a Brazil House, em JamesTown, Accra.

Brazil House é o berço para os afro descendentes que estavam no Brasil e resolveram voltar para o continente africano há mais de 170 anos. Ali nasceu a tribo Tabon. Parece piada, mas é verdade. Esta comunidade recebeu este nome porque tudo o que eles sabiam falar era “tá bom”.

Giselle Mastrosanti, a irmã de Geisa e uma competentíssima diretora é quem administra todas as casas do grupo Yolo e, em conjunto com a embaixada do Brasil, está mergulhada neste projeto para reativar o museu, um centro cultural e um boteco a beira mar. E é aí que eu entro. Nas duas primeiras semanas que passei em Accra fui conhecer os mercados, testar ingredientes e receitas, pois a ideia é ter uma fusão de pratos bem brasileiros com ingredientes locais. E qual não foi minha surpresa que quase todos os ingredientes que encontrei me são muito familiares. A mandioca está por toda parte. Quiabo, banana da terra, azeite de dendê, feijão preto e feijão fradinho foram outros grandes aliados na degustação.Tasting11

Saí muito satisfeita com o resultado e com a promessa de já colocar alguns dos pratos no cardápio do terraço do restaurante! E para minha grande surpresa, o caldinho de feijão foi um sucesso unanime. Divido com vocês a minha receita que ganhou o paladar dos ganeses!

Caldinho de Feijão Preto (Serve 12 porções)Tasting1

Ingredientes:

500gr de feijão preto, preferencialmente bem novo

150gr de paio ou linguiça calabresa cortada em rodelas

50gr de bacon cortado em cubos

2 colheres de azeite de oliva

3 dentes de alho picados

2 echalotas picadas

1 talo de salsão

1 gomo de coentro

1 pimenta dedo de moça (opcional)

Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto

Modo de Preparo:

Escolha o feijão e lave sob água corrente e reserve.

Aqueça uma panela e coloque a linguiça e o bacon e deixe fritar e soltar a gordura. Acrescente o azeite o alho e a chalotas e deixe dourar juntamente com a carne. Acrescente os demais ingredientes e o feijão e cubra com 2 litros de água. Deixe ferver, reduza o fogo e cozinhe em fogo baixo por 1 hora com a panela semi tampada. Teste o feijão que deverá estar bem macio.

Tasting12

Bata todos os ingredientes no liquidificador adicionando o próprio caldo do feijão até atingir a consistência desejada. Eu gosto bem cremoso…

Sirva com cebolinha picada finamente e crisps de bacon. Para quem gosta mais picante, este molho de pimenta é um delicioso acompanhamento.

Os demais pratos servidos no menu foram:

  • Pão de Queijo Tasting3
  • Dadinhos de Tapioca com Geleia de PimentaTasting4
  • Croquete de Frango com Quiabo servido com vinagreteTasting5
  • Escondidinho de Carne SecaTasting7
  • Falso Acarajé com Bobó de CamarãoTasting8
  • Casquinha de SiriTasting9
  • Peixinho frito na crosta de castanha de caju servido com Aioli de limãoTasting10

Além de outras sugestões:

  • Quiabo tempura com aioli de chipotle
  • Cubos de abóbora e carne seca
  • Calabresa acebolada flambada na cachaça
  • Tapioquinhas de queijo coalho, carne de sol
  • Bolinho de bacalhau

O que acham? Este boteco tem tudo para dar certo?? 😉

DICAS:

  1. Para este caldinho você pode usar feijão carioca, rosinha ou até mesmo branco;
  2. Se você, como eu adora sopas, indico os blogs abaixo para saborear uma deliciosa receita. A partir deste mês o Gastronomia & + faz parte do Coletivo Gastronômico. Um grupo de blogueiros super bacanas onde dividimos receitas, palavras, histórias. Não deixem de visitar!

coletivo

My Flavors – Sopa de Couve Flor com Ervilhas Frescas, Repolho Roxo e Tiras de Frango

Ana Claudia na Cozinha – Sopa Creme de Pinhão

 A Casa Encantada – Sopa de Mandioca, Carne Seca e Couve Crisp

Na Cozinha da Gertrudes – Sopa Vermelha

Gordices – Caldo Verde

Panela e Paixão – Sopa de Capeletti e Linguiça

Se Eu fiz Você faz – Creme de Abóbora e Gorgonzola

Feijão no Prato – Creme de Legumes e Nata

O que temos hoje, Elisa? – Sopa de Carne com Legumes

Burburinho na Cozinha – Caldo de Camarão

Experimente+ – Creme de Abóbora Japonesa

Delicious by Mari – Sopa de Chocolate

Artes da Mel – Creme de Feijão Branco e Linguiça

Minha Marmita Tem – Sopa Irlandesa

Better Call San – Creme de Batatas Aveludado com Bacon

Mosaico de Receitas – Caldo Verde de “Mãe”

Mais um pouco das belezas de Ghana…

Estar na África Ocidental foi uma grande surpresa. Se você já leu os posts anteriores já sabe que por aqui não há savanas, nem girafas ou zebras, mas um verde abundante. Um clima de floresta tropical. O clima, a paisagem, o povo me remetem de volta ao Brasil. A um Brasil que parece que conheço pouco. Um Brasil que tem suas raízes aqui.

Após conhecer a Região de Lake Volta fomos para o oeste, para a praia. A região de Cape Coast, onde os primeiros portugueses colocaram os pés em 1471 e fizeram o estrago que ainda reflete nos livros de história e na história de muitos livros.

Hoje, os castelos e fortes da região estão ali, fazendo o papel de manter vivo o horror causado para que não se repita mais. Mas será que cumprem sua função?

Cape3 Cape2Cape13 Cape5Jump1

A cidade de Elmina é uma vila de pescadores cheia de vida e borbulhante, que tem mais de 700 anos. Todos os dias os homens saem com suas canoas e regressam com a pesca do dia que abastece todo o país e a exportação para Africa. São mais de 150 canoas, ancoradas na praia de um colorido intenso.

Cape4 Cape14Cape6

E claro que, estando numa vila de pescadores o nosso almoço não poderia deixar de ser a pesca do dia. Tilápia frita com banana da terra; um prato muito típico por aqui. Uma ótima refeição depois dos dessabores de visitar o interior do castelo onde a história de horror parece estar viva. Para nós, que temos estas origens não parece tão aterrorizante. Mas muitos turistas não aguentam entrar nas celas e poços. É realmente triste.

TilapiaNa região também está o Parque Nacional de Kakum. É uma área de Conservação de Floresta Tropical e lar para muitos tipos de macacos. O ponto alto são as pontes suspensas e as casas nas árvores. No total são 350 m de pontes penduradas a 30m de altura no meio da floresta. O parque é muito bem conservado e as cordas e cabos todos bem novos. Ufa… Nos foi dito que elefantes de floresta, menor e menos barulhento também vivem por ali. Mas se vivem, estavam quietos demais!

Cape7 Cape8 Cape9Cape15

Ao final do dia nosso check in foi no Blue Diamond Resort. Uma surpresa maravilhosa depois do hotel da noite anterior. Com cabanas pé na areia e distante 2 km da Vila de Apam, o hotel é novo, bem mantido, com redes, espreguiçadeiras e lagosta grelhada frequíssima vindo da vila de pescadores. Quem aí queria ver girafas, mesmo?

Cape10 Cape11 Cape1