A Vila de David

Estou na África. E antes que você pergunte onde estão as zebras, girafas, leões e savanas, vou desapontá-lo. Estou na África Ocidental, a África sub-saariana. A África Verde. A África de praias, coco, milho, arroz, palmeiras e cacau. Aqui, os animais que cruzam as ruas são cabras e bodes…

Cocoa5

Cocoa22

Cocoa27

É uma África verde. Muito verde. É uma África pobre. Muito pobre. Sempre li que entrar na África por Ghana é um bom começo. Fico imaginando o que será pior. Estou em Accra, a capital do nono país africano (são 54 no total) em BIP e a infra-estrutura é precária. Além das avenidas principais poucas são as ruas com asfalto. Saneamento básico também é outro item escasso. É um Brasil de muitas décadas atrás. É triste ter viajado para vários continentes deste mundão e ver que este aqui foi esquecido… Mas é bom saber que o povo não se sente tanto assim. Há alegria. Há esperança. Há sorrisos espalhados por estes 27 milhões de habitantes. E é sobre isso que vou falar aqui.

Ontem saímos para conhecer um vilarejo onde se produz palmeiras e cacau. Após percorrer 30km ao noroeste de Accra e passar a cidade de Kasoa, um ponto de comércio como nunca havia visto nada igual, a paisagem da viagem é totalmente rural. Foram 180 quilômetros em 4 horas de viagem, R$ 0,50 de pedágio, 3 paradas policiais para propinas. E isto somente na ida! Um verdadeiro rally.

Cocoa29Cocoa4

Cocoa6

David é um dos motoristas da empresa de restaurantes onde trabalha a minha amiga. E ele estava designado para nos levar nesta que seria uma das mais incríveis aventuras da minha vida. E talvez a dele, também. Mas disso eu não sabia.

A primeira parada foi em Akim Oda para ver a Big Tree. Esta é, supostamente, a maior árvore da África Ocidental, medindo 66 metros de altura com um perímetro de cerca de 11 metros. São nove reservas florestais em toda a região e um verde de perder o fôlego. Mas infelizmente a área florestal caiu 8,2 milhões de hectares e continua a diminuir rapidamente devido à demanda tanto para as exportações quanto para a construção. Plantações florestais estão sendo introduzidas nas proximidades Akim Oda e poderá ajudar a reverter este declínio.

Cocoa1Cocoa2Cocoa3Deixamos Akim Oda e partimos em direção a pequena plantação de palmeiras onde trabalha o pai do David, produzindo o vinho da palmeira. É uma bebida muito comum por aqui. Pode-se tomá-lo como um suco, na primeira extração, ou fermentado, como uma aguardente.

Ao chegarmos na plantação, um senhor pequeno e bem apessoado aproximou-se de David e lhe deu a mão. Os olhos de ambos se encheram de lágrimas. “Este é meu pai”, disse o motorista. Vendo a emoção, perguntei há quanto tempo não se encontravam e ele me disse que faz aproximadamente 4 anos que o havia visto pela última vez. Sugeri um abraço. Ele pediu licença e abraçou o pai. Sorriu e lhe deu um beijo na testa. E eu virei o rosto pois já não conseguia conter a lágrimas. David deixou a vila para estudar e trabalhar em Accra. Quando saiu de lá na última visita, seu irmão mais novo tinha acabado de nascer.

Cocoa7A extração do vinho da palmeira é muito similar à extração da seringueira. A seiva é extraída e recolhida em um recipiente que é fixado logo abaixo da planta onde há um orifício por onde drena. O líquido branco da primeira extração tende a ser muito doce e não-alcoólico antes de ser fermentado. Lembra um pouco o sabor de água de coco.

Cocoa9Cocoa8Cocoa11Cocoa14Cocoa13Cocoa30

Seu pai vive desta extração e de algumas sacas de cacau que provém de sua pequena fazenda. Sua ideia é montar sua própria lojinha para vender o vinho da palmeira já que muitos turistas vem visitá-lo e conhecer seu business. São 4 pessoas ao todo que trabalham ali ajudando diariamente na produção.

Cocoa17Cocoa18

Neste mesmo pedaço de terra vivem outras famílias que produzem fufu e banku para venda no mercado local. Fufu e Banku são comidas muito tradicionais na culinária africana. Pode-se compará-los ao nosso pão. São feitos de mandioca e banana da terra e mandioca e farinha de milho, respectivamente. São pilados até formar uma massa depois cozidos em forma de bolas e tradicionalmente comidos com um caldo grosso que pode conter peixe, tomate, óleos e carne.

Cocoa15Cocoa16Após deixarmos a plantação de palmeiras fomos para a pequena fazenda de cacau. A terra é bem pequena, mas rende o sustendo da família. É um processo totalmente artesanal e orgânico. O pai de David está em busca de parceiros e investimentos para espalhar suas sementes por mais terra. Mas o dinheiro é escasso. Ele recebe GH$ 200 pela saca de grãos de cacau seco, o que equivale a R$ 159,00. A cotação no Brasil hoje está em R$ 480,00 (Fonte: http://www.mercadodocacau.com.br). Infelizmente ele ainda não está no mercado Fair Trade. Hoje Ghana é o 3o. país produtor de cacau, com 17% da produção mundial.

Cocoa24Cocoa19

E o que seria melhor que almoçar – estávamos até então sem comida, nem ida ao banheiro! 😉 – cacau colhido fresquíssimo do pé. Uma delícia!

Cocoa25

Cocoa20

O restante da família também trabalha na lavoura plantando, colhendo, secando e fazendo o transporte do cacau. É realmente uma produção familiar.

Cocoa32

E lá fomos conhecer a vila e a família envolvida neste trabalho. Foi um dos momentos mais emocionantes da minha vida. Ao chegarmos na casa onde vivem todos, irmãos, primos, nanas (patriarcas das famílias), esposas fomos recebidos por um bando de crianças que brincavam no pátio. Ao nos verem começaram a gritar e correr. Eu achei que fosse por ver David; mas não. Elas gritavam Obruni, obruni, obruni, o que quer dizer pessoa branca, turista. Vieram todas nos rodear e sorriam como se eu fosse a Fada Madrinha. Sorri de volta e assim começou uma corrente de sorrisos e gargalhadas. Meu coração batia a mil por hora. Corri atrás de todas elas e em questão de segundos pulávamos e cantávamos pelo pátio. Foi um momento que eu não consigo descrever aqui. E sentada na frente deste computador agora, a saudade daqueles sorrisos e abraços me assolam. Tenho certeza que eles já não se lembram disso. Mas é algo que nunca esquecerei na minha vida.

Cocoa23

Cocoa28Cocoa26

Agradeci ao David pelo dia incrível em sua vila. E ele me disse: “Se a senhora está feliz, eu estou mil vezes mais. Eu é que tenho que lhe agradecer por ter a oportunidade de fazer parte deste momento. Deve ser o dia mais feliz da minha vida…”

Cocoa21Cocoa31

2 respostas em “A Vila de David

  1. Pat, estou aqui lendo completamente emocionada!
    De que adianta ter tanto nas nossas mãos se a ganância por mais nos impede de ser feliz?
    Esta sua viagem me fez pensar melhor sobre tudo isso!
    Tenho certeza que vc vai chegar com ainda mais a nos ensinar!

    Curtir

    • Querida Ari, é isso mesmo. A sensação de querer mais nao nos leva ao melhor.
      Mas assim é a vida. E é sempre bom ter estas chacoalhadas para acordar e sair da nossa bolha! 😉
      Beijos e fico muito feliz ela visita!

      Curtir

Conte-me o que achou do post:

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s