A Arte da Comida Simples

Semana Mesa SP

Semana Mesa SP 2012

Meu primeiro contato com Alice Waters, foi no final dos anos 90, início dos anos 2000 quando li o livro “Tender at the Bone” (A parte mais tenra) da Ruth Reichl. Eu ainda era uma cozinheira amadora, mas embarcando no mundo da gastronomia e pouco sabia do que estava acontecendo mundo afora. Na verdade, comia no Namesa sem saber que atrás daquela pequena janelinha da cozinha estava Alex Atala!

Através das histórias desse fantástico livro fui conhecendo o incrível projeto do Chez Panisse, a vida simples de Alice Waters e a comunidade meio hippie que se tornou um dos melhores restaurantes da Califórnia.

E tudo isso tem muito a ver com essa revolução que estamos vivendo na culinária brasileira hoje em dia. Já em 1971 quando abriu as portas do restaurante Alice Waters tentou fazer as coisas da maneira que gostaria que fossem feitas em um jantar em casa, com generosidade e atenção aos detalhes. Ela sempre teve a certeza de que a melhor comida está diretamente relacionado com o ingrediente que é cultivado localmente, de maneira orgânica e colhido de forma que seja ecologicamente correto por pessoas que estão cuidando da terra para as gerações futuras.

E o restaurante dela sobrevive até hoje, vive lotado – não consegui reserva quando estive em Berkeley 😦 – e lhe rendeu méritos para se engajar em projetos muito bacanas como o The Edible Schoolyard Project (Projeto do Recreio Comestível – tradução livre). A missão do Projeto é construir e compartilhar um currículo de educação alimentar, desde o jardim de infância até o ensino médio. Hortas, jardins e cozinhas se tornam salas de aula interativas para assuntos acadêmicos, e dali sai a merenda escolar orgânica, além de muito nutritiva. Isso tudo bem antes do Jamie Oliver querem mudar o lanche das escolas britânicas!!

O seu livro The Art of Simple Food (A Arte da Comida Simples) é o meu favorito. Não é só um livro de receitas. É um almanaque para quem quer cozinhar de maneira simples e saborosa. Ela fala sobre os ingredientes, modos de preparo, passo a passo e ainda divide o livro em duas partes: Começar do Zero e receitas para o dia-a-dia. Ou seja é um livro para todos nós. Além disso as receitas são realmente simples, deliciosas e tem um sentido humano por trás do ato de cozinhar e comer. Esta é a melhor parte quando estamos ao redor da mesa!

“Cozinhar bem não é nenhum mistério. Não são necessários anos de prática culinária, nem ingredientes caros e difíceis de encontrar (…) Tudo de que se precisa é dos cinco sentidos”

A Arte da Comida Simples - Alice Waters

A Arte da Comida Simples – Alice Waters

Ele ainda traz dicas dos ingredientes essenciais em uma despensa, fala um pouco de temperos, ervas e equipamentos. Como planejar o menu diário (uma dica que todos nós somos desesperados para conseguir!) e como combinar ingredientes. Tudo isso com lindas ilustrações feitas a mão! Um capricho que só quem tem a comida como uma grande paixão consegue passar!

E para que vocês fiquem ainda mais gulosos por este livro deixo uma receita simples mas intrigantemente deliciosa e que, com certeza, voltará sempre para a mesa da sua casa!

Salada Marroquina de Batata Doce

Salada Marroquina de Batata Doce

Salada Marroquina de Batata Doce (Serve 4 porções)

Ingredientes:

500 gr de batata doce (2 aproximadamente)

Azeite de oliva, o quanto baste

1 colher de chá de flor de sal

1 pitada de açafrão (pode-se usar cúrcuma)

1/2 colher de chá de gengibre fresco ralado fino

1 pitada de cominho moído

1 colher de chá de páprica doce

2 colheres de sopa de suco de limão siciliano espremido na hora

3 colheres de sopa de azeite extra virgem

3 colheres de sopa de coentro picado

1 colher de sopa de salsa picada

Modo de Preparo:

Descasque e corte as batatas doces em cubos grandes e misture com o azeite e o sal. Espalhe em uma assadeira e leve ao forno pré aquecido a 180 graus até ficarem macias, cerca de 20 minutos.

Enquanto isso prepare um vinagrete com os demais ingredientes misturando bem até ficar bem homogêneo.

Assim que estiverem assadas despeje a vinagrete sobre as batatas, ainda quente, e misture bem para que todos os cubos fiquem cobertos com os molho. Deixe descansar fora da geladeira por 30 minutos antes de servir. Prove o sal e acerte conforme a necessidade. Sirva em temperatura ambiente.

DICAS:

  1. Acrescente 1 colher de azeitonas verdes picadas, sementes de romã ou uvas passas negras sem caroça
  2. As raspas do limão podem ser usadas no vinagrete

Conte-me o que achou do post:

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s