Tão doce quanto uma geléia [Confiture de Morangos, Bergamota e Anis Estrelado]

Foto: Paladar

Foto: Paladar

Ontem o Caderno Paladar, do jornal O Estado de São Paulo, publicou uma matéria muito bacana sobre geleias. Bem completa, com dicas, receitas, histórias. Uma delícia de leitura para quem se interessa pelo assunto.

Eu adoro geleias. Conservas em geral. Geléias, chutneys, relishes, compotas… Tudo o que eu puder colocar em um potinho e guardar por meses me atrai. Mas nem sempre foi assim. Acho que porque as conservas são algo muito cultural. Não temos o costume de “conservar” os alimentos pois como na nossa terra brasilis dá de tudo e o ano inteiro comemos fresco mesmo. E foi assim que nasceu a geleia. Da vontade de ter morangos, framboesas, cassis, maçãs e um pomar todinho por todos os meses do ano!

Nos estados mais ao sul do Brasil este costume veio com a colonização européia. Mas ainda assim, as geleias e compotas foram muito adaptadas ao paladar e gosto do brasileiro.

Eu tive a oportunidade de conhecer Rachel Saunders, da Blue Chair Fruit, na Califórnia, que é uma especialista no assunto, e seu maravilhoso livro traz dezenas de receitas com frutas e temperos diferentes. Mas ela não abre mão de uma coisa: geleia tem que ter açúcar! Assim também pensa a Laetitia Castelo Branco das geleias Mathilda. Ela faz gelées, confitures e marmelades todas ao autêntico estilo francês. Com pura fruta e açúcar. Nada de pectina comercial. Se for preciso, pectina extraída da maçã! Me apaixonei por suas geleias e fui fazer um curso com ela. Percebi a delícia de uma geleia clarinha, translúcida que se esparramava por uma torrada! Nada daquela geleia dura, quase “de corte” e sem gosto de fruta fresca… E suas combinações são das mais maravilhosas! A delicadeza da geleia de figos (descascados) com passas ao rum é para deixar qualquer um com água na boca.

compota2

Lembrancinha muito doce!

Mas, enfim, este post não é (só) para ficar fazendo propaganda de coisa boa, mas para passar uma receita de geleia que eu fiz! Coincidências à parte, na quarta feira eu fiz uns potinhos lindinhos para a lembrancinha de aniversário de uma grande amiga: a Lulu, aquela do Rosbife da Lulu! Ela me pediu para cozinhar o jantar de comemoração de seu aniversário (este é tema para outro post!) e eu resolvi fazer umas “caseirices”. Afinal, por que só a criançada merece receber uma doce lembrança de uma festa deliciosa??

Fiz uma compota* de morangos, bergamota e anis estrelado e coloquei em lindos mini potinhos para as amigas levarem para casa. E o que mais me encanta nesta receita é como a geléia fica limpa, translúcida e doce. Tão doce quanto a Lulu!

geleia morango

Geleia translúcida e cheia de sabor!

Confiture de Morangos, Bergamota e Anis Estrelado (receita adaptada do livro The Blue Chair Jam Cookbook e da Geleias Mathilda) Rende 480 ml

1 kg de morangos orgânicos maduros, limpos e cortados em 4 (se for fazer potinhos pequenos cortar em pedaços menores)

850 gr de açucar para geléia (eu não uso refinado quando estou fazendo conservas. Não sei muito bem a razão, mas o açucar granulado (Doçucar) e não refinado, deixa as preparações mais brilhantes, como essa geleia aí de cima! 😉 )

Raspas da casca de 2 bergamotas orgânicas

4 anis estrelados

80 ml de suco de limão

Para obter essa cor cristalina da geleia é importante deixar a fruta macerando 24 horas. Coloque 1/3 do açucar em um recipiente plástico e por cima coloque a metade dos morangos, a metade das raspas de casca de bergamota e o anis estrelado. Repita a operação até finalizar com o açucar.

Morangos macerando. Pena que não dá para sentir o aroma...

Morangos macerando. Pena que não dá para sentir o aroma…

Deixe descansar por 24 horas, coberto com filme plástico com furinhos para “respirar”. Após as primeiras 6 horas mexer a preparação para que tudo se misture de maneira uniforme.

No dia seguinte mexer bem a mistura novamente antes de ir para a panela ( ideal para fazer geleias são tachos de cobre para a melhor difusão do calor. Mas se você não tiver não será por isso que deixará de fazer esta delícia. Uma panela de aço inox serve também. Só não vale usar panelas de alumínio. Na verdade não recomendo o alimento para nenhuma preparação… A panela deve ser grande o suficiente para 2 vezes a receita pois ao ferver o morango gera muita espuma que subirá para a superfície. Por isso, cuidado!). Coloque a mistura na panela e leve ao fogo alto e deixe ferver. Vá tirando a espuma que se forma com uma escumadeira. Só tome cuidado para não retirar muito líquido da preparação. Deixe cozinhar por 15 minutos. Adicione o suco de limão, mexa bem e deixe mais 5 minutos. Teste o ponto antes de desligar o fogo.

Coloque em potes de vidros esterilizados, ainda quente. Feche bem e deixe de ponta cabeça para fazer o vácuo (se for usar comercialmente sugiro fazer o vácuo em banho maria para maior segurança). Guarde em local seco e escuro por até 9 meses, mas duvido que durará mais de 1 semana!

*Aprendi com a Laetitia os termos corretos para serem usados de acordo com cada processo de cocção e produto final:

Jelly/gelée
Trata-se de um extrato potente de frutas misturado com açúcar, suco de limão e, às vezes, pectina. O resultado é uma massa translúcida e aveludada.

Marmelade/marmelade
A marmelade (mesmo nome em francês e inglês) tem forma de preparo muito semelhante à da jelly. No entanto, a diferença é que na massa se destacam claros pedaços de frutas. No Brasil adaptamos o nome marmelada, ao doce de marmelo, porque, provavelmente foi a primeira “marmelade” que chegou por aqui e era feita de quince, ou marmelo em português! Então, existe sim, e é possível dizer marmelada de banana, como aprendemos desde pequeninos com o Sitío do Pica Pau Amarelo!

Jam/confiture
Trata-se de uma conserva feita de frutas cozidas com açúcar e suco de limão, quando necessário, até que se desmanchem parcialmente, ganhando consistência espessa e uniforme – o suficiente para que se espalhe bem por cima do pão (nem muito líquida, nem muito firme).

Meus livros de cabeceira quando se trata do assunto:

Livros favoritos e geleias de jabuticaba, pimentas brasileiras, maçã com baunilha

Livros favoritos e geleias de jabuticaba, pimentas brasileiras, maçã com baunilha

The Blue Chair Jam Cookbook – Rachel Saunders – as receitas são todas testadas e tem muitas dicas. E as fotos são maravilhosas

Pão Nosso – Luiz Américo Camargo – O livro é sobre pão. Até fiz um post sobre ele aqui. Mas o confit de ameixas e vinho do porto (pg. 150) além de facílimo é imperdível!

O Livro das Conservas – Lynda Brown – um guia prático para o mundo das conservas em geral. Muito didático fala sobre esterilização, vácuo, conservação e tem receitas ótimas.

2 respostas em “Tão doce quanto uma geléia [Confiture de Morangos, Bergamota e Anis Estrelado]

  1. Pingback: 1 Ano de #ColetivoGastronômico [Bolo Celebração] | Gastronomia & +

  2. Pingback: O Inverno é a Estação das Conservas | Gastronomia & +

Conte-me o que achou do post:

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s