Pudim de Claras e o sabor da infância

Esta semana estava precisando de uma comida que me reconfortasse…

Acho que foi uma dor de dente horrível que me fez lembrar do colo da minha mãe e de quando sempre tinha um remedinho prá qualquer dor… Mãe não deixam os filhos sofrer, não é mesmo?!? E em casa, além da novalgina® (!) sempre tinha uma guloseima pra fazer passar aqueles momentos incômodos.

Em vários outros posts aqui já citei o quanto minha mãe cozinhava lá em casa e como eu aprendi muito com ela. Mas nunca havia percebido que em muitos destes momentos ela estava alimentando nossos corações mais que nosso apetite voraz!

E isso me fez lembrar de um delicioso pudim de claras que ela fazia sempre. E a danada tinha muitos artifícios que não nos deixava enjoar de suas comidas. Sempre modifcava pequenos detalhes e nós, como crianças, não entendíamos estas artimanhas da “Tia Edna”!

Este Pudim de Claras apareceu com mil e uma versões lá em casa; com pudim de leite, ilhas flotantes, mas a que eu mais gostava era esta receita que compartilho com vocês. Mais simples, impossível! 4 ingredientes! Depois que aprendi fiz muitas vezes. E sempre me vinha a lembrança de estar comendo “nuvens”. E era assim que chamávamos: o doce de nuvens!

Um pouco do sabor da infância para confortar a qualquer coração (ou dente!) doente!

Pudim de Claras

Calda de Caramelo

1 e 1/2 xícaras de açucar

3/4 de xícara de água fervendo

Pudim de Claras

8 claras de ovo

16 colheres de sopa de açucar

1 fava de baunilha (pode ser substituída por raspas de limão – 1 colher de chá)

Faça o caramelo colocando o açucar em uma panela e acrescente 1/4 de xícara de água. Misture bem e leve ao fogo médio e deixe a calda ferver sem mexer. Quando a calda atingir 115 graus deverá ter cor de caramelo. Acrescente a água com muito cuidado pois irá espirrar. O caramelo irá endurecer. Continue em fogo baixo para que o caramelo derreta, mas tenha cuidado para não queimar e amargar. Despeje na forma que assar o pudim.

Pré aquecer o forno a 120 graus.

Bater as claras em neve em uma tigela muito limpa sem nenhum traço de gordura senão as claras não “sobem”. Começar a bater em velocidade baixa por 2 minutos. Aumentar para velocidade média e bater por mais 2 minutos. Aumentar para velocidade alta e acrescentar as colheres de açucar uma a uma. Abrir a fava de baunilha com uma faca e com as “costas” da faca raspar as sementes. Acrescentar às claras.

Colocar as claras batidas em ponto de neve na forma e colocar para assar em banho maria por 40 minutos. O pudim deverá estar dourado. Retire do forno e deixe esfriar sobre uma gradinha. Desenformá-lo morno. Se desenformar quente poderá quebrar. Se o fizer frio, poderá grudar na forma e não sair. Neste caso, coloque a forma por uns minutos em água fervendo.

Dica: se o caramelo ficar grudado na forma coloque-a rapidamente na chama do fogão para derrete-lo. Cuidado para não queimá-lo.

Uma resposta em “Pudim de Claras e o sabor da infância

  1. Pingback: Páscoa IV – Uma receita para Celebrar | Gastronomia & +

Conte-me o que achou do post:

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s